segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

A PRÓXIMA GUERRA MUNDIAL PODERÁ SER AMBIENTAL: EM MEIO AO CARNAVAL OU NO CAOS DO MEIO AMBIENTE NA REALIDADE ATUAL O PAPA ALERTA


Jorge Mario Bergoglio (o Papa Francisco) está sugerindo que a água já é um direito humano e poderá até causar a 3ª Guerra Mundial se tudo continuar como hoje na realidade socioambiental e econômica dos países



 

Jorge Mario Bergoglio coloca a água como um direito humano de todos


 No Vaticano, em Roma (Itália), a principal autoridade mundial da Igreja Católica procurou deixar bastante claro esta questão: "Penso neste tema como um  dos maiores pedaços do nosso atual desafio, estamos a caminho para a grande guerra mundial pela água", alertou Jorge Mario Bergoglio na Casina Pio IV dentro do ciclo de estudos "O Direito Humano à Água: Um Estudo Interdisciplinar sobre o Papel Central das Políticas Públicas na Gestão da Água e dos Serviços Ambientais", que aconteceu antes do início do Carnaval e que está sendo muito debatido nestes dias, não só por religiosos, mas também por ambientalistas e por pesquisadores da atualidade, tomando conhecimento agora dos principais pontos do debate promovido pela Pontifícia Academia de Ciências. Em resumo, a conclusão dos estudos é que a água será a causa de uma terceira guerra mundial. Um exagero ou a visão realista do que anda acontecendo em todo país, onde não há em quase nenhum uma gestão de desenvolvimento sustentável para os recursos naturais e hídricos. Já se fala no 1º Mundo em privatização ou mercantilização da água por parte das megaempresas transnacionais, água que é uma das maiores riquezas dos países que conservam ainda mais natureza ou mantém ainda uma ecologia básica. O Brasil está entre os mais ricos em água (também por aqui em toda a macrorregião do interior do país, por exemplo, no Aquífero Guarani, uma das maiores reservas subterrâneas de água doce de todo o planeta). Diante do crescente desequilíbrio socioambiental, da falta de gestão dos recursos naturais de forma sustentável, equilibrando a economia com a ecologia, este tema fez o Papa Francisco questionar na sexta-feira de Carnaval, o que pode ocorrer nos próximos anos. Ele colocou a questão em tom de pergunta ou de hipótese: poderá a disputa pela água levar a uma 3ª Guerra Mundial? A advertência deste líder mundial foi feita durante evento no Vaticano que discutia o recurso hídrico como algo imprescindível para os homens, como um direito humano, que deve ser bem redistribuído e bem tratado, tudo o que não acontece na realidade de agora praticamente em nenhum país da Terra. 






A Agência Reuters divulga o evento em que o Papa fez o alerta ecológico

As indagações ambientalistas de Jorge Mario Bergoglio na Casina Pio IV no seminário "O Direito Humano à Água: Um Estudo Interdisciplinar sobre o Papel Central das Políticas Públicas na Gestão da Água e dos Serviços Ambientais", tem sido discutida também entre os cientistas da natureza. Um dos destaques do debate foi este este argumento que você conhece agora: "As cifras divulgadas pelas Nações Unidas não podem nos deixar indiferentes, todos os dias, mil crianças morrem devido a doenças ligadas à água e a água contaminada é consumida todos os dias por milhares de pessoas. Deve-se parar e inverter essa situação. Por sorte, isso não é impossível, mas é uma transformação urgente", ressaltou Papa Francisco. Ainda durante o mesmoi encontro, o líder religioso católico relembrou que o recurso é um "direito humano" e quando ele é negado, quando um grupo ou empresa ou um Estado nega esse direito, a sequela "atinge todo mundo e a ecologia, a casa comum de todos nós, todos poderemos sofrer muito". A solução para o problema, de acordo com ele, é dar à água "a centralidade na política pública". Jorge Mario Bergoglio, que exerce a função de dirigente máximo dos católicos, na sua manifestação nestes dias fez ainda um comentário a mais: "Urgente hoje todo país enfrentar a problemática do direito humano à água e a exigência de políticas públicas para enfrentar esta realidade com tanto desequilíbrio, antes do caos", advertiu Papa Francisco. Esta posição coincide com a da maior parte dos cientistas, pesquisadores e ecologistas de todas as nacionalidades e também tem sido tema de matérias por aqui no blog da gente. 


 Dirigentes mundiais de megaempresas querem tornar a água um bem comercial...


...e isso já ameaça o patrimônio natural hídrico também da nossa região


O Papa Francisco alerta sobre evitar o caos hídrico e ambiental...

Imagem divulgada pelo Vaticano com esta mensagem de alerta


Fontes: www.terra.com.br
             Agência Reuters
             www.folhaverdenews.com 

8 comentários:

  1. Está dentro desta advertência do Papa Francisco a "nova seca" que ameaça Brasília, que fica numa das regiões mais ricas em água no mundo, no coração do Cerrado. Este fato demonstra so erros ou os limites da falta duma gestão de desenvolvimento sustentável dos recursos da natureza. E isso não é só no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Hoje no Jornal Hoje da rede Globo o rpblema de abastecimento de água em Brasília foi notícia, algo que noticiamos aqui em nosso blog na semana passada. O tema volta à puta agora com a fala do Papa que busca valorizar os recursos hídricos, um direito de todos e que carece de melhor gestão.

    ResponderExcluir
  3. Com tanta riqueza h´pidrica no Brasil, um baixo nível de água nos reservatórios em Brasília e com o índice de chuvas abaixo do esperado para o período, a população do Distrito Federal enfrenta uma situação de escassez hídrica. Um dos fatores que contribuíram para desencadear a situação foi o desmatamento do Cerrado. Isso em resumo foi o que alertou na Rádio Nacional de Brasília Leonel Generoso, especialista da Universidade Católica do Distrito Federal.


    ResponderExcluir
  4. De acordo com Leonel Generoso ações de preservação do bioma poderiam contribuir para a produção de água. Mais informações num player em radios.ebc.com.br


    ResponderExcluir
  5. "Teremos uma crise em 2018, mas não em função da quantidade de chuva, mas em volume de água que a gente tem nos reservatórios para abastecimento. Além dos fatores climáticos, do uso e da ocupação do solo, acho que um dos fatores mais importantes é o crescimento da população do DF. A própria demanda por água é crescente”, comentário do coordenador do curso de engenharia ambiental e sanitária da Universidade Católica de Brasília, Marcelo Gonçalves Resende, integrante do Conselho de Recursos Hídricos do DF.








    ResponderExcluir
  6. Você pode por aqui o seu comentário ou então enviá-lo para o e-mail da redação deste nosso blog navepada@netsite.com.br
    Outra opção: enviar um e-mail direto pro editor de conteúdo do nosso blog de ecologia e de cidadania, para postar comentário, enviar fotos ou até mesmo sugestões de matérias, mande sua mensagem para padinhafranca603@gmail.com


    ResponderExcluir
  7. "Estou passando o feriado do Carnaval perto de Brasília e pretendia ir andar de canoa e até dar umas braçadas no lago de Paranoá. Será que ele tá secando? Pelo visto, vou ter que dar uma de turista, ficar num restaurante à beira da lagoa imaginando": comentário de José Almir, executivo de comunicação que diz ter visto nossa notícia via o Google já em Goiás.


    ResponderExcluir
  8. "O alerta do Papa Francisco tem a ver em especial com a meta da megaempresas transnacionais, como a Coca Cola ou a Nestlé, que pensam no recurso hídrico só como mercado das águas. Querem privatizar e mercantilizar o patrimônio do povo e da natureza, por exemplo, no Brasil, as águas do Aquífero Guarani": comentário do engenheiro ambiental José Mário Neves, de São Paulo (SP) que diz ter acompanhado as conclusões do dirigente católico pelo site do Observatório Romano.

    ResponderExcluir

Translation

translation