quinta-feira, 13 de abril de 2017

CORRUPÇÃO É CRÔNICA E HISTÓRICA NO BRASIL (TAMBÉM NAS SECRETARIAS DO MEIO AMBIENTE EM ESPECIAL NA AMAZÔNIA)

Overdose da corrupção: Valmir Ortega, ex-secretário da Secretaria de Meio Ambiente do Pará, há algum tempo (no site Carta Capital) e reportagem em Exame também já antecipou os principais efeitos danosos de atos corruptos de políticos que é a pauta de hoje de todas as conversas e lutas de cidadania no Brasil 2107


O alcance da corrupção vai muito além do que é mais óbvio

Entrevistado por Desirèe Luíse, Valmir Ortega, ex-secretário de Meio Ambiente do Pará, 2 anos após deixar o cargo, revelou em entrevista que foi exclusiva a dificuldade de reduzir o desmatamento ilegal e a grilagem na região por causa do esquema crônico de corrupção no setor. Atualmente, Ortega é diretor do Programa Cerrado Pantanal da ONG Conservação Internacional do Brasil. Segundo ele, a maior parte de produtores do agronegócio na Amazônia age de forma ilegal para benefício próprio. “No Pará, especula-se que 4 milhões de m³ gerem entre R$ 2,5 bi e R$ 3 bi ilegalmente, por ano. Quem movimenta isso tem um altíssimo poder de corrupção”, comentando ainda que "no caso da Amazônia, é praticamente impossível um secretário ambiental, que queira fazer um trabalho sério, permanecer na função e no cargo. Falando do meu caso, em particular, uma eleição estadual estava se aproximando, quando acontece algum tipo de afrouxamento das tensões, com trocas e favores: eu não estava interessado em participar. Como já disse, secretário de Meio Ambiente tem prazo de validade na região". Este é um resumo básico da entrevista dada com coragem por Valmir Ortega, na seção de comentários aqui em nosso blog de ecologia e de cidadania, mais alguns detalhes desta situação super lamentável. Confira lá e agora, a seguir, em uma outra matéria de extrema importância, os 5 efeitos danosos da corrupção no Brasil, levantados pela revista e site da Exame, da editora Abril. 


Valmir Ortega entregou o que rola nas secretarias estaduais de Ambiente


Principais efeitos da corrupção visível e também invisível  em todo setor do país



Cidadãos e cidadãs de olho para ver até onde vai esta tragédia


A jornalista Marina Pinhoni foi quem fez na Exame há algum tempo uma previsão do que viriam a ser as sequelas de todo o esquema de ação dos corruptos na política brasileira, que agora atinge um ponto máximo, overdose de corrupção, bem como revolta de cidadania, da população que é a maior vítima e do próprio país, prejudicado por falta de gestão pública ou excesso de erros de muitas autoridades governamentais e parlamentares. "Se você compara o Brasil com outros países na avaliação de políticos, por aqui tem uma percepção de corrupção bem mais alta do que a média mundial”, afirma Roberto Abdenur, diretor do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO), que lançou o livro “Corrupção – Entrave ao Desenvolvimento do Brasil”, organizado pelo jornalista Oscar Pillagalo e citado na reportagem especial de Pinhoni. Embora a indignação da população aconteça devido à conclusão óbvia de que os recursos desviados deveriam ser utilizados em áreas essenciais como saúde, educação, ambiente e transporte, muitas vezes não há a consciência de que a prática da corrupção também esconde outras consequências tão sérias quanto estas. Confira algumas das principais aqui na sequência. 
Multiplicação dos prejuízos
“Estudo recente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que cada R$ 1 desviado pela corrupção representa um dano para a economia e para a sociedade de R$ 3”, afirma o diretor do ETCO. O não recolhimento de impostos e os empregos que deixarão de ser criados, por exemplo, entram nesta conta. Segundo Roberto Abdenur, embora não seja possível mensurar exatamente qual é o prejuízo total causado pela corrupção, em todo setor, no carente Meio Ambiente também, os fatores multiplicadores não podem ser ignorados nesta hora de avaliação crítica da realidade. Multiplicação dos prejuízos
Contaminação dos ainda honestos
Outro efeito que pode ser percebido, honestos contaminados por corruptos. Agentes públicos que antes exerciam suas funções corretamente podem passar a agir pensando em benefício próprio ao perceberem as vantagens que os colegas desonestos obtêm. No mínimo, sentirá um grande desestímulo na profissão. Muitas vezes os honestos são ameaçados caso não concordem em fazer parte do esquema vigente em sua área. Para o diretor do ETCO, a “vacina” contra esse problema seria a adoção de medidas severas de punição.
Aumento da ineficiência geral no país
O excesso de burocracia também pode fazer parte do ciclo vicioso da corrupção. "A ineficiência alimenta a corrupção e a corrupção alimenta a ineficiência", disse também  Roberto Abdenur.  O diretor do ETCO dá como exemplo neste caso a figura do despachante, que é um intermediário contratado pelo cidadão diante da dificuldade que ter acesso a um serviço que é público. "Às vezes esses despachantes acabam subornando os servidores públicos para agilizar o serviço. O excesso de burocracia torna o sistema ainda mais oneroso". 
Sensação de impunidade do cidadão
Reduzir a corrupção a zero é quase impossível. "Mesmo em países mais desenvolvidos existe corrupção e, por vezes, ela não é pequena”, afirma ainda o entrevistado. O principal problema do Brasil então, na opinião do especialista, é a falta de punição correta para esse tipo de crime. “No Brasil existe um problema sério de impunidade. Nos Estados Unidos, a média para que uma sentença em casos de corrupção saia é de um ano. Já no Brasil, esse tempo é de dez”. Ainda agora, a BBC avaliou aos processos da Lava Jato e pelo atual rítmo eles devem se estender até 2022!...A quantidade de recursos permitidos pelo sistema judiciário brasileiro contribui para que casos sejam arrastados até sua prescrição, fazendo com que culpados saiam ilesos de suas acusações. "Isso cria uma cultura de leniência com as transgressões. O cidadão é até levado a pensar: se o político rouba e não acontece nada, então também vou deixar de pagar meus impostos...
Desmoralização das instituições (da democracia e da honestidade)
Pesquisa realizada pelo Ibope no auge das manifestações de 2013, 2014 já havia apontado que 89% dos entrevistados não se sentiam representados por partidos políticos. Depois disso, um novo levantamento de opinião revelou que a confiança dos brasileiros nas instituições em geral e nos grupos sociais caiu 7 pontos em relação ao ano passado: "Isto é, existe total descrédito em relação aos políticos e por consequência aos partidos e instituições. O Estado enfrenta uma crise que só será resolvida com a criação de mais pontes de interlocução com a população", sugere Roberto Abdenur, como uma alternativa para mudar esta realidade, avançando a ética e a cidadania na vida pública. Na opinião de boa parte do movimento ecológico e científico, ligado à ação cultural deste blog, quem sabe uma Constituinte com nova estrutura e novas eleições gerais no Brasil possam zerar estes fantasmas que além do mais estão levando o país a um impasse e nos deixando cada vez mais longe do que é uma Nação de verdade. (Antônio de Pádua Silva Padinha)


Mudar e avançar o país é uma tarefa monstro da Cidadania agora

Fontes: www.cartacapital.com.br
             www.exame.abril.. com.br
             www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. A seguir aqui, editaremos mais informações sobre este assunto, deixe aqui vc tb o seu comentário ou envie sua mensagem para a redação do nosso blog de ecologia e de cidadania navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  2. Participe vc tb deste debate urgente no país agora, vc pode optar por contatar o editor de conteúdo deste blog e sugerir matérias, criticar esta de hoje, dar a sua opinião, mandar fotos, charges ou vídeos para padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Aguarde a próxima seção de comentários a seguir, faça como Jonas Ribeiro, advogado, que atua em São Paulo, capital e é de Bauru (SP)e que fez o seguinte comentário enviado a nós por e-mail: "O sistema de corrupção está prejudicando demais o Brasil e a principal vítima é a população".

    ResponderExcluir
  4. "A corrupção no Brasil está longe de ter um fim, de tempos em tempos ela ganha novos formatos e incluiu novos atores. Quando estávamos chegando à conclusão que a corrupção é coisa dos políticos, chegou a ser descoberto um esquema de venda de decisões no Poder Judiciário. Quando pensamos que a corrupção está acabando com tanta denúncia, novamente, nos vemos em meio a um turbilhão de escândalos públicos, o que tem sido uma situação constante, desde à época em que éramos uma simples colônia, até os dias atuais": comentário de Wilson Matos Sil,a de Dourados no Mato Grosso, ele é um índio da aldeia de Jaguapiru que se formou em Direito e em Jornalismo.

    ResponderExcluir
  5. A seguir outros trechos do texto a nós enviado para este blog de cidadania, escrito pelo indígena advogado e jornalista na região de Dourados, no Mato Grosso: "A corrupção no Brasil, afeta diretamente o bem-estar dos cidadãos brasileiros, na medida em que diminuem os investimentos públicos na saúde, na educação, em infraestrutura, segurança, habitação, entre outros direitos essenciais à vida, e fere criminalmente a Constituição quando amplia a exclusão social e a desigualdade econômica. Acredito que grande parcela dos atos de corrupção fique escondida nas entranhas públicas. Temos a corrupção política, a corrupção de servidores e de cidadãos desonestos. A corrupção sempre tem dois lados, um corrompendo e outro sendo corrompido".

    ResponderExcluir
  6. Na sequência, mais trechos do mesmo texto que nos foi enviado por Juraci Sousa, escrito por Wilson Matos da Silva: "Desde criança escutava falar sobre a tal da corrupção, agora podemos ver, todos dias, ao vivo e a cores na TV. No âmbito administrativo temos um carnaval de queixas, denúncias e escândalos. Somente para citar alguns exemplos: a indústria de multas de trânsito em diversas cidades, desvio de verbas através de falsas ONGs, fiscais corruptos, licitações fraudulentas, entre tantas outras situações. Não são só os políticos, é toda uma cultura de erros".

    ResponderExcluir
  7. "Certamente, a corrupção é um fenômeno difícil de ser combatido, especialmente quando ela decorre de causas históricas e estruturais. Por exemplo, uma de suas causas é o sistema político e o tipo de gestão, o modelo administrativo, herança da colonização portuguesa, que preservou os vícios do patrimonialismo e do clientelismo. Esse sistema se caracteriza pela apropriação do patrimônio público como se privado fosse e pela concessão de benefícios públicos, na forma de empregos, benefícios fiscais, isenções, em troca de apoio político, sobretudo na forma de voto": comentário de Wilson Matos da Silva, indígena em Jaguapiru, no Mato Grosso e formado em Direito e também em Jornalismo, atuando na imprensa em Dourados.

    ResponderExcluir
  8. "A corrupção é um crime de cálculo e não de paixão. Ou seja, o comportamento corrupto deriva menos da carência de princípios morais ou éticos, do que das condições materiais que permite que ele ocorra. De acordo com essa teoria, a corrupção envolve principalmente três variáveis: a oportunidade para ocorrer o ato ilegal, a chance de a ação corrupta ser descoberta e a probabilidade do autor ser punido": comentário do professor Robert Klitgaard, que diz ainda que só para citar um caso, "no Brasil são mais de 20 mil cargos em comissão para os quais um Presidente da República pode nomear servidores sem concurso público, isso dá um mau exemplo e estimula outros desvios através de toda a administração pública em todo o país. Precisa mudar toda a estrutura da política e da administração".

    ResponderExcluir

Translation

translation