sábado, 11 de fevereiro de 2017

NASA DESCOBRE ASTERÓIDE COMPOSTO SOMENTE POR METAIS NOBRES QUE É TÃO VALIOSO QUE DETONA A ESTRUTURA ATUAL DA ECONOMIA DA TERRA


Asteroide composto inteiramente por ouro e outros metais nobres pode mudar toda nossa referência de valor econômico

 

Desde  2 de Fevereiro de 2017 a NASA divulga imagem do superasteróide

Um asteróide extraordinário que simplesmente pode destruir a economia mundial. Esta foi a mais recente descoberta científica da NASA que é surpreendente e poderá mudar as coisas na Terra e mudar a Terra da maneira menos esperada ou nunca imaginada nem na aventuras tipo science fiction:  conhecido como 16 Psyche, o asteroide localizado entre Marte e Júpiter foi avaliado em nada menos do que 10 quintilhões de dólares e nem só por este valor megastronômico ele é uma das próximas missões da agência espacial norteamericana. O valor impressionante do asteroide 16 Psyche de 200 quilômetros  de diâmetro se deve principalmente à sua composição: ferro, níquel, ouro, platina, cobre e outros minerais nobres. Levando em consideração que a economia terrestre é de aproximadamente 73 trilhões de dólares, a avaliação dele em 10 quintilhões de dólares é realmente totalmente fora de qualquer medida. Agora, uma das questões que esta descoberta levanta é o que poderia acontecer se o homem fosse capaz de explorar os materiais desse asteroide? Uma vez que hoje por aqui em nosso planeta o valor dos objetos é dado em grande medida por sua quantidade e por sua disponibilidade, alcançar o 16 Psyche significaria uma desvalorização automática dos bônus do tesouro (respaldados em ouro), títulos de dívida e ações empresariais, assim como todas as consequências resultantes dessas flutuações, causando um rombo sem igual na história de toda economia terrestre. Ocorre que no momento, a humanidade em nenhum país possui tecnologia suficiente para explorar os recursos deste asteroide de ouro. Somente para 2023, a NASA prevê o envio de uma sonda espacial para então alcançar este corpo celeste e coletar amostras. A sonda só regressará à Terra no final de 2030. E então, somente daqui 13 anos os cientistas poderão começar a pesquisar uma alternativa para explorar este tesouro do espaço. "Por enquanto, devemos tentar p´reservar como um tesouro os recursos da nossa natureza, como a nossa água, para preservar a vida na Terra, inclusive de nossa espécie, porque senão nem chegaremos vivos para usufruir das riquezas extraordinárias do 16 Psyche", comentou por aqui, com um tom de ironia, o editor de conteúdo do nosso blog de ecologia Folha Verde News, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha: "Preservar nossos recursos naturais, que são hoje ameaçados por grandes interesses imediatos e mesquinhos, é uma missão tão difícil explorar este asteróide fora do comum, será que o ser humano terá que avançar na cultura extraterrestre, para assim tornar possível a ecologia em todas as regiões do noisso planeta?". Este comentário pode ter um tom estranho mas de toda forma  "tem toda base na nossa realidade medíocre de hoje ou nos limites atuais do ser humano", conclui Padinha, com os pés no chão e a cabeça nas nuvens, fechando esta edição de hoje por aqui em nosso blog, hoje, fugindo das pautas mais comuns do nosso dia a dia. 


 A NASA já descobriu também planetas habitáveis como o Klepler 186F...


...ou novas Terras como o planeta Trappist-1

Astronautas e cientistas continuam pesquisando...
...para além dos limites da Terra 
... até bases para a criação do nosso futuro...
 ...o astreóide 16 Psyche entre Marte e Júpiter faz parte desta pesquisa


Fontes: NASA  - RT
             www.seuhistory.com
             www.folhaverdenews.com

10 comentários:

  1. Este asteróide 16 Psyche foi descoberto pela NASA numa região entre Marte e Júpiter conhecida como cinturão dos asteróides, que segundo algumas teses ou hipóteses, pode ter sido Juno, um planeta desaparecido. Este fato apenas aumenta o mistério desta situação.

    ResponderExcluir
  2. Pelo fato deste asteroide 16 Psyche, descoberto pela NASA e localizado entre Marte e Júpiter ter sido avaliado em nada menos do que 10 quintilhões de dólares, este fato faz a ambição desmedida dos chamados seres humanos e os governos da Terra ficarem maior ainda do que já são atualmente.

    ResponderExcluir
  3. No vídeo que estamos postando hoje aqui em nosso blog para ilustrar esta pesquisa da NASA,confira, damos uma primeira informação sobre a cientista e astronauta da França, drª Claudie Haigneré: depois de escapar da morte, quando pesquisava DNA dos humanos no Instituto Pasteur, ela está hoje atuando no museu Cité des Sciences.

    ResponderExcluir
  4. Logo mais, por aqui nesta seção de comentários do blog, mais informações: aguarde nossa próxima edição e participe você também desta pauta, coloque aqui a sua mensagem ou nos envie um e-mail para a nossa redação navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Outra opção para participar é enviar um e-mail com sua mensagem ou seu contato pro editor de conteúdo deste nosso blog padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "Realmente, concordo que a ambição humana (ou melhor, desumana) é ainda maior do que o valor fora do comum do asteroide 16 Psyche": comentário de Antenor Moreira Silva, de São Paulo (SP) que nos escreve ainda que "viu alguma coisa sobre este tema no Arquivo X".

    ResponderExcluir
  7. Se aparecesse no Brasil coma área com 200km de ouro e metais preciosos, isso iria gerar violência e guerra, no espaço, pode ocorrer o mesmo mal, os homens não estão preparados para a riqueza e a divisão dos bens": comentário de Zu Dornelles, que se identifica como uma pewssoa huimanirária, seu e-mail veio de São (Paulo (SP).

    ResponderExcluir
  8. "No meio dessa crise absurda de tanto sofrimento violência, corrupção, desgoverno, notícia como essa é como um oásis de sonho": comentário de João José Jorge, produtor cultural, de Juiz de Fora (MG).

    ResponderExcluir
  9. "Pelo vídeo da doutora cientista e astronauta eu entendi que ela pesquisa ligação no DNA entre os seres humanos e os ETs. com para os humanos, mal pros Ets": comentário de Joelma Gonçalves, do Rio de Janeiro (RJ), funcionária pública.

    ResponderExcluir
  10. "Cada vez mais desafios e dúvidas, a vida da nossa espécie parece não ter sido bem resolvida em todos estes séculos, só a liberdade de pesquisa, uma visão humanitária tolerante e ecológica pode nos avançar nessa situação": Rosa Maria, que fez Sociologia na USP e hoje atua como empresária em Curitiba (Paraná).

    ResponderExcluir

Translation

translation