sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

METADE DOS BRASILEIROS DESCONFIA DA INTERNET MAS UMA OUTRA METADE MOSTRA GRANDE INTERESSE NA WEBCOMUNICAÇÃO


Jornal seria o meio de comunicação com mais credibilidade conforme pesquisa do Ibope feita para o Governo Federal, porém, surpreende o aumento de interessados na questão da  banda larga de Internet Fixa e do WhatsApp segundo a Anatel



A Pesquisa Brasileira de Mídia, encomendada pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República ao Ibope em Brasília (DF) aponta que os jornais impressos estão ainda na liderança de confiança dos brasileiros como meio de comunicação. O porcentual dos entrevistados que disseram que confiam sempre ou muitas vezes nas notícias publicadas em jornais é de 59%, rádio e televisão têm 57% e 54%, respectivamente. Nesta mesma pesquisa, 62% dos entrevistados afirmaram desconfiar de informações veiculadas em sites (63% no caso de redes sociais), mas por outro lado somente 54% mostram desconfiar de notícias de blogs. Isto é, praticamente a metade dos brasileiros e brasileiras já acreditam nas informações jornalísticas mais independentes, como nos blogs. A webcomunicação está tendo na realidade um grande aumento de interesse no Brasil, tanto que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) teve que prorrogar as inscrições para uma consulta pública sobre Internet fixa. Enfim, há uma aparente contradição entre a pesquisa encomendada pela Secretaria de Comunicação da Presidência com o objetivo conhecer como se informam os diversos segmentos socioeconômicos (as características de seus hábitos de uso de mídia) em choque com o interesse recorde de pessoas que  usam o home-office ou necessitam de alguma forma conexão com a web, querendo também definição sobre a questão do WhatsApp no Brasil. Mais de 13 mil pessoas já se inscreveram para uma audiência pública junto à Anatel e o Ministério das Comunicações, que por causa deste megainteresse prorrogou as inscrições até abril de 2017. Vamos a seguir, primeiro, checar os dados da pesquisa sobre mídia e depois, dar mais detalhes sobre o grande interesse da população na audiência pública sobre Internet.


 

Ibope afirma em pesquisa que jornais ainda têm credibilidade...


...mas Anatel registra grande crescimento da webcomunicação no país

Fontes: www.terra.com.br
             www.folhaverdenews.com

         

Pesquisa do Governo mostra que jornais ainda têm credibilidade


De acordo com os dados do Ibope, os entrevistados se dizem desconfiados, quando as informações são de redes sociais, sites e blogs: em relação aos sites, 62% disseram confiar poucas vezes no que foi publicado, índice cresce para 63% quando a plataforma é rede social mas diminui para  54% em relação a blogs, que causam mais confiança. Os dados mostram ainda que o tempo de leitura médio dos jornais impressos é de uma 1 hora e 10 minutos e que normalmente, assim como ocorre com as revistas, eles são comprados em banca, preferencialmente ao longo da semana. O porcentual dos entrevistados que disseram que confiam sempre ou muitas vezes nas notícias publicadas em jornais é de 59%, rádio e televisão têm 57% e 54%, respectivamente da confiança dos ouvintes e dos telespectadores. O levantamento aponta que no entanto a TV é o meio de comunicação mais acessado. Pouco mais de três quartos dos entrevistados veem televisão todos os dias. As emissoras da TV aberta são as mais assistidas. Em relação a emissoras de  rádios, aproximadamente dois em cada três entrevistados afirmam ouvir, sendo que quase a metade, ouvem todos os dias. Esta pesquisa encomendada pela Secretaria de Comunicação da Presidência teve como objetivo conhecer como se informam os diversos segmentos socioeconômicos e as características de seus hábitos de uso de mídia. Os dados publicados agora pelo Ibope são referentes a agosto do ano passado e a dimensão total da amostra foi fixada em 15.050 entrevistas, em todo o país.



Prorrogada audiência pública sobre web por excesso de inscrições

Anatel prorroga inscrições para consulta pública sobre limitação da Internet fixa


7 comentários:

  1. Caso você aqui, agora, com estas informações via o nosso blog de ecologia e de cidadania Folha Verde News, tenha ficado interessado em também participar da audiência pública sobre Internet no Brasil, precisa se inscrever através do portal Diálogo Anatel acessando este link no site do Ministério das Comunicações. Enquanto o assunto não for amplamente discutido, como exige a legislação do setor, nada será definido sobre banda larga ou preços de serviços nem mesmo sobre a questão do WhatsApp, ainda também indefinida.

    ResponderExcluir
  2. Vivemos uma época de mudanças também nas área das comunicações e as pesquisas, por mais abrangentes que possam ser, nem sempre detectam o universo em sua íntegra, já que a realidade é ampla e variada demais, conforme cada setor da população que venha a ser entrevistada.

    ResponderExcluir
  3. "Não é o caso de se pensar em pesquisa manipulada só porque os dados surpreendem, é que a realidade anda mesmo surpreendente. Já em relação ao megainteresse da população sobre banda larga, Internet fixa, WhatsApp, isso mostra realmente o crescimento fora do comum das mídias digitais na atualidade. Isso corresponde também a um declínio, com certeza, dos jornais impressos que, com a web, todo dia já nascem mortos": comentário do nosso editor de conteúdo deste blog, o repórter e ecologista Padinha.

    ResponderExcluir
  4. Você pode postar aqui nesta seção o seu comentário, informação ou mensagem, se preferir, envie este conteúdo por e-mail para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Outra alternativa para debater esta questão da mídia impressa ou digital, bem como do interesse crescente no acesso livre, amplo e irrestrito à Internet, mande sua mensagem diretamente para o nosso editor do blog padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "Vi uma charge sobre economia de papel com a chegada da web e o declínio dos jornais impressos, acho que é por aí mesmo, aos poucos a cultura digital vai predominar nas comunicações": comentário de Hugo Mendes, de São José dos Campos (SP), que fez Comunicação na Unesp de Bauru.

    ResponderExcluir
  7. "Suprlegais as charges, elas são mais do que pesquisa ou informação, pensam criticamente sobre a mídia hoje, deveriam ter um espaço maior na nossa comunicação": comentário e Paulo Sérgio Ribeiro, de Santos (SP), mkt de rede de lojas.

    ResponderExcluir

Translation

translation