sexta-feira, 5 de maio de 2017

OS POLÍTICOS SÃO OS PRINCIPAIS SUSPEITOS DE VIOLAÇÕES CONTRA JORNALISTAS OU CRIMES PRATICADOS CONTRA A LIBERDADE DE INFORMAÇÃO E CONTRA A CIDADANIA

Este fato está no novo relatório anual Violações à Liberdade de Expressão sendo divulgado agora após um ano de investigação de casos e de levantamentos no setor: os blogs estão entre os mais ameaçados na mídia

 

Relatório mostra o jornalismo mais uma vez como profissão perigo

Dos 31 casos levantados, pela Artigo 19, ao longo de um ano entre, mais de 60% teriam políticos como suspeitos das violações: 39% dos casos de violações contra comunicadores não houve nem mesmo a abertura de investigação por parte da polícia: a denúncia foi feita nesta semana em que se celebra mundialmente a liberdade da Informação. Os agentes de Estado, sobretudo políticos, aparecem como os principais suspeitos de violações graves contra profissionais de imprensa (jornalistas, radialistas, blogueiros e empresas de veículos de comunicação). A conclusão faz parte do relatório Violações à Liberdade de Expressão que a entidade Artigo 19 lançou nestes dias para marcar no Brasil a data mundial na luta pela liberdade de imprensa. O documento está reafirmando que dos 31 casos levantados ao longo de 2016 e divulgados agora em 2017 mais de 60% deles têm políticos como os suspeitos das violações: ao todo foram 22 ameaças de morte, 4 assassinatos, 5 tentativas de assassinato em um período de somente 12 meses, informa o site Rede Brasil Atual. Um outro que preocupa inclusive a OAB no Brasil e também a própria ONU é que em 39% dos casos de graves violações contra comunicadores não houve a abertura de investigação por parte das autoridades policiais. O número pode ser visto como um dos "sintomas da falta de capacidade e iniciativa do estado brasileiro em lidar com a questão", conclusão do relatório da Artigo 19.  Nós aqui do blog da ecologia, da cidadania e da não violência Folha Verde News, "temos constantemente alertado sobre agressões crescentes à liberdade de informação, aqui no país e em todo o planeta, divulgamos agora este relatório como um novo alerta à população (no final das contas, a principal vítima de toda a repressão contra profissionais da comunicação), também como uma crítica às autoridades públicas e uma sequência dentro da luta pela liberdade de informação, algo fundamental para que se torne viável a própria condição humana de vida e um desenvolvimento tipo sustentável no Brasil", comenta por aqui nosso editor de conteúdo, o ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha. 

Polícia não investigou 39% dos casos de violações da liberdade de imprensa

52% das violações foram contra blogs e imprensa independente ou alternativa


Há 5 anos autoridades se omitem e não tomam medidas contra essas violações


Na análise sobre o tipo do veículo de comunicação em que a vítima atuava, se revela que em mais da metade dos casos o comunicador estava ligado a veículos considerados alternativos: o relatório da Artigo 19 lista como prejudicados blogs, imprensa alternativa mais independente, também, pequenos jornais impressos, enquanto isso, o número de graves violações registradas em veículos comerciais foi de 42%. O placar então está favorável à grande mídia: 52% das violações não são cometidas contra os veículos da chamada grande mídia, que ao menos teoricamente têm menor independência para o seu noticiário e os comentários sobre os acontecimentos. Já na divisão por região do país, o relatório identificou que a maior parte dos casos foram registrados no Nordeste: 45%. Na sequência, vêm a região Sudeste (22%), Norte (16%), Sul (10%) e Centro-Oeste (7%). Porém, o estado em que a Artigo 19 registrou o maior número de violações de maior gravidade foi naquele que aparentemente seria o mais desenvolvido ou civilizado, no caso, São Paulo, que, sozinho, concentrou 16% dos casos. Na sequência, estão Ceará e Maranhão (13% cada), sendo que a Bahia é responsável por 10% das violações graves que aconteceram neste último ano no Brasil. Ainda segundo a Artigo 19, uma das razões para um maior número de agressão a blogs e imprensa alternativa (52% dos casos) é a de que, em cidades pequenas, os comunicadores estão mais em evidência, pois há um número menor de veículos e de profissionais de comunicação, tornando a atividade de denunciar irregularidades ou emissão de críticas mais arriscada ainda. Para Júlia Lima, coordenadora da área de Proteção e Segurança desta entidade, "o cenário de violações à liberdade de expressão de comunicadores permanece basicamente o mesmo nos últimos 5 anos e mesmo assim, o estado brasileiro não avançou praticamente em nada para lidar com  a questão". Isto é, não se tomam posições para diminuir as violações há 5 anos em nosso país: "Já está mais do que evidente (e todos estes números só comprovam isso) que as violações contra a liberdade de expressão de comunicadores no Brasil são sistemáticas ou crônicas e ocorrem por todo o território, configurando um quadro que demanda com a maior urgência uma ação enérgica do estado brasileiro". A ONU, a opinião pública nacional e internacional, o bom senso também, indicam este caminho, mas Júlia LIma não crê em mudanças ou avanços diante do quadro atual de omissão das autoridades: "Nesses cinco anos em que a Artigo 19 realizou o monitoramento desta violência, a questão foi praticamente ignorada pelas autoridades brasileiras, que teria condições de formular uma ação neste sentido a bem da liberdade de informação mas não se vê nenhuma sinalização neste sentido". O resultado é infeliz, nós temos um cenário de violações e de violência que tem se intensificado ao invés de diminuir, também no setor da comunicação no país, como um fator que aumenta o risco da profissão repórter e diminui as chances de um desenvolvimento de verdade do Brasil.


52% das violações são contra blogs e imprensa alternativa que em geral têm sido mais independentes neste últimos 5 anos
Gleydson Carvalho, radialista assassinado no Ceará, um dos casos graves


Estes fatos sinalizam que o Brasil quer silêncio e omissão da mídia

Fontes: Artigo 19
             www.redebrasilatual.com.br
             www.folhaverdenews.com

9 comentários:

  1. Antes mesmo deste novo relatório anual da Artigo 19, já saíam noticias que as violações contra a liberdade de informação no Brasil estariam sendo investigadas pela OEA (Organização dos Estados Americanos) e a própria ONU (Organização das Nações Unidas) já defendeu mudanças e avanços nesta situação, ou seja, ação das autoridades públicas brasileiras. Até agora, nada a registrar neste sentido.

    ResponderExcluir
  2. Um dos mais graves conteúdos do documento Violações à Liberdade de Expressão, sendo divulgado agora pela entidade Artigo 19 é que as autoridades públicas brasileiras não tomam medidas contra esta situação há 5 anos!

    ResponderExcluir
  3. Logo mais, aqui nesta seção, mais comentários e novas informações sobre esta pauta da maior importância para toda a mídia, também para o nosso blog: você pode colocar aqui a sua denúncia ou a sua mensagem, se preferir, envie um e-mail para a redação do nosso blog de ecologia e de cidadania navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Outra alternativa é você enviar um e-mail para o nosso editor de conteúdo deste blog, com informações, mensagem, fotos, vídeos ou a sua opinião, envie para padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Pelo que se pode concluir, é que o que o Brasil quer é silêncio e omissão da mídia, sem a crítica e a liberdade de informação, a mídia não existe": comentário de José Ribamar Oliveira, de Salvador, Bahia, economista e pesquisador.

    ResponderExcluir
  6. "Importante esta matéria e também o vídeo que me parece ter sido feito pelo grupo Intervozes de jornalistas, com informações que a a maioria das pessoas não sabem, infelizmente": comentário de Altair Modesto, de São Paulo (SP), corretor que diz ainda "meu sonho era ser jornalista mas só consegui completar o 2º Grau, pela pobreza da minha família".

    ResponderExcluir
  7. "A comunicação é um dos direitos fundamentais da pessoa mas não na atual estrutura da mídia como está no Brasil": comentário de Yolanda Bueno, de São José dos Campos, formada em Economia pela USP mas atuando como representante comercial por falta de emprego.

    ResponderExcluir
  8. "Aqui nesse blog, que sempre tem alguma informação diferente do que se vê por aí, além do relatório de violações da liberdade de imprensa, vi no vídeo que vocês postaram que todo o sistema de comunicação de massa no Brasil está na mão de somente 11 famílias poderosas, sob concessão do estado, esta relação dá margem à corrupção e à omissão de alguns fatos pela grande mídia, é preciso mudar esta realidade para existir uma democracia com ética e cidadania": comentário de Solange de Almeida, que informa pretender ser estudante de Jornalismo na Unesp em Bauru.

    ResponderExcluir
  9. "Impressionante a gravidade tanto do relatório sobre violação da liberdade de expressão ou da violência contra profissionais de comunicação, bem como também os fatos apresentados pelo vídeo deste grupo de jornalistas Intervozes": comentário de Maria Helena Teixeira Silva, de São Paulo (SP), que trabalha com criação e redação de publicidade.

    ResponderExcluir

Translation

translation