Em dez anos fontes de energias renováveis deverão ser mais baratas do que os combustíveis fósseis poluentes tipo petróleo: será uma revolução energética


O futuro está em nossas mãos, depende da nossa geração





Segundo a ONU Meio Ambiente, 100% da energia consumida no mundo poderá ser proveniente de fontes renováveis até 2050,  a porcentagem chega a pouco mais de 20% atualmente: os custos desse sistema energético renovável, limpo, econômico e ecológico (numa palavra, sustentável) podem ser mais baratos do que combustíveis fósseis ainda em dez anos. "O preço mais acessível é o que falta para se concretizar esta revolução energética no planeta e em nosso país também, algo que deverá concretizar um desenvolvimento de verdade, colocando em prática a tão sonhada sustentabilidade", comentou agora aqui no blog Folha Verde News o nosso editor de conteúdo, o ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha, ao inserir nesta webpagina estas informações da hora e das Nações Unidas. 
 
 
A nossa geração poderá ajudar esta revolução energética que cria o futuro



O Brasil tem um potencial extraordinário em Energia Eólica...

...precisam avançar a usinas de Energia Solar também no nosso país do Sol
100% da energia consumida no mundo pode ser proveniente de fontes renováveis pelo menos até 2050 mas os custos desse sistema energético podem ser mais baratos do que combustíveis fósseis em dez anos, isto é, estamos à beira duma revolução em termos econômicos e ambientais.  Este fato é o que aponta um novo relatório sendo divulgado pela Rede de Energias Renováveis para o Século 21 (REN21) em parceria com a ONU Meio Ambiente. Atualmente, somente 20% da energia utilizada em todo o mundo é derivada de fontes renováveis: "O relatório pretende estimular a discussão e o debate sobre as oportunidades e os desafios de alcançar um futuro de energia renovável de 100% até meados do século", argumentou a secretária-executiva da REN21, Christine Lins:  "O pensamento positivo não nos levará até lá., precisamos agir. Apenas compreendendo os desafios e se engajando em um debate bem informado sobre como superar os obstáculos em meio à civilização do petróleo,  só indo à luta e pressionando os governos a adotarem políticas e incentivos financeiros adequados para então acelerar o ritmo de implementação desse tipo de energia limpa,a maravilha acontecerá". Ainda de acordo com Lins, 2016 foi o terceiro ano consecutivo em que a economia global continuou a crescer em 3%, mas as emissões relacionadas ao setor de energia diminuíram. Para ela, este situação se refere  principalmente às energias renováveis e aos investimentos eficientes promovidos pela China e pelos Estados Unidos. O Brasil mal entrou ainda no mapa desta nova estrutura energética, que se expressa pela implantação de usinas de Energia Solar e Eólica, entre outras alternativas de avanço. O relatório destacou os interesses da indústria de energia convencional (a megaindústria petrolífera) como um dos principais entraves para se alcançar a transição de 100% em algumas regiões na África, nos EUA e no Japão. Esta é também a realidade observada no Brasil e na maioria dos outros países na atualidade.  Além disso,  também a falta de segurança política em longo prazo e a ausência de um clima estável para o investimento em eficiência energética e energias renováveis são fantasmas que dificultam o desenvolvimento na maioria das nações. O relatório sendo divulgado agora é baseado em entrevistas com nada menos do que 114 especialistas em energia de várias regiões do mundo. E você pode acessar o original deste documento histórico no site que nos serve aqui como a fonte de toda esta informação www.nacoesunidas.org  onde está um link para este relatório extraordinário para a criação do futuro sustentável, que se chama Renewables global futures report/ONU Paris, sendo que o documento leva a assinatura do especialista Arthouros Zervos.  Vamos em frente, OK? Confira mais informações sobre esta pauta na seção de comentários aqui em nosso blog da ecologia e da cidadania.

O sonho dos cientistas e ecologistas pode virar realidade em alguns  anos

Fontes: www.nacoesunidas.org
             www.folhaverdenews.com