quinta-feira, 22 de setembro de 2016

PELO MENOS A PRIMAVERA SECA PARECE QUE NÃO VAI ACONTECER POR AQUI TAMBÉM DEVIDO À AÇÃO DE LA NIÑA

A Primavera está chegando e com ela instabilidades com temporais e granizo marcando o retorno das pancadas de chuvas e de alerta para algumas regiões e lavouras se bem que os governos não estão nem aí pro clima e pro meio ambiente


Tempestade
Esta é também uma imagem típica da Primavera energizando nossa natureza


Segundo o Canal Rural, a Primavera, começando hoje, dia 22 de setembro, marca o retorno das pancadas para o centro do Brasil: por ser uma estação de transição entre o inverno seco e frio para o verão quente e chuvoso, a atmosfera apresenta muitas instabilidades e maior potencial para queda de granizo junto com as pancadas de chuva que começam a avançar pelo interior do Brasil. A maior chance de precipitação pluviométrica ainda vai se concentrar sobre a região Sul. Além do Sul, as chuvas podem ficar acima da média em Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, sul do Espírito Santo, sul e leste de Minas Gerais, sudoeste de Mato Grosso, sul e oeste de Rondônia, Acre e sudoeste do Amazonas. Poderemos ter acumulados superiores aos 200 milímetros entre o norte do Rio Grande do Sul e o extremo sul de São Paulo e entre 100 e 200 milímetros na maior parte do Rio Grande do Sul, oeste e norte do Paraná, sul de Mato Grosso do Sul, centro, sul e leste de São Paulo, Rio de Janeiro, extremo sul do Espírito Santo, sul e leste de Minas Gerais, oeste e noroeste do Amazonas e norte de Roraima.  Por outro lado, o Nordeste do país ainda vai ter mais um mês com chuva abaixo da média, a exemplo do que vem sendo observado desde meados do outono. A partir de outubro, a chuva vai se espalhar ainda mais pelo centro do Brasil e a expectativa é de acumulados acima da média histórica no Sudeste e Centro-Oeste e nos estados do Paraná, Rondônia, Acre, Amazonas, Pará, Roraima e Amapá, no oeste de Santa Catarina e noroeste do Rio Grande do Sul. Essa é uma situação completamente diferente do ano passado, quando estávamos sob o efeito do fenômeno El Niño, que retirou as chuvas do Centronorte do Brasil e deixou os volumes muito acima da média no Sul. Agora e em especial a partir de outubro neste ano será mais intenso o fenômeno natural e oceânico La Niña, algo que também explica porque não teremos agora uma Primavera Seca, apesar da falta de previsão e de gestão dos governos que mal atuam junto ao ambiente e o clima. Pryscilla Paiva, editora de Tempo do Canal Rural está atenta à conclusão dos pesquisadores da ação do La Niña, para ela é necessário que as águas do Oceano Pacífico equatorial central tenha uma temperatura -0,5º C baixo da média por três trimestres móveis consecutivos, algo que ainda não está configurado. De toda forma, em outubro, assim que a chuva voltar para as áreas mais penalizadas pela estiagem na safra passada, os volumes vão abaixo da média no sul e leste do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. No chamado Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), apesar do aparecimento das primeiras trovoadas, a expectativa é de chuva ainda abaixo da média com risco de veranicos.  Em novembro, boa parte do Sul, Sudeste e Centro-Oeste deve ter chuva acima da média. Somente na fronteira com o Uruguai e no litoral entre Santa Catarina e São Paulo, a chuva ficará abaixo da média. Entre o Maranhão e a Bahia apesar da chuva abaixo da média, o acumulado torna-se mais elevado, passando dos 100 milímetros, que vão acontecer especialmente a partir da segunda quinzena do mês. "Fazendo um resumo para o próximo bimestre, veremos muita oscilação na distribuição de chuva, ora com precipitação no centro e norte do Brasil, ora concentrada sobre o Sul", explica o meteorologista da Somar, Celso Oliveira. Já em dezembro, se esperam chuvas acima da média no Sudeste, também no Centro-Oeste e Norte mas abaixo da média no Sul e Nordeste, embora o acumulado passe dos 100 milímetros no Matopiba por volta do fim do ano.  A previsão para o produtor rural e para os habitantes urbanos é que, independentemente de termos um La Niña configurado agora nestes meses, o cenário climático desta Primavera é bem  diferente do ano passado, segundo os meteorologistas. Não somente os ecologistas ou todos os que amam a natureza deveriam estar atentos aos sinais do tempo, mas independente da falta de ação das autoridades públicas, parece que não haverá por aqui uma Primavera Seca e esta é enfim um boa notícia ou uma expectativa ou pelo menos, uma esperança. 
 

Essa é a Primavera que a gente pode surpreender por aqui também

Em nível espacial e até planetário há também novas informações

Estamos esperando por chuvas que afastem o temor duma Primavera Seca


Fontes: https//tempocanalrural.com.br
             www.folhaverdenews.com 

 

8 comentários:

  1. Mais tarde e amanhã por aqui mais informações e também comentários sobre a Primavera e eventuais mudanças no clima e no ambiente.

    ResponderExcluir
  2. Aguarde a nossa edição nesta seção de comentários mais tarde ou amanhã, confira aqui. Desde hoje você pode postar sua mensagem nesta seção ou então enviar um e-mail para a redação do nosso blog de ecologia navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Você pode também enviar fotos, informações ou trocar uma idéia com nosso editor de conteúdo, por exemplo, sugerindo alguma pauta ou somente mandando uma mensagem: padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Passa o Inverno, vem a Primavera, até chove, mas o medo da gente de nova seca ou de desastres naturais no país, em várias regiões, continua, devido não a algum fenômeno natural mas aos fatos políticos": comentário de Isabel Nascimento, de Santos |(SP), que se formou em Biologia pela Unesp.

    ResponderExcluir
  5. Considerada por muitos a estação mais bonita e esperada do ano, a primavera começou oficialmente ontem(22) às 11h21, diz matéria da Agência Brasil: a estação chega com a expectativa de chuvas para os próximos meses na maior parte do Brasil.

    ResponderExcluir
  6. A Primavera vai até o dia 21 de dezembro, completa a notícia da EBC. Com a possível formação do fenômeno La Niña, que provoca a diminuição da temperatura no Oceano Pacífico, o clima e a temperatura durante a primavera podem ser alterados, trazendo para grande parte das regiões do país um fluxo maior de chuva, geadas e até granizo. (A notícia confirma as informações do nosso blog).

    ResponderExcluir
  7. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o La Niña ainda está em uma fase de neutralidade no oceano, com isso, as chuvas acabam favorecendo algumas regiões. O Nordeste, que enfrenta uma seca severa desde 2012, poderá ter chuvas concentradas em algumas cidades da região nesta estação, ótima notícia. Com mais de 90 dias sem chuvas significativas e com os reservatórios abaixo da média, o Centro-Oeste deve voltar a ter chuvas regulares e intensas. No Norte do país, a expectativa é de chuvas acima da média. A região Sudeste também será atingida com chuvas acima da média, exceto algumas cidades, como São Paulo, em que o nível de chuva será abaixo do histórico. O norte de Minas Gerais, que atualmente sofre com a seca, deve receber um fluxo maior de chuvas, amenizando a situação da região. O Rio São Francisco, que está em estiagem desde 2012, poderá aumentar seu nível de água durante a primavera. Bom para a natureza de todo o interior.

    ResponderExcluir
  8. Pelos dados do Inmet, a única região do país que não receberá um nível maior de chuva nesta estação é o Sul. A chuva será irregular, com nível abaixo do normal. Péssima informação pros agricultores gaúchos, catarinenses e paranaenses.

    ResponderExcluir

Translation

translation