quarta-feira, 10 de agosto de 2016

SECRETÁRIO GERAL DA ONU VISITA FOZ DE IGUAÇU E USINA DE ITAIPU E NA REGIÃO SE INTERESSA MAIS PELAS NOVAS TECNOLOGIAS DO PTI

Ban Ki-moon aproveitou vinda à Olimpíada do Rio e foi visitar natureza do Paraná onde mostrou ser um turista diferente e entusiasmo com o Parque Tecnológico Itaipu

 

O secretário geral da ONU fez turismo ecológico em Foz de Iguaçu


O roteiro do secretário geral da Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil,incluiu uma visita emocionada às Cataratas de Foz de Iguaçu, uma visita oficial à usina hidrelétrica binacional de Itaipu, onde perguntou pela escada para peixes nativos, como os Dourados, que precisam desta estrutura para fazer a reprodução, a Piracema. Fez contatos na Fundação PTI, onde procurou destacar os projetos de energia limpa ali desenvolvidos. Neste local, ele foi acompanhado pelo superintendente desta fundação que já recebe apoio da ONU, Juan Carlos Sotuyo: "Ban Ki-moon se empolgou com a diversidade de pessoas de variadas nacionalidades encontradas no PTI e com alguns projetos desenvolvidos por aqui, talvez este parque seja um pedaço do seu sonho em ter um mundo em paz, com pessoas trabalhando, estudando, convivendo em harmonia e comprometidas com a busca do desenvolvimento sustentável".  Durante a sua passagem de um dia neste começo de semana, o dirigente das Nações Unidas cumprimentou os pesquisadores, professores, estudantes e em seguida conheceu iniciativas como a One dólar board, de uma empresa da incubadora do PTI, que produz uma pequena placa eletrônica programável e de baixo custo (um dólar), para auxiliar no ensino multidisciplinar de programação para estudantes de países em desenvolvimento, como o próprio Brasil também. Outros projetos destacados foram as parcerias desta fundação na área de energias renováveis, como o Cibiogás e o Projeto de Absorção e Desenvolvimento de Tecnologia de Baterias Avançadas de Níquel-Sódio, que visa desenvolver uma indústria nacional para o aproveitamento de energia limpa baseada em baterias recicláveis e com insumos minerais abundantes no Brasil, como alumínio, níquel e sódio. Foram apresentadas também as ações do Laboratório de Automação referente a sistemas elétricos e em especial o Centro de Estudos Avançados em Segurança de Barragens, além de outros programas como o de Mobilidade Elétrica Inteligente, também o Cultivando Água Boa, as ações de equidade de gênero da Itaipu e as parcerias que já vinham sendo implantadas com a ONU. Ban Ki-moon plantou uma árvore,  da espécie popular no país como Manacá, típica da Mata Atlântica, que era antigamente utilizada pelos povos indígenas para fins medicinais, hoje mais valorizada por possuir aroma e atrair borboletas e passarinhos. O plantio da árvore foi um ato simbólico para reforçar o amor à natureza de Ban Ki-moon e seu compromisso com a busca da sustentabilidade, que pode ser resumido como procura na realidade dum equilíbrio estratégico entre os interesses econômicos com os ecológicos. O diretor das Nações Unidas ainda destacou a quantidade de pessoas de vários países que ali  no dia a dia atuam junto ao PTI e disse que ficou impressionado com o que viu em relação ao grau de inovações, a variedade de temas e o compromisso com a criação do futuro sustentável do nosso país e do planeta, algo que ele considera como da maior importância e urgência na atualidade.

Ele buscou destacar o valor da ecologia no Paraná

O secretário geral da ONU plantou um pé de Manacá no PTI



 A sua passagem misturou ecoturismo e visita oficial


Ban Ki-moon se interessou pelas escadas para peixes nativos

Fontes: www.pti.org.br
             www.oeco.org.br
             www.folhaverdenews.com 

9 comentários:

  1. Estaremos enviando logo mais esta matéria para a UNIC, o órgão de imprensa da ONU, que tem uma representação no Rio de Janeiro, com o objetivo de encaminhar até o secretário geral da ONU, Ban Ki-moon esta postagem, importante também para o movimento ecológico, científico e de cidadania a que está ligado este nosso blog.

    ResponderExcluir
  2. Logo mais, mais informações nesta seção de comentários, entre aqui para conferir e participe: você pode colocar aqui a sua opinião ou então, se preferir, mande a sua mensagem pro e-mail da redação do blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Há ainda a alternativa de você contatar o nosso editor de conteúdo para fazer comentários, dar informações, mandar fotos ou sugerir pautas, envie para o e-mail padinhafranca@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Importante este pacifista da ONU valorizar a natureza brasileira e se interessar pela pesquisa de tecnologias novas e energias sustentáveis, algo que as autoridades do Brasil deveriam fazer também": comentário de Irineu Marques, de São José dos Campos (SP), engenheiro civil.

    ResponderExcluir
  5. "Não é sempre que aparece por aqui, lá onde fui recentemente, um turista diferente como Ban Ki-moon, que não leva lixo e tenta apoiar as coisas positivas do Brasil": comentário de Maria Hernanes, de Curitiba (Paraná), formada em Biologia e atuando como empresária hoje em dia.

    ResponderExcluir
  6. "Enquanto visitava a Foz de Iguaçu, o secretário da ONU disse, ouvi traduções em rádios daqui do Paraná, que ele aprendeu sobre o que e como podemos fazer com a natureza. Se entendermos a sabedoria da natureza então teremos esperança. Temos que usar a água e os recursos naturais com equilíbrio, isso ajudará as pessoas, o páis, o planeta": agradecemos Mauro Teodoro, que é de Londrina (Paraná) pelo envio deste resumo de declarações de Ban Ki-moon nas Cataratas de Iguaçu.

    ResponderExcluir
  7. Segundo o jornal Estado do Paraná, Ban Ki-moon teria destacado em sua visita que esta usina binacional a importância de se buscar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.
    Ele firmou um acordo de cooperação técnica entre a Itaipu e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), para a aplicação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) nas 54 cidades que integram a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop).

    ResponderExcluir
  8. "Ban Ki-moon ficou empolgado com as pesquisas de novas tecnologias em fontes alternativas de energia e no combate às mudanças climáticas, que desenvolve o PTI, o Parque Tecnológico": quem comenta é Tereza Martins, biotecnóloga, que acompanhou por TVs da região de Itaipu a visita de Banki-moon.

    ResponderExcluir
  9. "Segundo o ite Plantas Que Curam o Manacá pode ser medicinal ou mágico, dependendodo seu uso", nos informa o estudante de Bioqupimica na Unesp, Mário Alves, falando sobre a muda plantada por Ban Ki-moon: O nome científico é Brumfelsia hopeana, também conhecida como mercúrio-vegetal, jeratacá, jeratacaca, cangambá, caá-gamba, eratataca, managá. O Manacá é uma árvore de pequeno porte, raiz lenhosa, cresce até 8 m de altura, tem folhas ovais e flores em geral solitárias. Alguns tipos de Manacá são usadas pelos índios da Colômbia e Equador como alucinógenas", ele adverte, explicando ainda que "nas suas folhas, o decocto dessa planta faz parte do Chá Ayahuasca, usado per xamãs e curandeiros, tradição dos povos da floresta". Cita ainda indicações medicinais ou fitoterápicas do Manacà: reumatismos e artrites, afecções inflamatórias, dores; tônico e depurativo do sistema linfático, adenites; cólicas menstruais, câimbras; febres, gripes e resfriados; doenças venéreas, uso diurético".

    ResponderExcluir

Translation

translation