terça-feira, 29 de novembro de 2016

CHAPECOENSE NÓS TODOS TE AMAMOS PARA SEMPRE MAS QUEM PAGARÁ POR ESTAS MORTES AGORA?

Os cartolas do futebol business do Brasil e América do Sul deveriam ter providenciado uma aeronave de melhor estrutura para a viagem do time, o maior desastre do mundo da bola poderia ter sido evitado, estas entidades que são bilionárias deveriam estar respondendo pela queda trágica em Medellin


Melhor é a gente lembrar da Chapecoense com a alegria do seu futebol


Não é a primeira tragédia com times de futebol em acidentes aéreos, tomara que seja a última Deus console a todos que estão sofrendo com mais esta tragédia no futebol e atenção, só o blog da gente e um ou outro jornalista criticam o erro da CBF e da Conmebol nesta situação trágica que poderia ter sido evitada: cadê o Ministério dos Esportes?...



Manchester United, Torino, Alianza de Lima ou mesmo a seleção da Dinamarca já sofreram o drama que hoje faz sofrer a Chapecoense e todos nós que amamos o futebol. Pessoalmente, o editor deste nosso blog de ecologia e de cidadania Folha Verde News, que já militou na mídia em São Paulo, lamenta a morte também nessa tragédia do Mário Sérgio Pontes de Paiva, ex-jogador da Seleção, ex-treinador do Corinthians, a quem Padinha conheceu bem e que era até ontem comentarista da Fox: "Deus console a todos os que sofrem nesse momento, o mais dramático do esporte desses últimos tempos", comentou aqui o repórter e ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha. Ele estará na webradio Chiav ao vivo nesta 3ª feira às 14h para uma manifestação de solidariedade ao lado do radialista Rodrigo Chiaverini, em nome dos esportistas do interior do país. Chiaverini e Padinha ambos ressaltam os 21 profissionais de comunicação que estão entre as 75 vítimas fatais do acidente, entre eles, além do Mário Sérgio, Deva Pascovicci, Vitorino Chermont (estes três trabalhando pela Fox) e Laion Machado, do Globo Esporte. Dos 21 da imprensa esportiva só escapou o radialista Rafael Henzel, da Rádio Oeste Capital AM/FM de Santa Catarina. Rafael e nós ficamos para contar mais esta tragédia do futebol, não é a primeira, esperamos que seja a última. 


  Mário Sérgio estava no vôo como comentarista da Fox

Goleiro Danilo Padilha da Chapecoense acabou não escapando

 
Padinha e Chiaverini na web em solidariedade às vítimas

Site Futebol Interior faz pesquisa histórica sobre todas as tragédias com times 


Deva Pascovicci era um locutor esportivo de ponta no país


Ponto exato Google Medellin da tragédia da Chapecoense

"A CBF e a Conmebol deveriam ter arranjado um avião com melhor estrutura para uma equipe que chegou a uma final da América do Sul: a Chapecoense, maravilha, mas os cartolas, não" (Padinha)


Manchester United, Torino, Alianza de Lima, as seleções nacionais da Dinamarca e de Zâmbia (África) estão nesta história de tragédias aéreas no mundo do futebol. As tragédias aéreas fizeram parte da história de alguns dos clubes de maior destaque no planeta, transformando sonhos de milhares de torcedores em pesadelos. Em 1949, o Torino era o campeão da Itália. Mas, ao retornar de um jogo amistoso em Portugal, o avião que levava os craques caiu no dia 4 de maio, nas proximidades de Turim. O acidente faz 31 mortos, entre eles 18 jogadores. Quase uma dezena daqueles que estavam no avião faziam também parte da seleção italiana. Para muitos italianos, aquele desastre afetou de forma decisiva a capacidade da seleção italiana em concorrer ao título na Copa do Mundo de 1950, no Brasil. O torneio seria o primeiro depois da Segunda Guerra Mundial e o Torino, que dominava os campos italianos, era a base da seleção que tinha aspirações de vencer no Maracanã. O êxito do Torino jamais foi repetido da mesma forma como no final dos anos 40. Uma década depois, em 1958, seria a vez de um outro grande campeão fazer parte da lista das vítimas de acidentes aéreos. O Manchester United, bicampeão da Inglaterra e se classificando para a semifinal da Copa da Europa, estava em um avião de retorno de uma partida em Belgrado. Em pleno inverno, no dia 6 de fevereiro, o avião fazia uma escala em Munique. Mas, ao tentar voltar a decolar, a neve o impedia. Na terceira tentativa, o jato acabou batendo em um muro. Vinte pessoas que estavam à bordo, entre eles oito jogadores, morreram. Entre os sobreviventes estava Bobby Charlton, com apenas 20 anos e severamente ferido. Mas a jovem processa, Duncan Edwards, não sobreviveu. Dois anos mais tarde, em 1960, outros oito jogadores da seleção dinamarquesa seriam vítimas de um acidente aéreo, em Kastrup. O mesmo ocorreria em 1979 com a equipe do Tachkent, perto de Minsk. Na América do Sul, um dos maiores dramas foi o do Alianza de Lima, em 1987. O Fokker que levava os jogadores do clube não resistiu e todos os jogadores morreram nesta ocasião. Em 1993, mais uma seleção seria vítima de um acidente aéreo. A Zâmbia disputava um lugar na Copa do Mundo e, para chegar até o evento, teria de bater o Senegal. Um avião militar levaria o time africano ao confronto. Mas o aparelho se incendiaria e todos os jogadores da seleção morreram. Todas estas vítimas são lembradas agora nesse momento em que todos nós manifestamos nossa solidariedade e nosso amor à Chapecoense. 
Chapecoense, nós todos te amaremos sempre
Fontes: www.futebolinterior.com.br
             www.rodrigochiaverini.net
             www.folhaverdenews.com

9 comentários:

  1. Ainda hoje, logo mais à tarde, estaremos atualizando informações nesta seção de comentários, aguarde e participe, confira nossa edição.

    ResponderExcluir
  2. Você pode postar aqui seu comentário ou se preferir enviar por e-mail para a redação do nosso blog de ecologia e cidadania navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Outra opção: envie sua mensagem ou fotos ou informação ou sugestão de pauta direto pro editor de conteúdo do blog padinhafranca603@.gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Muito importante este post, o futebol e o esporte fazem parte sim da ecologia da vida que a gente busca em todo momento, também nessas horas": quem comenta é Olavo Mendes, repórter esportivo em São Paulo, onde atua como free lance após ter se formado pela Unesp de Bauru.

    ResponderExcluir
  5. "Padinha, acabei de ver no site Terra que o Danilo goleiro também acabou falecendo no atendimento": quem nos informa é Marina Alves, de Campinas (SP), estudante de jornalismo na USP em São Paulo.

    ResponderExcluir
  6. "A gente precisa destacar que no time da Chapecoense estavam dois atletas daqui da região e que jogaram no Botafogo de Ribeirão preto no ano passado, Jimenez e Canela": comentário de Valdir Pereira Gonçalves, de Araraquara (SP), advogado.

    ResponderExcluir
  7. "Além do Mário Sérgio, vocês esqueceram de citar entre os mortos neste trágico acidente, Batista, que foi volante do Internacional de Porto Alegre e da Seleção Brasileira, que estava trabalhando como comentarista dum canal a cabo": comenta Alberto dos Santos, de Curitiba (Paraná), que se diz torcedor do Flamengo e..."agora passo a torcer prá Chapecoense".

    ResponderExcluir
  8. "Teve grande o time adversário da Chapecoense na final da SulAmericana, os colombianos estão sugerindo à Conmebol que dê o título de campeão continental à equipe de Santa Catarina, impedida por força maior de disputar as finais": quem comenta é João Peres, de Florianópolis, de Santa Catarina. Ele informa que ouviu diretor jurídico da CBF afirmar em rádio da sua região que "essa doação do título à Chapecoense não está escrita nem prevista em nenhum regulamento, mas seria algo valioso em termos de fair play no futebol".

    ResponderExcluir
  9. "A Chapecoense, maravilha. Mas a CBF e a Comenbol deveriam ter arranjado um avião com melhor estrutura para uma equipe que chegou a uma final da América do Sul, isso precisa ser dito. Paz aí na luta da vida que continua, Deus console os que estão sofrendo": comentário do editor do nosso blog em chamada no Facebook sobre esta matéria.

    ResponderExcluir

Translation

translation