terça-feira, 3 de janeiro de 2017

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO DE JANEIRO PROTEGE GILBERTO GIL DOS EFEITOS NEGATIVOS DE PSEUDOENTREVISTA A UM FALSO SITE DE INFORMAÇÃO

Uma medida importante como garantia de liberdade de informação: decisão judicial manda site retirar da web falsa entrevista comprometendo imagem pública do cantor, compositor e produtor cultural que tem participação política e ativismo no movimento ecológico e de cidadania

Nosso blog divulga a medida judicial que protege a imagem de Gilberto Gil


O juiz Carlos Sérgio dos Santos Saraiva, do Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, deferiu antecipação de tutela para que o Facebook e  e o site Pense Brasil excluam as postagens e qualquer link de uma falsa entrevista que foi postada na Internet na última semana, em que o cantor e compositor Gilberto Gil teria inclusive criticado a operação Lava Jato e o juiz Sérgio Moro, o que ele não fez.  Além disso, a rede social foi obrigada a informar, no prazo de 48 horas, os dados pessoais cadastrados de Hernandes dos Reis Renan Reis, autor da postagem, sob pena de multa diária no valor de R$ 3 mil. Além do mais, a time line deste internauta em questão fez comentários de cunho racista contra o cantor e compositor, conhecido por posições pacifistas, ecológicas e em defesa do movimento de cidadania no Brasil, algo que sempre acompanha e acompanhou a sua atuação como músico.  O juiz Sérgio Saraiva citou, na decisão, o direito à livre expressão frente ao direito de inviolabilidade da honra e da imagem: "À luz desses princípios, é forçoso concluir que, sempre que direitos constitucionais são colocados em confronto, um condiciona o outro, atuando como limites estabelecidos pela própria lei maior para impedir excessos e arbítrios", explica a decisão judicial. Por sua vez, Gilberto Gil preferiu ficar em silêncio, afirmando somente que a Justiça está falando por ele nesta situação. "Uma situação que cá entre nós, mostra preconceito, perseguição política e bullying contra um artista e líder nacional da maior boa vontade, sempre valorizando com o seu trabalho e no seu dia a dia também em qualquer época política a cultura afrobrasileira e a ecologia", comentou por aqui no blog Folha Verde News o repórter e ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha: "Nosso blog mais uma vez sai em defesa da liberdade de informação e dos direitos de cidadania, o que aconteceu com Gil é uma espécie de violência que revela bem os erros atuais da realidade brasileira, carente de encontrar um rumo para a criação do futuro, esta situação mostra bem que ainda somos um país que não atingiu a grandeza duma nação de verdade", argumentou ainda por aqui nosso editor Padinha que define Gilberto Gil como "principalmente um ecologista". 


Aqui, um album de fotos que revela Gilberto Gil como pessoa e artista do bem



 
 
 
 
Um produtor cultural que ajuda a mudar a realidade e criar nosso futuro



Fontes: Agência Brasil - Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro
             www.folhaverdenews.com 


9 comentários:

  1. Logo mais por aqui nesta seção de comentários mais algumas informações ou detalhes sobre esta decisão judicial e esta situação: nosso blog destaca em especial a luta deste músico e produtor cultural pelo movimento ecológico e de cidadania, bem como seu ativismo pela cultura negra e criação do futuro no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Você pode postar livremente a sua opinião ou mensagem aqui nesta seção ou se preferir enviar um e-mail para a redação do nosso blog de não violência, ecologia, defesa da liberdade de expressão e da cidadania: pode mandar ver para o e-mail navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Você pode também contatar o nosso editor de conteúdo enviando um e-mail para o nosso blog através de padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Tive três contatos positivos com Gilberto Gil em três momentos diferentes do país, quando ele voltava do exílio político provocado pela Ditadura, depois durante a ECo 92 no Rio quando amadurecia o movimento ecológico no Brasil e mais recentemente no bastidor dum show que ele fez com o seu filho Bem. Sempre senti Gil pessoa íntegra e positiva para um avanço do Brasil": comentário do ecologista Padinha, nosso editor.

    ResponderExcluir
  5. "Os ataques racistas a Gilberto Gil são explicados pela força que o seu ativismo político e cultural têm no país, um líder da cultura afrobrasileira": comentário de Ângela Aparecida, de São Paulo onde atua como produtora cultural, que é de Ribeirão Preto (SP).

    ResponderExcluir
  6. "Não é a primeira confusão em que se envolve este site Pense Brasil que não tem responsável nem endereço e parece ser bem tendencioso, como vi nestes dias na Folha de São Paulo": comentário de Isaías Araújo, do Rio de Janeiro (RJ), que é engenheiro civil.

    ResponderExcluir
  7. "Acompanhei aqui em Salvador um noticiário no site iBahia que a falsa entrevista do Gil compartilhada rendeu comentários ofensivos ao artista. Um deles chamou ele de "macaco filho da puta". De acordo com a advogada do cantor, Leticia Provedel, os dados para identificar o autor do comentário estão sendo levantados. Ela ainda com,entou que "Preta Gil já entrou na Justiça contra um comentário racista, esse ano o Bruno Gagliasso também... É uma questão que está ficando mais delicada. Vamos identificar se o perfil é falso ou não, e Gil pretende entrar com as medidas legais", informou a sua advogada.

    ResponderExcluir
  8. O comentário e a notícia anterior nos foram enviados por Maura Santos, de Salvador (Bahia), atriz de teatro.

    ResponderExcluir
  9. Pedro luís Moura, de Curitiba (Paraná), que é apicultor e lojista, nos envia um resumo do site RBS sobre os lances ligados a Gil: "O Facebook e o sites Rede Pensa Brasil e Folha Digital terão que retirar do ar links com falsa entrevista em que Gilberto Gil critica o juiz Sérgio Moro e a Lava Jato. Segundo o jornal Folha de São Paulo, a Justiça determinou a retirada do material online desde a última sexta-feira. Na liminar, o Tribunal de Justiça do Rio também obriga o Facebook a dar mais informações sobre Hernandes dos Reis, autor dos comentários racistas sobre Gil na rede social. O homem xingou o artista de "macaco filho da puta". O escritório de advogados Souto Correa, que representa Gil, irá mover uma nova ação contra esse usuário. Gilberto Gil também informou que jamais concedeu entrevista a estes sites".

    ResponderExcluir

Translation

translation