quarta-feira, 26 de abril de 2017

DOIS BRASILEIROS ESTÃO ENTRE AS 100 PESSOAS MAIS INFLUENTES DO MUNDO ATUALMENTE SEGUNDO LISTAGEM DA REVISTA TIME

Todos por aqui conhecem o jogador Neymar mas Celina Turchi quase ninguém no Brasil sabe quem é: médica e cientista respeitada internacionalmente ela é de Goiás e está atuando hoje na Fiocruz em Pernambuco



Neymar da Seleção e do Barcelona está entre os ícones


Drª Celina Turchi citada como pioneira na lista dos Top 100 do mundo


Entre as 100 pessoas mais influentes do mundo escolhidas este ano pela revista norte-americana Time figuram dois conterrâneos nossos, um deles é o mundialmente conhecido craque de futebol Neymar Jr., o outro é a outra, médica epidemiologista Celina Turchi, de 64 anos, cientista brasileira e goiana atuando agora como pesquisadora convidada na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Pernambuco. Conforme nos informa Sumaia Villela, correspondente da Agência Brasil, Drª Celina foi colocada entre os 100 mais influentes do planeta na categoria Pioneiros, ela é professora aposentada da Universidade Federal de Goiás (UFG) e ganhou notoriedade pelo papel que desenvolveu na investigação dos casos de Microcefalia e a relação com o vírus Zika. Foi ela a responsável por formar uma rede, com cerca de 30 de profissionais de diversas especialidades e instituições, reunidos no Merg – Microcephaly Epidemic Research Group (Grupo de Pesquisa da Epidemia de Microcefalia). Este grupo de pesquisadores conseguiu identificar como o vírus Zika e a Microcefalia estavam associados em apenas três meses. Pelo mesmo motivo, no fim do ano passado, Celina Turchi já fora citada na lista dos dez cientistas mais importantes de 2016 da revista Nature (uma das publicações científicas mais importantes do mundo). Apesar do destaque no meio científico, a pesquisadora se considera apenas uma representante a mais do setor da Saúde, que até hoje trabalha em conjunto para responder as tantas questões ainda em aberto sobre o vírus Zika e suas consequências. Nestes dias em Nova Iorque, ela defendeu a manutenção de recursos para o meio científico (no Brasil há a ameaça de corte de investimentos governamentais em pesquisa entre 20 e 40%), opinou sobre a atualidade da Saúde Pública em nosso país, com visão crítica e objetiva, além de comentar sobre o assunto que lhe rendeu fama internacional: o vírus Zika e a síndrome congênita causada por essa arbovirose. Drª Celina foi entrevistada por vários veículos da mídia, também pela Agência Brasil, em resumo uma de suas opiniões (sobre o trabalho que desenvolveu) mostra o respeito que ela tem pelo setor científico, como um movimento coletivo de descobertas e de inovações: "Eu acho que as evidências que tivemos nessa epidemia é que apesar dos pesares o setor público de saúde do Brasil tem áreas de excelência, por exemplo, de pesquisa. Basta lembrar que os primeiros casos de Microcefalia foram notificados por neurologistas, a doutora Ana Van der Linden e a doutora Vanessa Van der Linden, que trabalhavam em hospitais públicos do Recife. Também teve a contribuição enorme do doutor Carlos Brito, um médico infectologista que formulou essa primeira hipótese, da possibilidade de que a epidemia de Zika pudesse estar causando Microcefalia. Há toda uma rede de pesquisadores que tinham uma experiência, um trânsito internacional muito grande com laboratórios produzindo antígenos, testes laboratoriais que pudessem ser aplicados. E então eu vejo que a manutenção de institutos de saúde públicos, de centros de excelência no país, isso é parte essencial até de uma estratégia de segurança. Porque as epidemias, principalmente de saúde pública, são uma ameaça local e podem ser uma ameaça global, como foi essa, que ainda persiste. E também por uma de redução do impacto econômico que as epidemias causam, acho que a gente tem que no mínimo manter e reforçar essas instituições e a formação de pessoal", concluiu Celina Turchi, defendendo investimentos em pesquisa que ultimamente andam ameaçados de cortes no Brasil e em vários países. Estes cortes podem atrapalhar o desenvolvimento sustentável e o próprio futuro da nossa vida. Mais nomes da lista dos 100, mais detalhes e opiniões na seção de comentários aqui do nosso blog, confira.


A pesquisadora Celina Turcci foi citada na lista de 100 pessoas mais influentes no mundo, pela revista Time. Ela trabalhou com o grupo de cientistas que descobriu a relação entre casos de grávidas com Zika e o nascim
Drª Celina foi quem descobriu a relação entre casos de grávidas com Zika e o nascimento de bebês com Microcefalia



Fontes: Agência Brasil
             www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. Drª Celina Turchi foi um dos destaques da revista Nature em 2016 e agora está entre as 100 pessoas mais influentes do mundo, segundo a revista Time e aqui o que ela disse em resumo sobre esta posição de destaque. "Eu gosto de me ver como alguém que é “representante” dum setor. É isso que eu me sinto, uma representante do grupo de investidores e profissionais de saúde brasileiros que se empenharam tanto, desde o início dos acontecimentos extraordinários, do ponto de vista científico, que vêm ocorrendo no Brasil. Normalmente,o grupo de cientistas almeja, quando muito, o reconhecimento entre os próprios cientistas. Dificilmente existe esse reconhecimento social. Mas eu acho que esse reconhecimento é importante principalmente em momentos onde se há menção de retirada de recursos para a pesquisa. Para que se entenda que a manutenção e o aprimoramento de instituições de ensino e pesquisa públicas, não só no Brasil, mas no mundo, são essenciais para dar respostas a ameaças em saúde".

    ResponderExcluir
  2. A revista Time divulgou nesta semana a sua tradicional lista das 100 pessoas mais influentes do mundo. Representando o Brasil, temos o jogador Neymar, na categoria Ícones, e a cientista Celina Turchi, na categoria Pioneiros, por seu importante papel na descoberta recente da relação entre a Microcefalia e o vírus da Zika. A lista conta com mais três categorias: Artistas, Líderes e Titãs. Nomes como Emma Stone, Ed Sheeran, Demi Lovato, Alicia Keys, Margot Robbie, Sarah Paulson, James Corden, John Legend e Leslie Jones são alguns nomes que integram o time, assim como Viola Davis, a modelo plus size Ashley Graham, a ginasta Simone Biles e de RuPaul. O jogador de futebol americano Tom Brady e de basquete Le Bron James também estão na lista. O Papa Francisco e políticos como Donald Trump (a citação mais polèmica), Kim Jong Un e Vladimir Putin se fizeram presentes. Um nome positivo para o futuro da mídia e a liberdade de informação foi o de Julian Assange, o perseguido jornalista do grupo Wikileaks.



    ResponderExcluir
  3. Logo mais mais detalhes desta pauta de hoje aqui na seção de comentários, aguarde nossa próxima edição e confira. Você pode por aqui o seu comentário ou então se preferir enviar como mensagem pro e-mail da redação do nosso blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Você pode também mandar mensagem com seu comentário ou outras informações, fotos, vídeos ou sugestão de pauta pro editor de conteúdo do nosso blog de ecologia e de cidadania padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Estas listagens são quase sempre furadas porque mais políticas do que qualquer outra coisa, mas sempre há alguns nomes que valem a pena serem divulgados em todo o planeta, como é o caso desta médica brasileira, do Papa ou de jornalistas mais independentes como Julian Assange"; comentário de Dorval Mendes, de Santos (SP), exportador.

    ResponderExcluir
  6. E por falar em talentos brasileiros, nosso blog está postando hoje o 1º videoclip de Deize Pinheiro, do Amapá, com um trabalho que já começa a se destacar na MPB de hoje e será mostrado em turnê por Portugal.

    ResponderExcluir
  7. "O Brasil não é só futebol, tem Neymar e compania mas também, cientistas como a Drª Celina Turchi de quem só tinha ouvido falar aqui mesmo neste blog numa matéria sobre a Fiocruz. Gente como ela precisa ser mais divulgada pela mídia": comentário de Rosa Sanches, de Florianópolis (SC), que atua como representante comercial na grande Floripa.

    ResponderExcluir
  8. "Diante do que rola na mídia do Brasil, parece que por aqui só tem funk e boleiro, está mesmo na hora de valorizar talentos de outros setores": comentário de Raul de Souza, do Rio de Janeiro, que diz ter acompanhado ao vivo palestra na UFRJ sobre a pesquisa da Drª Celina Turchi.

    ResponderExcluir

Translation

translation