quinta-feira, 17 de novembro de 2016

"PÓS VERDADE" É A PALAVRA DO ANO SEGUNDO O DICIONÁRIO OXFORD: A TRADUÇÃO AQUI SERIA ALGO COMO "ALÉM DA REALIDADE"


Esta expressão significa o apelo emocional hoje ganhando mais força na opinião pública e na vida do que a própria realidade: este é o sentido da palavra do ano pós verdade que também poderia significar manipulação




  O termo também se refere à manipulação das pessoas e das massas...




Outras palavras bem expressivas  em 2016 e que foram fortes concorrentes ao título de expressão do ano também estavam ligadas aos debates políticos no mundo na atualidade: a lista final  do Oxford incluía alt-right, no sentido de direita alternativa, Brexiteer, a pessoa defensora da saída do Reino Unido da UE, e latinx, designação com gênero neutro para latino-americanos. Mas na sua tradicional eleição da palavra do ano agora o dicionário britânico Oxford anunciou como vencedor de 2016 nos países de língua inglesa o termo pós verdade (post-truth, em inglês, algo como além da verdade, em português) A expressão ganhou espaço em análises políticas na imprensa de língua inglesa, durante um ano de reviravoltas inesperadas, como a saída do Reino Unido da União Europeia ou a vitória de Donald Trump nos Estados Unidos e até a questão dos imigrantes ou refugiados. "Aqui para nós no Brasil, país de língua portuguesa, esta escolha da palavra da hora serve como um reflexo crítico da realidade atualmente, algo que vigora nas sociedades de consumo globalizadas, lá ou aqui, em todo o planeta e independente da língua do país, isso é o que podemos chamar de sentimento de época. E serve como um alerta para nós, é sempre um perigo quando o clima emocional das coisas extravasa a realidade, a verdade dos fatos", comenta por aqui o editor de conteúdo do nosso blog Folha Verde News, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha que fez alguns estudos de Filologia e Linguagem, na época em que estudou Letras na Unesp: "Isso tem a ver também com cidadania e visão cultural da atualidade. Na sequência algumas informações do site da Revista Veja sobre a expressão pós verdade, uma das mais usadas na mídia ocidental.


Fatos objetivos ou versão subjetiva dos acontecimentos?


As palavras mudam como um reflexo da vida


Pós verdade ou além da realidade é uma expressão definida pelos editores deste dicionário como um adjetivo relacionado a "circunstâncias em que fatos objetivos são menos influentes na formação da opinião pública do que apelos à emoção subjetiva ou à crença pessoal de cada um". O uso desta expressão teria aumentado 2.000% em relação ao ano anterior, de acordo com jornal The Guardian, devido a discussões políticas e a circunstâncias da vida hoje em dia. Isso é um sintoma também de algum desequilíbrio humano diante dos fatos da atualidade, marcada por incertezas e violências para todo mundo. Neste ano, outros fortes concorrentes ao título de palavra do ano também representavam esta época de muitos debates políticos e protestos.  A lista final incluía alt-right, algo como “direita alternativa”, Brexiteer, a pessoa defensora da saída do Reino Unido da UE, e latinx, designação com gênero neutro para latino-americanos. Segundo explica o presidente do Dicionário Oxford, Casper Grathwohl, o emprego de pós verdade cresceu para explicar também o efeito das redes sociais como fonte de notícias, além da “crescente desconfiança mundial nos fatos oferecidos pelo establishment”. Em setembro, o termo ganhou a capa da revista americana The Economist, na reportagem "Arte das Mentiras: Política pós verdade na era das mídias sociais". O predomínio do marketing sobre a História é um outro significado desta expressão muito usada atualmente na mídia nos países onde as pessoas falam inglês. Embora precisando ser traduzida por outras palavras, por aqui no Brasil esta situação também acontece muito, interpretações mais subjetivas do que factuais da realidade. Uma boa tradução desta expressão pós verdade poderia ser aqui para nós além dos fatos da realidade.  O novo termo votou a figurar direto na imprensa após a vitória de Donald Trump nos Estados Unidos, comparada ao Brexit britânico pelos discursos acalorados nas redes, baseados em informações nem sempre verídicas. "Obama fundou o Estado Islâmico. George Bush estava por trás do 11 de setembro. Bem-vindos à era pós verdade", escreveu o jornal The Economist. "Entramos na era do pós verdade e não há como voltar atrás", argumentou matéria no The Independent, depois  da eleição americana e de outras manipulações da realidade. É um sentimento da nossa época, em que em muitos casos as palavras valem mais do que os fatos.



  Esta expressão subentende também "para onde vão as massas?"...

A pessoa é uma massa?
  
Fontes: www.veja.abril.com.br
             www.folhaverdenews.com

7 comentários:

  1. Mais tarde mais informações e comentários por aqui nesta seção, aguarde nossa edição.

    ResponderExcluir
  2. Você pode por aqui o seu comentário ou então se preferir enviar uma mensagem ao e-mail da redação do nosso blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Mande a sua opinião diretamente pro editor de conteúdo do blog, esta é outra opção, e o e-mail é o padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "A realidade está maluca. Isso explica também esta expressão": comentário de Jarbas Amado, que é comunicador em Salvador (Bahia). Ele escreveu um poema sobre a palavra "Pós Verdade" que em seguida divulgaremos aqui.

    ResponderExcluir
  5. "A opinião, a interpretação dos fatos é algo muito positivo mas o jornalista também precisa se conter e narrar os acontecimentos como eles são e assim também as pessoas na sua vida": comentário de Washington Oliveira, estudante de jornalismo na PUC de Minas, que é de São Paulo Paulo e estuda em Belo Horizonte (Minas Gerais).

    ResponderExcluir
  6. "Creio que essa coisa de Pós Verdade tem a ver também com a mídia na atualidade, em geral, ela é a indústria da desgraça, do escândalo, para aumentar audiência ou vender jornal": comentário de Fabiana Fernandes Domingues, do Rio de Janeiro (RJ), que foi funcionária pública em Brasília (DF).

    ResponderExcluir
  7. "O apelo emocional falar mais alto do que os fatos, isso é esquisito, manipulador das informações, é como um BBB ou MMA, leva a opinião pública a achar que é moda ser estúpido, vulgar, inculto ou violento": comentário de José Paulo, advogado em São Paulo ligado à OAB e aos Direitos do Consumidor.

    ResponderExcluir

Translation

translation