quarta-feira, 22 de março de 2017

GRANDE PARTE DAS PESSOAS VIRANDO VEGETARIANAS HAVERÁ IMPACTO POSITIVO NO AMBIENTE, NA VIDA HUMANA E NA SAÚDE PÚBLICA

Saudável além de mais barato e acessível o alimento vegetariano tende a conquistar mais adeptos o que ajudará a uma realidade mais sustentável ou mais equilibrada entre a economia e a ecologia conclui a BBC Future que levanta esta pauta a partir da operação brasileira A Carne É Fraca e também da necessidade urgente da busca de menos emissões de CO2 que podem, levar a um caos do clima


Imagem do movimento Vegan, movimento crescente entre jovens 


"As proteínas são, em grande parte, associadas ao consumo de alimentos de origem animal, como carne, leite, queijo, ovos ou peixe, mas, há várias alternativas para os que seguem a alimentação vegetariana ou a vegana também. Lentilhas, soja, grão de bico, amêndoas, amendoins ou ervilhas são apenas alguns dos alimentos para serem consumidos como proteínas vegetais  e cujos preços são muito, muito mais acessíveis do que os da carne. Quinoa e soja (em forma de Shoyu ou de Tofu) são dois grãos, por exemplo, que contêm todos os aminoácidos essenciais para uma dieta saudável" (informação que está na BBC Future na edição de hoje e que resumimos aqui para você).

O que aconteceria se o mundo inteiro virasse vegetariano?

 

, da BBC Future, realizou uma longa reportagem, com todos os detalhes que naseu a partir da crise da carne brasileira, sendo embargada em vários países importadores deste agroproduto, inclusive a União Européia, A matéria que está tendo uma grande repercussão internacional, começa comunicando que há uma série de motivos pelos quais as pessoas se tornam vegetarianas. Algumas se dizem contrárias ao sofrimento dos animais, enquanto outras tentam manter um estilo de vida mais saudável. Tem razão os vegetarianos, segundo esta reportagem: reduzir a ingestão de carne traz muitos benefícios à saúde e ao planeta. E quanto mais novos adeptos, mais essas vantagens são reproduzidas em escala global.Mas e se todos nós resolvêssemos nos tornar vegetarianos?...As consequências poderiam ser dramáticas para milhões - ou até bilhões - de pessoas. Andrew Jarvis, do Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT), com sede na Colômbia argumenta que "em países desenvolvidos, o vegetarianismo traria vários tipos de vantagens para a saúde pública e para o meio ambiente. Mas nas nações em desenvolvimento, esta virada de consumo poderia até ser mais complicada". 

Uma pesquisa feita pelos especialistas do CIAT


Este Centro de Agricultura analisou a hipótese de todos os habitantes da Terra mudarem sua dieta, carnívoros virando vegetarianos da noite para o dia. Primeiro, eles observaram o impacto nas mudanças climáticas. A produção de alimentos responde por algo entre 25% e 30% de todas as emissões de gases de efeito estufa geradas pelo homem em todo o mundo. E o grosso disso vem da pecuária, dos desmatamentos e queimadas que transformam florestas em pastos. Apesar disso, o impacto de nossa alimentação sobre o clima é frequentemente subestimado. Nos Estados Unidos, por exemplo, uma família de quatro pessoas acaba sendo responsável pela emissão de mais gases de efeito estufa por comer carne do que por dirigir dois carros todos os dias. Mas, em geral, são os veículos motorizados - e não bifes - que mais aparecem como vilões nas discussões sobre o aquecimento global: "Muitas pessoas não pensam nas consequências que a produção de alimentos tem sobre o clima", diz Tim Benton, especialista em segurança alimentar da Universidade de Leeds, no Reino Unido. "Mas se consumirmos um pouco menos de carne hoje em dia, deixaremos um mundo um pouco melhor para nossos filhos e netos". Por sua vez, Marco Springmann, pesquisador no programa Future of Food, da Universidade de Oxford, tentou quantificar esse argumento, construindo modelos computadorizados que simularam o que aconteceria se todos os seres humanos se tornassem vegetarianos até 2050. Os resultados indicam que, graças à eliminação da carne vermelha da dieta, as emissões ligadas à produção de alimentos cairiam 60%. E se o mundo todo passasse a ser vegano - sem consumir nenhum produto de origem animal - a queda seria maior ainda, em torno de 70%. Marco Springmann procura destacar a importância que as emissões relacionadas à produção de alimentos terão nos próximos anos e para o futuro da vida.


 

Alimentação vegetariana = mais florestas e mais biodiversidade (Você pode conferir mais algumas informações na seção de comentários aqui no nosso blog da ecologia)

 

 
Seja na China ou...
...no Brasil...cresce a onda vegetariana

 

 

 

Fontes:  BBC Future -  www.folhaverdenews.com 

8 comentários:

  1. A cada ano 55 bilhões de animais são mortos para o mercado de consumo de carne.

    ResponderExcluir
  2. Aqui a seguir alguns trechos importantes que estão sendo colocados na matéria hoje da BBC Future: "A gente sabe que a indústria alimentícia, especial a pecuária, também toma muito espaço, o que provoca emissões com a transformação do uso da terra e com a perda da biodiversidade. Dos quase 5 bilhões hectares de terra usados atualmente no mundo para a produção de alimentos, 68% são usados para a pecuária". No Brasil, conhecemos bem essa realidade...

    ResponderExcluir
  3. "Se todos nós virássemos vegetarianos, em um mundo ideal, nós dedicaríamos 80% desses pastos ao reflorestamento, o que aumentaria a absorção de carbono e aliviaria as mudanças climáticas": uma das conclusões da pesquisa da BBC Future.

    ResponderExcluir
  4. "Transformar antigas pastagens em habitats nativos também seria uma bênção para a biodiversidade, inclusive para grandes herbívoros como os búfalos, que perderam seu espaço para o gado bovino, e para predadores como os lobos, frequentemente mortos por atacarem ovinos, suínos e aves. Os 10% a 20% de pastos restantes poderiam ser usados para o cultivo de mais alimentos com a finalidade compensar as falhas no abastecimento de comida. Apesar de um aumento relativamente pequeno na área cultivada, isso compensaria a perda da carne, já que um terço das terras hoje são usadas para produzir alimentos para o gado,não para humanos": (BBC Future).

    ResponderExcluir
  5. Logo mais por aqui, mais argumentos e comentários, inclusive opinião de carnívoros: você pode colocar nesta seção o seu comentário ou então enviá-lo por e-mail para a redação do nosso blog de ecologia via o navepad@netsite.com.br e/ou também e-mails para nosso editor de conteúdo, inclusive para sugerir matérias padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "Um estudo na Universidade de Oxford comprovou que se a Grã-Bretanha adotasse as recomendações alimentares da Organização Mundial de Saúde (OMS), suas emissões de gases de efeito estufa cairiam 17% - algo que poderia cair ainda outros 40% se os habitantes evitassem produtos de origem animal e alimentos processados": BBC Future.

    "São pequenas mudanças que os consumidores nem perceberiam. Não seria algo como ser vegetariano versus ser carnívoro", explica Jarvis.

    ResponderExcluir
  7. "Pelo preço e pela saúde, eu que sou carnívoro, não voraz, mas normal, como a maioria, tenho tentado evitar consumir carne todo dia": comentário de Jair Queiroz, de Salvador (Bahia), artista plástico.

    ResponderExcluir
  8. "Até acho um movimento positivo. Mas tem que ver a questão dos agrotóxicos que são tão nocivos como a carne. Os alimentos orgânicos, sem veneno nenhum, ainda são caros para a maioria, são poucos os que consomem hoje, sendo consumidos em escala, aí sim, poderá mudar o cenário": comentário de Luiza Silva Parente, economista, Curitiba (Paraná).

    ResponderExcluir

Translation

translation