quinta-feira, 23 de março de 2017

13 MILHÕES? É POUCO PARA REVITALIZAR AS SUBBACIAS DO RIO SÃO FRANCISCO QUE COMEÇA NA SERRA DA CANASTRA EM MINAS GERAIS


Rio que é o mar do interior do Brasil clama por despoluição e revitalização sem o que não poderá cumprir sua função ecológica nem servir água ao Nordeste do país na tal transposição: urgente menos política e mais ação ambiental


O São Francisco nasce aqui perto na Serra da Canastra e cruza 7 estados

É o rio mar de todo o povo do interior brasileiro


O Governo de Minas Gerais pelo menos está tentando disparar um processo para revitalizar o Rio São Francisco, que nasce no sudoeste mineiro, bem perto daqui do nordeste paulista, depois, passa por 7 estados antes de desaguar no Oceano Atlântico: as ações de revitalização das sub-bacias buscam estimular um avanço desse sentido, mas os outros estados banhados pelo Velho Chico também precisam investir e o Governo Federal, que promete lançar o plano Novo Chico, destinando 7 bilhões até 2026 para revitalizar toda a Bacia Hidrográfica do São Francisco, precisa agilizar o processo, este rio já vive em algumas regiões uma situação limite. Segundo estudos especializados já feitos no Brasil, a revitalização em toda a Bacia exigirá um total de 30 bilhões de reais! Enfim,13 milhões sendo investidos agora pelo Governador de Minas são praticamente simbólicos diante do tamanho deste desafio, mas de toda forma, é uma atitude exemplar e objetiva, quem sabe possa vir a estimular outros governadores e o Presidente da República fazerem esta recuperação histórica do universo das águas do interior do país. Renovar ou recuperar a ecologia do Velho Chico é o caminho para garantir futuro ao Brasil, que não existirá sem estas águas. 


Tem a mesma dimensão o futuro do país e deste rio


O que o Governo de Minas está começando a fazer na Bacia do São Francisco
 

Já começou em Minas uma proteção das nascentes da Bacia do São Francisco


O primeiro passo, segundo informação dos técnicos de Minas Gerais que nos contataram aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News, é a redução da velocidade de escoamento das águas da chuva. Dessa forma, poderá se amenizar a intensidade dos fenômenos erosivos e o carreamento de sedimentos e solo para os cursos d'água, o que tem provocado assoreamento. Além disso, as ações buscam garantir a infiltração da água no solo. "O que eu fizer para conservar o solo resultará diretamente na qualidade e quantidade de água", explica Rodrigo Carvalho Fernandes, superintendente da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas. A terceira etapa do programa inclui a proteção de 479 nascentes por meio de cercamento, para evitar a entrada de animais e o pisoteio do solo, permitindo assim a revegetação natural. Também serão preservados 217 quilômetros quadrados de matas ciliares e de topos de morro. "Nos locais de mais declividade, a cobertura vegetal do solo é fundamental, pois é onde o escoamento ocorre mais rapidamente", argumenta Rodrigo. Uma outra medida prevista é a construção de mais de 22 mil bacias de captação, conhecidas como barraginhas, que recebem água das chuvas e contribuem para a sua infiltração. Serão criados também 1.268 quilômetros de terraços, nos quais obstáculos possam vir a reduzir a velocidade do escoamento. Haverá ainda adequação ambiental de 137 quilômetros de estradas que ligam as áreas rurais aos municípios. Além de todas as instâncias, estados e esferas do Poder Público, hoje se tornam necessárias parcerias com a iniciativa privada. Mesmo porque revitalizar o São Francisco vai ajudar a um refortalecimento de toda a economia brasileira. O Brasil interior tem que assumir esta tarefa de dimensão nacional mesmo: os investimentos na revitalização das subbacias do Rio São Francisco e afluentes em Minas Gerais são importantes pois no estado ocorre o maior aporte de águas deste rio. Ele passa ainda por Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas, onde deságua no mar, cada vez com menos volume de água e com mais poluição.



O São Francisco tem sofrido as maiores secas da história da ecologia no país

Já começa em alguns pontos do rio a faltar peixes e vida nas águas

 
Fontes - Agência Brasil
              www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. Aguarde, logo mais aqui nesta seção de comentários, mais informações sobre a luta pelo Velho Chico. Desde já você pode colocar aqui também a sua mensagem ou opinião.

    ResponderExcluir
  2. Agaurade a próxima edição dos comentários e se preferir envie a sua mensagem para o e-mail da redação do blog navepad@netsite.com.br e/ou direto pro nosso editor de conteúdo padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. "Estou separando um material de informação para enviar a vocês, OK?": comentário do engenheiro agrônomo Rubens Ferreira, que atua na região de Divinópolis (MG) e viaja ao logo de toda esta Bacia do São Francisco em Minas.

    ResponderExcluir
  4. O vídeo desta edição, rewalizado no Ceará nestes dias, ilustra região nordestina do país, antes e depois das chuvas que aconteceram agora dias atrás. É lá que chegarão também as águas do São Francisco, isso se o rio não morrer pelo caminho. Confira a videoreportagem que tem texto de Euclides da Cunha!...

    ResponderExcluir
  5. "O Brasil está atrasado em 20 ou 30 anos no que se refere à proteção ou à recuperação dos recursos hídricos, no caso do São Francisco, um rio tão vital para o interior do país, as providências já deveriam ter sido tomadas e hoje não estaria nessa situação limite": comentário de Ana Laura Mendes, professora de Geografia, fazendo especialização em recursos hídricos na UFRJ.

    ResponderExcluir
  6. "Como de resto quase tudo no Brasil, uma vergonha a situação dramática do São Francisco, por falta de gestão ambiental dos governantes em tantos anos de alerta dos pesquisadores": Roberto Grassi, engenheiro, de São Paulo (SP).

    ResponderExcluir
  7. Ao longo dos 2.800 km de extensão do São Francisco, um rio totalmente brasileiro, maior so país, com 168 afluentes. Um dos maiores deles é o rio Carinhanha, na Bahia, que aumenta em 20% o volume do Velho Chico, sem contar a sua rica diversidade em peixes. Mais de cem diferentes espécies são encontradas por lá. Mas o Rio Carinhanha está ameaçado, há um projeto de várias barragens hidrelétricas. Este é um outro lado do drama do São Francisco, seus afluentes não estão sendo preservados": comentário de Leonor Batista, de BH (MG), advogado que nos manda um material da WWF sobre este problema, a gente aqui agradece.

    ResponderExcluir
  8. "Importante esta matéria, vou copiar, imprimir e levar pros meus colegas do cursinho, eu pretendo me dedicar à engenharia ambiental no futuro": comentário de Júlio Paiva, de São Paulo (SP), a quem, agradecemos a iniciativa em nome do nosso movimento ecológico, científico e de cidadania.

    ResponderExcluir

Translation

translation