quarta-feira, 7 de junho de 2017

MULHER QUE ERA MODELO NO CANADÁ VIRA GUERRILHEIRA NA SÍRIA E RENEGA SEU PASSADO DE GLAMOUR EM TROCA DA LUTA PELA PAZ

Ex-modelo canadense larga tudo para combater o Estado Islâmico se torna uma voluntária e está encantada pela coragem das mulheres e também pela causa humanitária das crianças em meio ao conflito armado


  
Hanna trocou sua rotina no mundo da moda para lutar pela paz numa guerra
 
Parecem cenas dum filme neorealista mas é o dia a dia de Hanna Tiger Böhman, ela deixou a profissão na moda, o conforto na vida e até a aventura com segurança no Canadá para ir à luta pelas mulheres e a garotada em meio à guerra na Síria, onde, segundo o Unicef já morreram e isso apenas nos últimos 12 meses, cerca de mil crianças. Ela é canadense e chegou a trabalhar como modelo por um tempo, mas hoje nem gosta de se lembrar dessa fase da sua vida. Sua rotina hoje é completamente diferente daquela dos ensaios de fotos que um dia estrelou. Mas nem em sonho, ela agora afirma, trocaria o que vive hoje na Síria (uma vida de verdade) por aqueles velhos tempos posando para fotógrafos e sendo paparicada no Canadá, um dos países mais prósperos do planeta. "Continuo ainda sendo estigmatizada como a ex-modelo, mas isso atualmente chega a ser um insulto para mim. A moda foi uma parte tão pequena da minha vida e estava tomando rumos que eu não gostava, era um ambiente machista", como Hanna contou à BBC. Ela resolveu se juntar a um grupo de combatentes mulheres na Síria e foi lutar contra o Estado Islâmico. Conta que, mais importante do que combater os extremistas, é batalhar para resgatar as mulheres que estão sob o controle deles: "Esse lado era o que me incomodava muito também, eu tinha que fazer alguma coisa por elas e agora o meu objetivo é lutar pelos direitos das mulheres, muitas delas são escravizadas e tratadas como máquinas de bebês ou de sexo. Além do mais, Hanna Tiger Böhman diz amar a vida e na sua filosofia de viver, não há contradição entre entrar numa guerra e amar a paz. 


A filosofia de vida ou de guerra desta mulher coragem nesta sequência de imagens da sua vida de agora e antes de se tornar soldada na Guerra da Síria, confira aqui



 

 

Aqui, Hanna em momento de aventura segura no Canadá

Hanna Tiger Böhman em meio à guerra na Síria


Hanna Tiger Böhman conta que já sabia manejar armas: "Eu saía para caçar no Canadá. Mas como todo respeito a um animal, é diferente apontar a arma para uma pessoa. Só que eu tento não pensar neles como pessoas. O Estado Islâmico é só um animal mais violento".

Hanna rebate preconceitos de que, para ser uma guerrilheira, é preciso perder a feminilidade: "Só porque você está disposta pegar em uma arma e lutar por algo que você acredita, isso não significa que você é menos mulher. Você pode continuar sendo feminina e curtir todos esses aspectos em você. E ainda pode ser durona". Questionada sobre ter medo de morrer cedo, a canadense diz que isso "faz parte do jogo" e é a realidade para quem se propõe a ir para uma zona de combate tão intensa: "Eu quero ajudar as pessoas. Quero que eles fiquem em segurança e em paz". A sua entrevista discute o lado humanitário de entrar numa guerra e Hanna Tiger Böhman termina a sua fala na BBC com a mesma determinação com que está indo à luta todos os dias: "Se eu tivesse que escolher entre viver muitos anos com auxílio de remédios e aparelhos ou ser morta fazendo algo que vale a pena, sinceramente, eu prefiro morrer fazendo algo que dá sentido à minha vida".


Aqui no blog também vídeo que Hanna fez sobre crianças na Síria em guerra


Fontes: BBC
            www.folhaverdenews.com
                                                                                

8 comentários:

  1. Ex-modelo abandona vida tranquila de luxo para pegar em armas contra o Estado Islâmico (IS) é a noticia que corre o mundo via a mídia, a gente aqui no blog da ecologia e da cidadania resume o sentido da sua luta a partir da entrevista que Hanna Tiger Bohman deu à BBC.

    ResponderExcluir
  2. Não é todo dia que uma ex-modelo do 1º mundo, no caso, do Canadá, abandona um estilo de vida luxuoso para encarar armas e unir forças contra a Organização Estado Islâmico, movida pelo objetivo de proteger crianças e se unir a luta de mulheres que Hanna Tiger Bohman considera de verdade, comparadas as que continuam no mundo machista da moda. É para se discutir. E elogiar a determinação desta mulher coragem.

    ResponderExcluir
  3. Logo mais, estaremos atualizando esta seção de comentários, postando aqui mais informações e também algumas mensagens.

    ResponderExcluir
  4. Aguarde e participe. Você também pode por aqui direto a sua mensagem, crítica, elogio, opinião ou então, se preferir, mandar por e-mail para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Caso queira, você também pode contatar o nosso editor de conteúdo deste blog de ecologia e de cidadania pelo e-mail padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. "O ideal seria Hanna Tiger Bohman combater o EI sem usar armas, lutando só com as fotos e os vídeos que ela tem feito da guerra na Síria, que parece ser interminável, mas é quase impossível escapar vivo sem pegar em armas em meio a uma guerra, mais ainda, lutando contra os radicais do Estado Islâmico": comentário de Isabel Molina, do Rio de Janeiro, Psicóloga que está pesquisando violência na biblioteca da UFRJ.

    ResponderExcluir
  7. "Eu entrei aqui só para colocar o seguinte, gostaria que vocês e toda pessoa fizessem a diferença entre os radicais do EI e o Islamismo de verdade, que é uma cultura religiosa, oriental, história, que merece ser respeitada, sem o preconceito que se está criando contra ela e contra os muçulmanos": Jair Santos, de São Paulo (SP), advogado, que informa estar escrevendo um livro dentro deste tema.

    ResponderExcluir
  8. "Mulher e ser humano de verdade": comentário de Frei Isaias, padre dominicano em Belo Horizonte (MG).

    ResponderExcluir

Translation

translation