sexta-feira, 21 de abril de 2017

PRÁTICAS MILENARES DE MEDICINA NATURAL CHINESA SUCESSO NA ATUALIDADE TAMBÉM ENTRE OS JOVENS EM VÁRIOS PAÍSES (POR AQUI TAMBÉM)



Benefícios da medicina natural chinesa para uma vida equilibrada, saudável e feliz estão em alta hoje: a proposta é investir em saúde e em paz para evitar as doenças e os desequilíbrios também para recuperar a ecologia perdida da vida





 
Práticas medicinais chinesas milenares têm a ver com a ecologia humana



Recebemos a informação através de Marianne Montedori enviada ao nosso blog
de ecologia Folha Verde News, tendo como pauta básica a medicina natural 
e tradicional chinesa que visa equilibrar o corpo e a mente por meio de suas
técnicas milenares e práticas de cura. Em resumo, esta linha terapêutica, a 
terceira medicina mais antiga do mundo (atrás apenas da Egípcia e da
Babilónica) propõe a cura natural de doenças crônicas ou de desarmonias
no equilíbrio da gente por meio de uma das formas mais antigas de ciência
da saúde e da vida. Considerada um tipo alternativo de tratamento, a medicina
          da China antiga em suas diversas especialidades, como acupuntura ganhando cada vez mais adeptos por conta de seus resultados satisfatórios, são 
práticas ao alcance de todos (também do ponto de vista econômico),
sem contraindicação nenhuma, que pode ser aliada com esporte ou com dança
ou com yoga ou meditação, renovando e revitalizando as energias mais puras 
do ser humano hoje perdidas em meio às sociedades de consumo e à cultura
da violência no dia a dia em quase todo lugar do mundo, por aqui também.


Principais métodos da Medicina Tradicional Chinesa aqui para você

 


1. Práticas físicas (exercícios integrados de respiração e circulação de energia
e meditação como: Chi Kung, o Tai Chi Chuan e algumas entre todas as artes 
marciais) consideradas métodos profiláticos para a manutenção da saúde ou
formas de intervenção para recuperá-la: estas técnicas estão entre as que 
mais fazem sucesso hoje entre jovens de todos os países, especialmente 
depois do êxito fora do comum de Michel Phelps dentro das piscinas em
disputas olímpicas, ele que é hoje o mais famoso praticamente desta
cultura da vida, uma alternativa hoje reconhecida pelos cientistas. 




Tai Chi Chuan é praticado em muitas cidades do mundo hoje, por aqui também



 
2. Fitoterapia chinesa (fármacos), que é também chamada de medicina 
herbal, a linha chinesa nada mais é que a terapia através das plantas. 
Das plantas medicinais. Esta forma de tratamento se utiliza de vários
ingredientes de origem animal ou mineral na elaboração de suas  belas
fórmulas. No entanto, não é tão bem conhecida no ocidente como a
acupuntura, possivelmente porque é mais complexa e seus efeitos não
não são tão imediatos quanto os da acupuntura, que  pode reduzir
rapidamente a dor. Na fitoterapia chinesa, não se pensa em cura 
mas sim em equilíbrio, pois o organismo busca a autocura. Para tanto
precisamos desestagnar algumas energias paradas, como no caso da 
maldita TPM, que para medicina chinesa é estagnação do sangue e 
a pessoa necessita de ervas, que aqueçam e melhorem a circulação 
do sangue, principalmente naquela parte do corpo sensível. 







3. Acupuntura é a abordagem da  medicina natural chinesa milenar mais conhecida e disseminada no Brasil. Sua terapia consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo. Estas agulhas são aplicadas pelo acupunturista no local correspondente à situação a ser tratada, no próprio local e/ou no meridiano correspondente à doença a ser tratada. O objetivo é estimular o próprio organismo a melhorar seu funcionamento, já que a técnica é capaz de ajustar canais energéticos do corpo, chamados na acupuntura de meridianos, de acordo com equilíbrio de yin e yang.



4. Tuina ou Tui Ná (massagem e osteopatia chinesa) consiste no uso das mãos como instrumento para tratar doenças é uma das mais antigas formas de medicina chinesa. Isto pode ser comprovado na história médica de uma das mais antigas nações do mundo, porque, o costume de esfregar, comprimir, amassar ou bater com as mãos em seus corpos ou os de seus companheiros, a fim de se livrarem do frio, ou do desconforto ocasionado pela fadiga, distensão abdominal e vários outros ferimentos, é um instinto inato do ser humano. É, literalmente, uma das técnicas mais relaxantes de tratamento que existem hoje.




Também práticas milenares de energizar o corpo









5. Dietoterapia (terapia alimentar chinesa): como o próprio nome sugere é a prática de prevenção e tratamento de doenças através do uso de alimentos naturais. A dietoterapia emprega os elementos Yin Yang na alimentação e no preparo dos alimentos, ou seja, considera sempre a energia de cada alimento. No entanto, seu tratamento é lento. Por isso é indicada na prevenção e manutenção da saúde. Segundo dietoterapistas, todos os alimentos possuem valor energético e devem ser consumidos de acordo com a deficiência energética do paciente. Os alimentos classificados como Yang aumentam o calor do corpo, ou seja, aceleram o metabolismo, enquanto os alimentos Yin diminuem o calor do corpo, promovendo sua desaceleração.



6. Auriculoterapia (tratamento pela orelha) é uma terapia que consiste na estimulação com agulhas, sementes de mostarda, objetos metálicos ou magnéticos em pontos específicos da orelha para aliviar dores ou tratar diversos problemas físicos ou psicológicos, como ansiedade, enxaqueca, obesidade ou contraturas, por exemplo. A auriculoterapia está indicada no tratamento  de problemas reumáticos, respiratórios, cardíacos, urinários, digestivos, hormonais (como obesidade, anorexia ou doenças da tireoide) e psicológicos, como ansiedade ou depressão como caminho para o equilíbrio e a paz. 







 Michel Phelps é um praticante da cultura chinesa








7. Moxabustão trata dos desequilíbrios através de aplicação de calor em pontos do corpo humano, removendo e desobstruindo os bloqueios de energia e restabelecendo o seu fluxo saudável. A moxa é preparada a partir da Artemísia (Artemisia Vulgaris e Artemísia Sinensis), uma erva perene comum. Suas folhas aromáticas são lavadas, secas, trituradas e peneiradas várias vezes até que fiquem macias e se transformem em uma massa uniforme, semelhante a uma lã vegetal. Após esse preparo ela pode ser moldada de diversas formas para a sua utilização: solta (lã), prensada (palito), enrolada (bastão), adesiva (cones), enrolada fina (cigarro) resinada (auricular), sem fumaça (com carvão) aromatizada (com carvão). As mais comuns são no formato de bastão e em cone. Também é indicado para dores musculares, relaxamento físico e mental, estresse, ansiedade, depressão, insônia, dores nos joelhos, asma, busca da concentração, do equilíbrio do corpo, da mente e as energias mais sutis da pessoa, como recentemente explicou o superatleta Michel Phelps em palestra na Universidade da Califórnia (USA), tema de uma reportagem na NBC. O nadador falou a estudantes e professores sobre os bons resultados de práticas como Moxabustão e Ventosa, terapias que o ajudaram a recuperar as melhores performances nas piscinas. Phelps participou também duma sessão de Tai Chi Chuan, como uma forma saudável de dança e de descontração. 






8. Ventosaterapia tem um foco: onde as agulhas não funcionam, deve aplicar moxabustao, e caso ainda não se obtenha bons resultados, coloque ventosas. Este é um tipo de terapia que tem como procedimento a colocação de campânulas ou copos redondos de vidro sobre a pele, gerando a sucção do local, como ventosas. Seu objetivo é controlar a corrente sanguínea. Sua base é a troca gasosa, visando limpar o sangue pela pele, já que a ventosa tem a mesma fisiologia da troca gasosa do pulmão e dos rins. Desse modo, os gases e toxinas estagnados no corpo pela pressão negativa produzida pelo vácuo são liberados, tornando o sangue bioquimicamente equilibrado, com o pH das células homogeneamente estável. Segundo a MTC (Medicina Tradicional Chinesa), as toxinas acumuladas pela sujeira da água, dos alimentos, ou emoções desequilibradas causam a estagnação do sangue coagulado, escuro, sujo, nos músculos das costas ou nas articulações, causando as doenças, daí a necessidade de retirá-lo para que a pessoa possa se restabelecer. Assim, podemos dizer que a ventosaterapia é tida como o Tratamento Negativo, que consiste em trazer as células doentes do sangue, do interior do corpo para a superfície, através de fortes absorções, e assim recuperar o equilíbrio da saúde e a alegria de viver.  








As energias mais sutis ao alcance de sua mão







Fontes: www.rac.com.br

             www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. Logo mais, ao longo do feriado de 21 de abril, por aqui editaremos mais mensagens, informações e comentários, aguarde nossa próxima edição e participe.

    ResponderExcluir

  2. Você pode colocar aqui a sua mensagem ou se preferir envie num e-mail para a redação do nosso blog de ecologia e cidadania navepad@netsite.com.br



    ResponderExcluir

  3. Você pode também contatar nosso editor de conteúdo deste blog pelo e-mail padinhafranca603@gmail.com


    ResponderExcluir
  4. "Estou ligado nessa cultura da vida também e creio que é melhor do que qualquer lazer ou remédio hoje em dia praticar o Tai Chi Chuan": comentário de Leonor jeirissati, de São Paulo (SP), executiva de empresa de TI.

    ResponderExcluir
  5. "Tenho dificuldade de usar medicamentos alopáticos e devido a isso estou interessada em procurar estas práticas de Medicina Natural da China antiga": comentário de Antônio Carlos Araújo, do Rio de Janeiro (RJ), ligado à imprensa esportiva.

    ResponderExcluir
  6. "Tudo o que se constrói no campo da consciência e das emoções vai sendo, ao mesmo tempo, edificado no corpo físico, transformando a maneira como ele se expressa e mostrando, cada dia mais, que a saúde física tem tudo a ver com a emocional. Por trás desse aparente clichê sobre a relação entre corpo e mente há uma verdade incontestável: as descobertas de Albert Einsten, que, no início do século 20, além da teoria da relatividade, concluiu que matéria e energia estão tão entrelaçadas quanto o espaço e o tempo. E isso tem tudo a ver com bem-estar e saúde, garantem especialistas, como o clínico médico e homeopata Euder Airon Morais, defensor da ideia de que não existe cura possível de fora para dentro. Este é também por sinal um dos fundamentos da medicina natural da China há muito, muito tempo atrás": comentário de Rita Helena, de Belo Horizonte, Minas Gerais, que faz um mestrado na UFMG.

    ResponderExcluir
  7. “É preciso fugir da dicotomia. Não existe prática médica do bem ou do mal. Alopatia e homeopatia são processos complementares. Centros de saúde como o Hospital Israelita Albert Einsten e o Hospital Sírio-Libanês (São Paulo) já abraçaram a ideia, trabalhando com um conceito de cura ampliado, no qual a cura deixa de ser compreendida apenas como o fim de um sintoma e, seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), passa a ser vista como o restabelecimento do bem-estar físico, mental e social do paciente, num caminho mais amplo e subjetivo de aproximação de um estado de equilíbrio global. Para isso, oferecem aos pacientes ioga, meditação, reiki, acupuntura, musicoterapia, técnicas de relaxamento corporal, práticas de meditação e de medicina tradicionalç chinesa também": comentário de Euder Airon Morais, médico em São Paulo (SP).

    ResponderExcluir
  8. "Esta matéria será muito útil para muita gente da minha família e da minha empresa": comentário de Edson dos Santos, de São José dos Campos (SP), que é executivo na área de transportes.

    ResponderExcluir

Translation

translation