quinta-feira, 15 de setembro de 2016

PRIVATIZAÇÃO DO AQUÍFERO GUARANI JÁ ESTÁ SENDO DEBATIDA NOS BASTIDORES DE BRASÍLIA DESDE O DIA 12 DE SETEMBRO

Nestlé e Coca Cola são duas das empresas querem privatizar uso da água no Brasil e Governo Temer estaria negociando até a privatização do Aquífero Guarani


Os recursos hídricos brasileiros são um dos segmentos mais estratégicos para o crescimento do país, mas um técnico da Agência Nacional de Águas (ANA), em condição de anonimato, à reportagem do Correio do Brasil. O Aquífero Guarani, reserva de água doce com mais de 1,2 milhão de km², está na lista para constar na lista de bens públicos privatizáveis, nos bastidores se fala também que o Governo Federal planeja privatizar outras reservasna área energética porém o mais chocante agora neste início de Michel Temer é entragar à exploração de multinacionais reservas de água brasileira, como a do Aguífero Guarani, patrimônio da natureza de toda a América do Sul. Segundo está também denunciando o Sindiaguars, o atual Presidente temendo uma reação de cidadania, não divulgou uma primeira reunião nesse sentido dentro do conselho do Programa de Parceria e Investimentos (PPI), na qual poderão vir a ser definidas em breve as primeiras concessões e privatizações. As negociações com os principais conglomerados transnacionais do setor, entre elas a Nestlé e a Coca-Cola, estariam avançando "a passos largos”, como se comenta hoje nos bastidores em Brasília. Representantes destas companhias já estariam realizando encontros reservados com autoridades governamentais, no sentido de formular procedimentos necessários à exploração pelas empresas privadas de mananciais, principalmente no Aquífero Guarani, em contratos de concessão para mais de 100 anos. Os especialistas em recursos hídricos lembram que a relevância de um dos maiores mananciais mundial de água doce é tamanha que, há décadas, tem sido alvo da especulação quanto ao seu uso e exploração. O Projeto de Proteção Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do Sistema Aquífero Guarani, conhecido por Projeto Aquífero Guarani (SAG), da ANA, foi criado com o propósito de apoiar Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai na elaboração e implementação de um marco legal e técnico de gerenciamento e preservação desta megareserva de água para as gerações presentes e futuras, além da busca dum equilíbrio ecológico no interior do país.  Por enquanto, a gente posta estas informações em forma de especulação e alerta, o movimento ecológico, científico e de cidadania precisa estimular e cobrar um processo de gestão ambiental sustentável e não retrocessos do Brasil, medidas governamentais dum tempo em que o meio ambiente não era ainda o fator nº 1 de desenvolvimento, o que é atualmente, em todo o planeta, buscando um equilíbrio tático entre os interesses econômicos e ecológicos. 


Share Button
aquiferoguarani99325
O mapa das minas e de possíveis novos conflitos entre o Brasil e o Governo
 
Os recursos naturais e hídricos uma das maiores riquezas do país
  
População da América do Norte recusou exploração do Gás de Xisto que querem fazer aqui
 
Fontes: Correio do Brasil - BBC - Ana -  Sindiaguars
             www.folhaverdenews.com
 

8 comentários:

  1. Aguarde que logo mais estaremos editando aqui mais informações e comentários, confira e participe.

    ResponderExcluir
  2. A gente aqui da equipe do nosso blog conseguimos um material sobre o que pensa da privatização da água o presidente da Nestlé, uma das empresas mundiais interessadas nos recursos hídricos do Brasil, para assim aumentar ainda mais seus 1~00 bilhões de dólares de lucro no setor.

    ResponderExcluir
  3. Presidente da Nestlé diz que água deve ser privatizada. Na opinião de Peter Brabeck, a água deveria ser tratada como qualquer outro bem alimentício e ter um valor de mercado estabelecido pela lei de oferta e procura. O que
    Peter Brabeck-Letmathe, um empresário austríaco que é presidente do grupo Nestlé desde 2005, não explica é que vendendo água mineral seu grupo hoje tem um capital de 70 bilhõed de dólares, em cima dum bem das nossa natureza, gratuitopara a população, animais, vegetais...

    ResponderExcluir
  4. Parece que o plano do Governo é garantir que cada cidadão disponha de 5 litros de água diária para beber e outros 25 litros para sua higiene pessoal, gratuitamente, mas o restante do consumo teria que gerido segundo critérios empresariais do mercado. Na verdade a água tem, que ser gerida num plano da natureza, pode até ter um custo, mas que volte para os consumidores e o país, não para as empresas que exploram o setor, como a Nestlé, Danone, Coca Cola.

    ResponderExcluir
  5. "Privatizar o Aquífero Guarani me parece configurar um crime ecológico internacional sob o enfoque da sustentabilidade tão urgente em nosso país": quem comenta é Fabiano Cruz, de Campinas (SP), advogado.

    ResponderExcluir
  6. "Como não estão conseguindo burlar leis ambientais nos Estados Unidos e Canadá sei que algumas grandes empresas querem explorar o Gás de Xisto no Brasil, na América Latina, detonando nossa última ecologia a bem só dos seus lucros monstros": Humberto Santos nos enviou material sobre como se obtém o Gás de Xisto, "nosso país tem é que investir em energias limpas". Ele mora em Santos (SP) e atua como executivo.

    ResponderExcluir
  7. Ouvi dizer que também irão privatizar a floresta amazônica e o litoral brasileiro do Espirito Santo até a Ilha de Marajó.

    ResponderExcluir
  8. Pessoal, mesmo com uma notícia tão séria, a edição possui muitos erros de português. Descredibiliza a fonte.
    Por favor, atentem-se!

    ResponderExcluir

Translation

translation