terça-feira, 23 de agosto de 2016

CLIMA MORNO E NADA "OLÍMPICO" NOS PRIMEIROS DEBATES POLÍTICOS EM SÃO PAULO E POR AQUI NO INTERIOR

No debate da Band em São Paulo o maior destaque foi o protesto fora do evento e na chamada sabatina política de emissora de Franca, apesar de grandes contradições do primeiro candidato, ele praticamente usou o tempo do programa especial para fazer o seu marketing, mesmo sendo em alguns momentos "apertado" pelos repórteres da Difusora AM


Depois da empolgação e da vibração de cidadania dos Jogos Olímpicos Rio 2016 que terminaram domingo, a campanha política começou, como aliás era esperado por quase todos (à exceção dos candidatos e dos partidos), num clima de decepção e de descrédito, até mesmo de tristeza, se a gente levar em conta os problemas e os desafios que a nossa população enfrenta nas cidades: os cidadãos e cidadãs que se candidatam a prefeito ou a vereador terão que se esforçar muito para mobilizar os eleitores. Uma das maiores concorrências ao voto neste ou naquele candidato é também o Voto Nulo, desta vez entra com mais força nesta eleição municipal de 2016, por razões evidentes, pós-escândalos de corrupção e de falta de gestão pública, não somente no Governo Federal, mas também nos governos estaduais e nas prefeituras paulistas e brasileiras, nas câmaras de deputados, também de vereadores, no Senado e em todos os setores políticos  e da administração pública do Brasil, capitais, interior, litoral, enfim, em todo o universo da vida atual brasileira, carecendo demais de mudanças nas leis e em toda a estrutura da realidade da Nação. Terminou a Olimpíada e começa a overdose da campanha política no rádio, TV, nas ruas, sem no entanto, tocar o coração do povo (como fizeram os atletas) e nem também estimular a cabeça dos eleitores na busca de soluções sustentáveis que poderiam vir a ser um canal para a criação do nosso futuro. O futuro brasileiro está tão ameaçado nesta situação de hoje em dia como as espécies vegetais e animais sob ameaça de extinção atualmente no país que foi um dia da natureza, hoje, desnatureza. Em relação a iniciativas de anulação do voto, dentro deste contexto de desilusão política, falta de ética e de cidadania no setor, sou testemunha de um pequeno incidente que dimensiona esta situação de agora: no fim de semana, na divisa entre Claraval, Minas Gerais, e Franca, São Paulo, fui abordado por dois jovens de moto no meio rural, ali entre o nordeste paulista e o sudoeste mineiro, divulgando a seguinte mensagem: anule que eles são nulos. Ao invés dos chamados "santinhos" de candidatos, os dois rapazes me abordaram próximo ao Rio Canoas com um impresso que eles chamaram de "capetinha", com esta proposta de anular o voto nas eleições municipais de outubro. Dialoguei com Marcos César e José Antônio, que se identificaram assim, moradores de Capetinga (MG), fazendo com que eles vissem que anular o voto pode não ser a melhor alternativa nesta realidade. Mas com certeza, luto ao lado deles pelo direito democrático de discordarem da eleição atual e se manifestarem radicalmente contra a classe política. Claro que há outras opções para o protesto, porém, o mais válido neste momento vem a ser a manifestação de que por aqui e em todo o país são urgentes mudanças e avanços. (Antônio de Pádua Silva Padinha)


Luíza Erundina ganhou o debate por ter sido excluída dele



Dr. Ubiali entrevistado ao vivo pelo grupo de comunicação GCN 


Debates e eventos eleitorais não estão mobilizando corações e mentes



Quando ao tradicional debate da Rádio e TV Bandeirantes que através desta rede de comunicação brasileira costuma ser o primeiro a acontecer no país, a agenda foi ontem à noite cumprida com os candidatos a prefeito de São Paulo. Mas nem todos. Luíza Erundina que se afastou ou foi afastada do PSB e se filiou ao PSOL, que assumiu a sua candidatura, foi estranhamente excluída do debate, mesmo tendo um alto índice de aceitação nas pesquisas junto aos eleitores, cerca de 10% das intenções de voto. Em sites nacionais, como na Rede Brasil Atual ou nas redes sociais como no Facebook, esta situação foi muito destacada. Fernando Haddad (PT), Celso Russomanno (PRB), João Doria (PSDB), Marta Suplicy (PMDB) e Major Olímpio (SD) participaram do primeiro debate das Eleições 2016 na Rede Bandeirantes. Mas quem chamou a atenção maior de parte da mídia e do eleitorado foi Luiza Erundina por ter sido injustamente excluída do debate. Foi realizado um ato público no lado de fora da TV Bandeirantes, intensificando as emoções na noite de estreia da campanha política, já lá dentro, poucas propostas, trocas de farpas entre os candidatos, nada que motivasse a cidadania ou o desejo de avanço político, algo que é o mais urgente hoje no Brasil. Nem a presença no local do Governador do Estado Geraldo Alckmin modificou a apatia. Um outro lance de bastidores, além do protesto contra a exclusão de Erundina, foi uma câmera 360º e a transmissão ao vivo do debate na Internet, via um canal da Band no Youtube, sinalizando também a realidade atual do jornalismo. E aqui em Franca (SP), conforme detalhou no site GCN o repórter Leandro Vaz, a primeira sabatina deste grupo de comunicação que conta também com o jornal Comércio da Franca e a rádio Difusora AM, deu sinal hoje que não há um entusiasmo cívico envolvendo a eleição de 2016, pelas razões já citadas antes aqui no blog pelo nosso editor Padinha. O médico Marco Aurélio Ubiali enfatizou problemas da área social e da saúde nesta cidade que não escapa da crise econômica nacional. Ele defendeu o prefeito Alexandre Ferreira, em baixa de popularidade após muitos erros na administração, que aliás só não foi cassado graças a vereadores ligados a Ubiali. Mas não fez nenhuma defesa e nenhum esclarecimento sobre o PSB, que já foi o histórico Partido Socialista Brasileiro, mas hoje se resume a uma sigla eleitoral apenas. Não entrou no sentido programático ou de conteúdo da política nem do seu partido nem dos outros partidos que o estão apoiando, mostrando na opinião da gente aqui do Folha Verde News que Dr. Ubiali parece ser o candidato apenas de si mesmo, da sua vontade explícita de ganhar a eleição e encerrar a sua vida pública como prefeito de Franca. Depois desta performance parece que este desejo dificilmente será alcançado, se não houver uma mobilização com conteúdo político de verdade ou que tenha ligação com movimentos ou necessidades da população. Com uma ressalva a favor do Dr. Ubiali, este problema é o mesmo da maioria dos candidatos, os partidos são somente usados como siglas ou pró forma, vagos na atualidade e sem conteúdo de cidadania ou de participação popular. Sem um sinal de mudança na questão ética, sem uma proposta de transformação radical do universo atual da política e das dificuldades da população, em Franca e também na maioria das milhares de cidades do país, nenhum candidato a prefeito ou a vereador fará uma revolução no Brasil agora, à espera de grandes modificações na estrutura eleitoral, neste vácuo entre a velha politicagem e uma nova realidade que ainda não começou, estamos vivendo na verdade um impasse na vida brasileira: a única vantagem disso é que esta situação lamentável pode motivar mudanças e avanços, "a gente espera que uma prática maior de cidadania, de ética e de conteúdo político de verdade invada as próximas eleições, a eleição deste ano me parece ser uma triste entressafra entre o que já era e ainda não é", comentou aqui no nosso blog do movimento ecológico, científico e de cidadania o ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha. editor desta webpágina, também desanimado com a situação do jogo político atual como a maioria da população de todo o país. Um jogo nada olímpico por sinal.     

 

  Erundina excluída do debate da Band ganhou mídia e recebeu apoio


  Repórteres do GCN tentaram aquecer o debate político em Franca


Fontes: www.band.com.br
             www.redebrasilatual.com.br
             www.gcn.net.br
             www.folhaverdenews.com 

9 comentários:

  1. Logo mais, aqui nesta seção de comentários, mensagens e mais informações sobre esta pauta de hoje, o início da campanha eleitoral sem um debate verdadeiramente político, num momento difícil de impasse na vida brasileira em quase todos os setores.

    ResponderExcluir
  2. Aqui, mais detalhes sobre debates e eventos que buscam ampliar ou democratizar o debate ou mudar a atual situação de desânimo dos eleitores e de pouca energia política dos candidatos a prefeito ou a vereador.

    ResponderExcluir
  3. Você pode colocar aqui a sua opinião, a favor ou contra, como queira. Ou, se preferir, enviar a sua mensagem, sua opinião para o e-mail da redação deste blog de ecologia e de cidadania, participe e envie via navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Outra opção é enviar uma mensagem direta pro nosso editor de conteúdo aqui do blog, inclusive para sugerir pautas padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Não vi o debate na Band porque estava no Itaquerão acompanhando jogo do Corinthians, ando meio alienado de política, de propósito": comentário de Sidnei Morais, publicitário em São Paulo (SP).

    ResponderExcluir
  6. "Por aqui na minha cidade ainda não aconteceu um debate em nenhuma emissora local e quanto ao que rolou na Band vocês tem razão, Luiza Erundina por ter sido injustamente excluída acabou por sair vencedora deste debate, que é sempre prá gente uma iniciativa positiva da Rede Bandeirantes": comentário de Luís Mendes da Silva, representante comercial em Mococa (SP) de produtos naturais.

    ResponderExcluir
  7. "Curti esta matéria e vou levar pros meus colegas da Unesp aqui em Assis": comentário de Miriam de Almeida, que é de Cuiaba (MT) e estuda Psicologia no interior de São paulo.

    ResponderExcluir
  8. "A falta de ética e as práticas de corrupção se generalizaram na política do país, em todas as instâncias da administração pública, não só em Brasília, em todas as cidades, por aqui também, é triste ver candidatos a prefeito Ficha Suja em plena atividade, não só isso, este comportamento negativo alcança até outros setores da sociedade civil, acabo de saber que síndicos de condomínios e outras atividades estão sofrendo do mesmo mal, é muito triste e as mudanças terão que ser muito grandes aqui e em todo o Brasil": comentário de Hugo Peres, de Franca (SP), TI, pela Unicamp, que veio da região de Bauru e atua por aqui.

    ResponderExcluir
  9. "O presidente da Câmara de Vereadores de Franca está proibindo a Tribuna Livre durante o período eleitoral, creio que isso deve ser melhor discutido pela população, é uma forma de institucionalizar a censura, seria um último canal de liberdade de expressão da cidadania": quem faz o comentário é o próprio editor de conteúdo deste blog, o ecologista Padinha.

    ResponderExcluir

Translation

translation