terça-feira, 16 de maio de 2017

EM NOME DOS PAIS E TAMBÉM DO NOSSO PAÍS QUE AINDA UM DIA HÁ DE VIRAR UMA NAÇÃO COM A LUTA CULT DE MUITA GENTE ANTES E AGORA




O jornalista Matheus Leitão lança livro que procura reconstruir o quebracabeça da luta dos jovens no Brasil pela liberdade e contra a Ditadura nos anos 60, 70 e 80 algo que a juventude de agora ignora para infelicidade da criação do futuro brasileiro: um livro que seria censurado nos tempos ditatoriais 
 




Esta foto logo aí embaixo vinda do Espírito Santo corria de mão em mão ou em recortes de jornais independentes nos tempos do movimento da juventude pela liberdade e contra a Ditadura, como um sinal de que em todos os lugares nós os adolescentes e jovens estávamos indo à luta para mudar a realidade e criar o futuro do Brasil. 



Marcelo Netto e Mirian Leitão naqueles tempos "Podemos até perdoar os torturadores e etc mas não esquecer os fatos", diz aqui o editor do blog da ecologia e da cidadania Padinha, que também sobreviveu à violência daquela época que precisa ser mais debatida pro país virar uma Nação de verdade   
Esta imagem da volta do exílio destes jovens também corria solta naqueles tempos
Vladimir  Herzog personagem daqueles tempos no trabalho na TV Cultura

 
A história duma época que só agora começa a ser revista com liberdade

O jornalista Matheus Leitão, que atua no site G1, lança hoje em Brasília o livro Em nome dos pais. Ele retrata a busca do autor para reconstruir o quebracabeça em torno do passado do seu pai e de sua mãe, Míriam Leitão e Marcelo Netto, durante a chamada Ditadura Militar. Entre os destaques desta importante publicação há entrevistas com militares suspeitos de torturarem a jornalista e o ex-marido, também com o delator que os entregou aos agentes da Ditadura. Detalhes sobre a prisão do casal e a história do Brasil naqueles tempos permeiam a narrativa de 488 páginas.Matheus Leitão já comentou na mídia que começou a trabalhar no livro em 2004, quando teve acesso a documentos oficiais, antes mesmo dos debates levantados pela Comissão Nacional da Verdade e da aprovação da Lei de Acesso à Informação, por conta do poder de investigação de sua mãe, muito atuante na Globo News. 
 


“Fiquei sabendo ainda muito jovem sobre a prisão dos meus pais, e isso me fisgou. Acabei me prendendo à história, e resolvi montar o quebracabeça” (Matheus Leitão)






Em nome dos pais, das mães e dos filhos deste país

O autor e repórter diz que só se sentiu confortável para se debruçar sobre os fatos em 2012: "Sempre me vi impedido de escrever o livro por causa do envolvimento emocional, mas a uns 5 anos tive tive acesso o termo self journalism como professor visitante da Universidade de Berkeley, na Califórnia (USA) e vi que era possível escrever sobre os acontecimentos e personagens daqueles tempos, desde que deixasse claro, para o leitor, a minha relação pessoal com tudo que aconteceu". Desde pequeno, Matheus Leitão ouvia as expressões perseguição, prisão e porão sussurradas por seus pais, os jornalistas Marcelo Netto e Míriam Leitão. A assustadora palavra tortura apareceu bem mais tarde. Movido pela curiosidade de compreender o passado, Matheus passou a recolher retalhos de uma história dolorosa, que se iniciou em 1972, no Espírito Santo, quando seu e sua mãe então jovens saindo da adolescência militavam no PCdoB que então era diferente do PCdoB hoje, bem mais autêntico e rebelde, para dizer pouco. Delatados por um companheiro, foram presos e torturados. Na ocasião, Míriam com 19 anos apenas estava grávida de Vladimir, o primeiro filho com Marcelo, então com 24 anos. Numa sequência natural da vida, Matheus também seguiu a carreira do jornalismo, se dedicando a reportagens sobre direitos humanos e ditadura entre outras pautas. Em nome dos pais é assim  resultado de suas incansáveis pesquisas e investigações, feitas ao longi uns 15 anos. Elas começaram pela busca do delator e seguiram com a localização dos agentes policiais que teriam participado das sessões de tortura de seus pais. Passado e presente se entrelaçam nessa narrativa que reconstitui com rigor eventos do início dos anos 1970 e ao mesmo tempo apresenta a emocionante peregrinação do autor pelo Brasil atrás de respostas. O livro é também uma história sobre pais e filhos, sobre reconciliação e responsabilidade, sobre encontros impossíveis, sobre a emoção da vida, enfim. "É também um relato sobre um país que ainda reluta em acertar as contas com um passado obscuro", comentou o autor em notícia divulgada pela agência Reuters.
 

Matheus Leitão
Matheus Leitão Netto, filho de Mirian e de Marcelo
Mãe e filho autor quando criança na vida real


Matheus e Mirian agora em foto mais recente

Releases da editora estão divulgando que o autor nasceu em Brasília, em 1977 e se especializou em jornalismo investigativo, recebendo alguns dos mais importantes prêmios da área, como o Barbosa Lima Sobrinho, o Esso, o de Excelência Jornalística da Sociedade Interamericana de Imprensa e menção honrosa no prêmio Vladimir Herzog. Trabalhou nos jornais Correio Braziliense e Folha de S.Paulo, na revista Época e no portal iG, tendo sido Visiting Scholar na Universidade de Berkeley, na Califórnia. Atualmente edita o blog do Matheus Leitão, sobre política e polícia, no portal G1. Em nome dos pais é seu primeiro livro: "Um dos primeiros esforços da literatura brasileira para resgatar uma época que teve muitos problemas de violência mas também uma força positiva de inteligência, de coragem, de ousadia e de busca pela justiça por parte de jovens e adolescentes que como eu amavam os Beatles, os Rolling Stones, a liberdade e a vida", comenta o ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha, que edita o blog do movimento ecológico, científico e de cidadania Folha Verde News, abrindo o nosso coração, a nossa mente e o nosso webespaço para debater um país que ainda vai virar uma nação de verdade.
 





Ilustração sobre tortura em Pimenta com Limão


Passeata pela liberdade de expressão contra a censura da época revista agora


Mirian Leitão e o seu filho jornalista e agora autor...


...com um livro que é um importante documento de cidadania no Brasil



Fontes: G1 - Reuters

             www.livrariacultura.com.br

             www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. O livro é também uma história de relação entre pai, mãe e filho, em meio a situações dramáticas, além de ser um documento histórico de um período obscuro no Brasil: para mais detalhes sobre o livro você deve acessar http://intrinsica.com.br/emnomedospais

    ResponderExcluir
  2. Aqui uma série de mensagens que recebemos, vamos passar o volume todo, coletivamente, o post repercutiu aqui e também no site da editora. Queria ser abençoado em participar desse momento histórico e emocionante. Estarei em orações. Sucesso Líder.
    Agradeço o convite mas não estarei em Brasília nesta data. Bj
    Com certeza meu querido estaremos com vocês em um momento tão especial.
    Estarei lá.
    Agendado, Matheus Leitão Netto.
    Estarei lá!!!
    Obrigada pelo honroso convite! Estarei lá! Abraços!
    Obrigada pelo convite!
    São algumas das dezenas de mensagens, depois detalharemos mais algumas.

    ResponderExcluir
  3. "O lançamento hoje do livro do Matheus Leitão Netto, “Em nome dos pais", na Livraria Cultura no Shopping Iguatemi, em Brasília, foi um sucesso cultural com certeza": comentário de Jarbas de Carvalho, vendedor, de passagem pelo DF, ele que atua na região de Campinas (SP).

    ResponderExcluir
  4. Logo mais, postaremos mais informações e também outros comentários ou sobre este livro ou sobre esta pauta de hoje, aqui. Você pode colocar a sua msm aqui nesta seção e/ou, se preferir, envie para o e-mail da redação do nosso blog de ecologia e de cidadania navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Outra opção ainda pro envio é mandar pro e-mail do editor de conteúdo deste blog, podendo então passar msm, críticas, sugestões, fotos, vídeos, sugestão de pauta, mande p/ padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "Além do grande valor da informação sobre o livro documentário de Matheus Leitão, esse post aqui no blog me fez bem também porque no vídeo vi um material sobre "Tempos Extremos", da Mirian leitão, mãe dele, pessoa e profissional que respeito muito pelo seu trabalho na TV também": comentário de Alaor Pinheiro, de São Paulo, empresário de exportação.

    ResponderExcluir
  7. "Está sendo agora e está sendo um sucesso o lançamento. Matheus Leitão disse numa entrevista aqui que começou a trabalhar no livro em 2004, quando teve acesso a alguns documentos que depois seriam divulgados pela Comissão Nacional da Verdade. Tudo num clima muito legal": comentário de Maria Anna, de Belo Horizonte (MG) mas trabalha em Brasília (DF), como executiva em rede regional de hotéis.

    ResponderExcluir
  8. "Vim para Brasília para acompanhar o congresso nacional dos municípios e apreoveitei para ir ao lançamento do livro do Matheus Leitão, que vou levar para a escola dos meus filhos": comentário de Geraldo Santos, que atua na área jurídica na região de Piracicaba (SP): "Acredito que é necessário debater todas as épocas do Brasll prá gente buscar a melhor alternativa".

    ResponderExcluir

Translation

translation