domingo, 23 de outubro de 2016

PODE SE REPETIR HOJE NA BAND O ABSURDO DE ONTEM NA EPTV UM DEBATE COM UM SÓ DOS CANDIDATOS ALGO QUE PODE SER CRIME ELEITORAL OU ERRO POLÍTICO É ATRASO NA CIDADANIA COM CERTEZA


Uma situação esdrúxula e surreal mostrando como urge mudar a estrutura eleitoral no Brasil: TV coloca ao vivo no ar monólogo de apenas um dos candidatos à Prefeitura de Franca (SP) ao invés de um anunciado debate e além do mais as várias chamadas feitas pela emissora podem configurar propaganda enganosa ao mesmo tempo em que o eleitor e a falta de democracia ou de cidadania pagam o pato mais uma vez: o problema é de todo país não só de Franca ou de Ribeirão


Seca de homens de verdade na política em plena primavera da cidadania

Campanha eleitoral absurda não é exclusividade de Franca ou de Ribeirão Preto....
O anunciado debate na EPTV de Ribeirão com os estes dois candidatos de Franca virou só um monólogo e um evento que seria democrático se tornou só propaganda eleitoral e uma situação esdrúxula da política à brasileira



Hoje a TV Clube, da Rede Bandeirantes, poderá mostrar a mesma situação surreal em termos de democracia, repetindo o absurdo de ontem: a EPTV Ribeirão, afiliada da Rede Globo no norte e nordeste paulista,que realiza sempre há muitos anos debates com candidatos de todas as cidades desta região em todas as eleições, o que é elogiável em termos de comunicação pública e social, porém, desta vez, ocorreu algo inédito: é o que faltava para espelhar claramente os erros ou limites da legislação e da prática eleitoral no Brasil, algo que precisa ser mudado na sua estrutura para tornar possível a cidadania e a ética na vida pública. Anunciado até insistentemente durante os últimos 4 dias, com chamadas várias vezes ao dia, a EPTV conclamou a cidade de Franca (SP) para às 14 horas deste sábado, 22 de outubro, um debate ao vivo entre os dois candidatos a Prefeito, Sidney Franco da Rocha e Gilson de Souza, ambos aliados do Governador Geraldo Alckmin, um chegou ao 2º turno pelo PSDB e o outro pelo DEM. Ontem no Jornal Regional desta emissora se alertou no noticiário que um dos candidatos não havia ainda confirmado sua participação e que o debate poderia virar uma entrevista. Ainda pela manha deste sábado o jornal Comércio da Franca (site GCN) antecipou que Gilson de Sousa não compareceria ao evento, contando detalhes das negociações de bastidores, Mas a EPTV não informou sobre a ausência de um dos dois prefeituráveis nem nas chamadas nem nas sua edições de jornalismo. Para a decepção dos telespectadores/eleitores regionais no momento do debate uma cadeira vaga, o candidato Sidney e o apresentador da EPTV Danilo Scochi, que somente disse que Gilson de Sousa não participaria do debate e então o programa ao vivo que atinge um universo de mais de 1 milhão de pessoas passaria a ser somente uma entrevista de 20 minutos com o único candidato presente. O anunciado debate assim acabou virando um monólogo, ao vivo pela maior emissora regional de TV e pelo site G1.  A gente aqui faz um reparo ao esforço da equipe de jornalismo da EPTV e do apresentador Danilo Scochi que prepararam e fizeram perguntas, algumas questionando problemas da administração do PSDB em Franca e outras procurando extrair qual seria a proposta do "candidato único" para algumas das principais dificuldades do município que atualmente é administrado por um parceiro de partido de Sidney Rocha que o lançou, foi ameaçado de cassação e é visto pela opinião pública como o pior prefeito dos últimos tempos nessa cidade, por falhas na saúde pública e em praticamente todos os setores da atual gestão terminando melancolicamente agora em 2016. Sidney Rocha fez duas duras críticas a Gilson de Sousa que claro não tiveram nenhuma resposta e depois deitou e rolou, num monólogo nada democrático, transformando o anunciado debate de interesse público numa propaganda eleitoral de apenas um dos candidatos, o que com certeza ofende os princípios éticos e até a legislação eleitoral: o Ministério Público e a Justiça Eleitoral precisam se manifestar e se posicionar sobre esta situação meio que absurda, isso, se não tivesse acontecido no Brasil. Mas por aqui acontece de tudo no meio político ultimamente transformado em crônica policial de casos de corrupção, não só em Brasília, também em Ribeirão, Franca e em muitas das 5570 cidades brasileiras. Para não alongar, consultei no seu site o Instituto Veritá (que tem um know how de 25 anos de pesquisas eleitorais no país) e o levantamento feito agora em outubro: apesar de impugnado judicialmente e não ter sido divulgado nem em jornais nem na propaganda oficial dos candidatos, o levantamento foi realizado dentro da exigência atual da lei, registrado no TRE-SP sob o nº 06638/2016 e apresenta nestes dias uma situação de grande disputa, Sidney Rocha com 51,8% das intenções de votos e Gilson de Sousa com 48,2% enfim tecnicamente empatados. Diante do que vem ocorrendo neste 2º turno, com Gilson deixando de participar duma chamada Sabatina (entrevista pessoal) por um grupo formado jornal, rádios e site de grande alcance municipal) e agora, ausente do debate na maior TV da região, isso, creio, vai estimular uma repetição dos números do 1º turno, quando cerca de 40% da votação foram votos nulos, brancos ou abstenção, configurando uma decepção do eleitorado, também por aqui, um fenômeno aliás nacional neste momento. E surgem boatos ou especulações, como a que eu ouvi hoje cedo próximo do bairro Jardim do Eden em Franca: o Governador pediu que Gilson se cale para não atrapalhar a vitória do PSDB, mesmo porque ele deverá possivelmente assumir uma vaga na Assembleia Legislativa como deputado estadual por mais 2 anos ou ainda um cargo no Governo ele que é do DEM mas sempre aliado de Geraldo Alckmin. Não sei, sei lá, me parece algo absurdo mas por aqui e em todo lugar acontece tanta politicagem ultimamente que tudo é possível por mais surreal que seja. O que posso afirmar é que está havendo, não só no debate que virou monólogo, mas em toda a campanha eleitoral de agora um retrocesso em termos de busca da democracia, que ainda não existe realmente no Brasil, onde de fato a população ainda não vivencia um estado de direito de verdade. Mais parece uma democratura, um mix entre a democracia que ainda não alcançamos e a ditadura que não superamos ainda, apesar da luta histórica e positiva da população brasileira nestes anos todos. Esta situação que é no mínimo esdrúxula e surrealista embora esperada diante do que tem sido a realidade do país me parece ilegal e é mais uma irregularidade a mais, porém, à luz da legislação em vigor hoje, um crime eleitoral, sendo a vítima mais uma vez nós, os eleitores, o povo, mas os políticos nem ao menos serão réus. (Antônio de Pádua Silva Padinha)


Alguns meses atrás contra os pedágios Franca liderou manifestação de cidadania anti-Alckmin

Depois os dois candidatos do PSDB e do DEM foram enquadrados no mesmo esquema regional de política aliada ao Governador de São Paulo

Hoje a tendência é repetir o 1º turno e a soma de votos nulos, brancos e abstenções chegar a 40% da votação totalmente esvaziada por estes e outros fatos daqui e do país


O eleitor, a população, a cidadania não podem esquecer estes acontecimentos graves nem o MP nem a Justiça Elitoral podem se omitir e precisa mudar com urgência a estrutura eleitoral e política brasileira

Fontes: EPTV/ G1/Instituto Veritá/GCN/Agência Brasil
             www.folhaverdenews.com

15 comentários:

  1. Nós já recebemos aqui no blog outras mensagens, esta situação repercutindo em todo o Brasil, são informações, pontos de vista e opinião, aguarde que logo mais estaremos editando e postando aqui todos estes comentários. E participe você também.

    ResponderExcluir
  2. Você pode e deve participar desta edição de hoje, pode colocar direto aqui nesta seção a sua visão ou então se preferir, enviar o seu comentário para a redação do nosso blog de cidadania e de ecologia através do e-mail navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Outra opção é você mandar sua msm diretamente pro e-mail do nosso editor de conteúdo deste blog enviando para padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. Entre as mensagens já recebidas por aqui, selecionamos por enquanto apenas uma, para exemplificar o processo de participação e estimular a sua opinião. Confira a seguir.

    ResponderExcluir
  5. "Essa eleição em Franca, em Ribeirão, em quase toda cidade do país está uma vergonha, creio que não estamos numa democracia de verdade": comentário de José Paulo de Morais, de Jaboticabal (SP), ele que era filiado ao PVSP mas se decepcionou com a política nos últimos anos, como nos explicou no e-mail.

    ResponderExcluir
  6. "Certamente a política e os políticos estão abaixo do necessário em todo o país, aí em Franca não é diferente, importantes os protestos contra o preço dos pedágios e agora, o aumento dos combustíveis em plena crise, o que eu quero dizer é que tem o lado moral mas também o financeiro dificultando a vida da população": comentário de Geraldo Soares, de Campinas (SP), que atua como agente de Turismo.

    ResponderExcluir
  7. "Curiosa e acho que esdrúxula mesmo esta situação aí em Franca com dois candidatos do mesmo grupo político embora de partidos diferentes, os dois apoiando e sendo apoiados pelo Governador, a partir daí, tudo pode acontecer de bom ou de ruim, depende do ponto de vista": comentário de Ana Maria Santos Fabri, de São Paulo (SP), que é advogada especializada em Direito Tributário.

    ResponderExcluir
  8. "A gente está torcendo pela Primavera, comemora as chuvas que chegaram no estado de São Paulo, mas lamentamos a Seca de homens públicos que continua e é crônica, uma fase da nossa história para gerar mudanças e para ser esquecida": comentário de Humberto Andrade, profissional de Marketing, no setor Imobiliário em São Paulo, capital e interior.

    ResponderExcluir
  9. "A legislação eleitoral precisa urgentemente ser modificada para evitar os absurdos que andam acontecendo em todo o país, mas é também uma questão cultural e de cidadania, precisa mudar a lei e também os costumes, a prática política para coibir a atual politicagem predominante": comentário de Fernanda Martins Oliveira, sócia de indústria de aparelhos eletrônicos, de precisão e de informática na região de São José dos Campos (SP).

    ResponderExcluir
  10. "Parece que hoje vai ter debate dos candidatos de Franca na Clube, a TV Bandeirantes da região de Ribeirão Preto e a expectativa é se esta situação absurda vai se repetir a dano da democracia e da cidadania": comentário de Eurípedes Morais dos Santos, que mora em Ituverava e veio há 2 anos de Brasília (DF) como representante comercial.

    ResponderExcluir
  11. "Não conheço nenhum destes dois políticos mas no caso deste senhor Sidney Rocha me lembro que nos tempos de Orestes Quercia ele foi convocado para a direção da Vasp para salvar esta empresa aérea que era estadual e ela quebrou, me lembro de várias matérias, na Folha, no Estadão, no JT": comentário de Pedro Peres Almeida, engenheiro mecânico de grande empresa em São Paulo (SP).

    ResponderExcluir
  12. "Por falar na Vasp, Sidney Rocha largou a Prefeitura de Franca para atender um pedido do seu amigo Quércia e...quebrou uma empresa que tinha 40 anos de sucesso, sem nenhum acidente aéreo. E então eu pergunto, ele é mesmo um grande administrador, como se diz em Franca?": comentário de Fábio Cruz Santos, de Franca (SP), fabricante de acessórios de couro.

    ResponderExcluir
  13. "Esta história da Vasp é nebulosa e ainda precisa ser esclarecida, é mais um escândalo da era Quercia, um pioneiro da corrupção política que hoje abala o país todo": comentário de Ary Alves, professor de História pela UFRJ, pósgraduado pela PUC, que faz uma pesquisa sobre a Vasp e o Governo Orestes Quercia.

    ResponderExcluir
  14. "Gostaria de perguntar se estes problemas levantados aí sobre a Vasp tem a ver de alguma forma com o fato que nas últimas décadas Franca, mesmo sendo uma cidade exportadora, não tem um aeroporto em atividade. Reconheço que nessa crise está difícil andar de avião, mas esta situação dum polo exportador não ter serviço aéreo é algo que choca mesmo que está à distância desta cidade": comentário de Laura Corrêa, advogada de São Paulo (SP).

    ResponderExcluir
  15. A mesma Laura Corrêa comenta ainda: "Apesar de toda corrupção, dos erros desta eleição agora de 2016, o movimento de cidadania, especialmente dos jovens, está avançando, isso nos dá esperança de que haverá mudanças no Brasil".

    ResponderExcluir

Translation

translation