quinta-feira, 8 de junho de 2017

FEIRA DOS ORGÂNICOS (BIO BRAZIL FAIR EM SÃO PAULO) ESTÁ MOSTRANDO AGORA QUE CRESCE MAIS A PROCURA NO BRASIL POR UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Na versão agora de 2017 a Bio Brazil Fair cresceu em mais de 20% em visitantes, compradores e volume de negócios: bom para a ecologia...
 
A repórter Camila Boehm está nos informando, através da Agência Brasil, que cerca de 15% da população urbana consumiu algum produto orgânico nos últimos dois meses, segundo pesquisa divulgada pelo Conselho Brasileiro de Produção Orgânica e Sustentável (Organis). A maior procura por este tipo de produto (34%) está na região Sul, que ultrapassa o dobro do consumo nacional. Os dados foram divulgados no primeiro dia da 13ª Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia (Bio Brazil Fair), que vai até domingo na Bienal do Ibirapuera, arte em alimentos naturais...São Paulo mais uma vez sediando a maior feria orgânica da América Latina. O interior paulista e brasileiro está também participando do evento, é o comenta direto lá da feira o líder do setor, José Alexandre Ribeiro (de Franca, nordeste paulista), que produz café orgânico e é um dos pioneiros deste movimento de importância para a saúde pública, para a ecologia humana e para o desenvolvimento sustentável.


José Alexandre é pioneiro em Franca e líder nacional no setor, está na feira com café orgânico e dirige rede de lanchonetes orgânicas
 
“Precisávamos ter o perfil por região, com consumo, costumes e percepção do consumidor de orgânicos. Essa pesquisa ajudará nas estratégias comerciais dos produtores, empresas e varejistas. Se há cerca de 600 feiras orgânicas mapeadas no Brasil e, a cada ano, o crescimento do setor chega em 20%, temos um potencial de aumento do consumo”, disse Ming Liu, diretor executivo do Organis. Os produtos orgânicos mais consumidos são verduras, legumes e frutas. Seis em cada dez consumidores consomem verduras orgânicas. Os legumes e as frutas são escolhas de uma em cada quatro pessoas. Entre as outras opções disponíveis ao consumidor de orgânicos estão produtos como  chocolates, sucos, leites, laticínios, biscoitos, shampoos, sabonetes, tecidos, entre outras opções.
 
Produtos e alimentos cultivados sem aditivos químicos e sem causar danos ao meio ambiente, expostos na conferência Green Rio - Rio Orgânico 2014, no Jardim Botânico (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Os produtos orgânicos mais consumidos no Brasil são legumes, verduras e frutas sem agrotóxicos ou veneno...
O empresário Pedro Paulo Diniz também aderiu ao setor de orgânicos e da agroecologia
Pequenos agricultores orgânicos familiares cadastrados estão dispensados da certificação de mercado
 
Para ter o selo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que reconhece como produto orgânico é necessário seguir alguns critérios, como ter certificação por organismos credenciados oficialmente, sendo dispensados desta certificação os produzidos por agricultores familiares que fazem parte de organizações de controle social e cadastradas em todo Brasil.


Pela legislação, se considera produto orgânico, seja ele in natura ou processado, aquele que é obtido em um sistema orgânico de produção agropecuária ou oriundo de processo extrativista sustentável e não prejudicial ao ecossistema local. Numa palavra, sem agrotóxicos ou aditivos químicos e outros venenos, bem melhor que os transgênicos...Aliás, a busca duma alimentação saudável é o fator que define. Entre os motivos apresentados na pesquisa para o consumo neste segmento, os entrevistados citaram questões relacionadas à saúde. A associação entre alimentos orgânicos e saúde foi citada por seis em cada dez pessoas (64%). Indicações de consumo da mídia e de profissionais da saúde também se destacaram, chegando a 15% das pessoas. “Existe um grande interesse dos consumidores, os empreendedores e empresários estão visualizando essa oportunidade e a feira 2017 Bio Brazil Fair é um indicativo de que tem mais produtos disponíveis no mercado”, disse Ming Liu, que coordenou a pesquisa Organis.  Liu faz uma ressalva, é importante a conscientização dos consumidores sobre as características dos orgânicos e sobre a sua regulamentação. O varejo convencional é o principal local de compra dos produtos orgânicos. Cerca de 60% das pessoas vão até os supermercados e aproximadamente 25% compram em feiras. No entanto, o mercado de orgânicos tem ainda lojas especializadas em produtos naturais, compra direto com o produtor e os clubes de compras coletivas, que são ainda uma promessa crescente, na avaliação dos especialistas.
 
O evento agora em São Paulo reúne gente de  23 países no Ibirapuera


O preço ainda alto é o principal problema de mercado dos produtos orgânicos


A pesquisa chegou à conclusão que, para os consumidores, não há uma marca associada de forma sólida ao mercado de produtos orgânicos no país, porque 84% dos entrevistados não souberam citar uma marca específica: isso foi uma surpresa, dos 15% de pessoas que consumiram orgânicos, 85% não lembraram da marca do produto que consumiram. Então eles não fidelizaram ainda com uma marca, o que amplia o potencial de novos investimentos neste setor que envolve a agroecologia e a sustentabilidade. Segundo a Organis, existe uma grande disposição para consumir mais produtos orgânicos, mas o preço foi citado como o maior limitador para o aumento do consumo. A falta de preços acessíveis foi citada por 62% dos entrevistados como um problema. A falta de lugares próximos foi a segunda causa mais citada (32%), seguida por falta de conhecimento (11%). Apesar de haver um movimento crescente para o consumo de orgânicos, 25% das pessoas não estão interessadas em mudar o hábito de consumo convencional devido à questão do preço. Porém, quanto mais se expande em geral a economia ecológica mais haverá uma queda no preço dos produtos orgânicos, que poderão ser comercializados então em maior escala. Esta questão precisa ser encarada pelo movimento científico, ecológico, de cidadania e busca de melhor qualidade de vida e de saúde para a população em geral, como a pauta da hora: "O que se estranha é que a grande mídia não debate diretamente esse ponto, que é vital, talvez porque muitos veículos jornalísticos de grande porte estejam sob domínio de lobbies de produtos industrializados e de carnes processadas", comentou por aqui no blog Folha Verde News o nosso editor de conteúdo, o ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha: "Independentes do interesse comercial são poucos e assim a informação fica limitada, a dano dos orgânicos, dos consumidores, da população e até travando a criação duma realidade mais ecológica e mais sustentável no Brasil", avali por fim e por aqui Padinha.    
.  
Fontes: Agência Brasil
            www.folhaverdenews.com
 
 

7 comentários:

  1. Orgânicos versus Transgênicos, este será o debate que vamos postar também a seguir aqui nesta seção de comentários do nosso blog de ecologia e de cidadania. Aguarde nossa próxima edição e participe você também deste debate.

    ResponderExcluir
  2. Você pode também colocar direto aqui nesta seção, o seu comentário, a sua opinião, a sua crítica, a sua sugestão sobre a 13ª Feira Internacional dos Orgânicos acontecendo agora ou sobre a alimentação orgânica em geral ou a sua produção e mercado, bem, como sua filosofia de qualidade de vida.

    ResponderExcluir
  3. Você, se preferir, pode enviar com estes conteúdos a sua mensagem para o e-mail da redação do nosso blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Outra alternativa ainda é você contatar o nosso editor de conteúdo, através do e-mail dele que é o padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Uma revolução em 360 graus em termos de saúde do alimento e de qualidade de vida, falo da opção por produtos orgânicos, pela fuga a alimentos com aditivos ou com agrotóxicos e outros venenos, pode custar mais caro mas financia mais saúde para os consumidores": comentário de Geraldo Silva Prestes, de Goiânia (Goiás), que está visitando a Bio Brazil Fair na Bienal do Ibirapuera.

    ResponderExcluir
  6. "A grande mídia está atrelada a lobbies de marcas industriais de alimentos e até aos transgênicos, isso atrapalha um avanço que poderia ser mais rápido ainda, com uma informação correta no setor": comentário de Alaide Bastos, advogada de São Paulo (SP), especializada em Direitos do Consumidor.

    ResponderExcluir
  7. "É extraordinário que nestes dias na maior idade da América do Sul aconteça um evento tão grande com amantes ou produtores de alimentos orgânicos e da ecologia, é a boa notícia da semana": comentário de José Ribamar Ribeiro, engenheiro eletrônico, que pesquisa novas tecnologias sustentáveis em Belo Horizonte e na UFMG.

    ResponderExcluir

Translation

translation