segunda-feira, 31 de julho de 2017

PARA VOCÊ QUE POR UMA RAZÃO OU OUTRA QUER PARAR DE COMER CARNE OU MUDAR RADICALMENTE DE ALIMENTAÇÃO AQUI UMA MATÉRIA ESPECIALIZADA

Não é só Bela Gil e sim vários pesquisadores especializados cada vez mais são convidados a dar dicas de nutrição a vegetarianos, vegans e aos que estão querendo por razões econômicas, de saúde ou culturais fugir do consumo da carne

As leguminosas são essenciais na substituição das carnes


Na Internet, memes estrelados com a apresentadora de TV Bela Gil têm viralizado tanto que demostram que existe uma preocupação geral nesse assunto. Acabou que especialistas em culinária foram chamados a dar opinião e nutricionistas, com base na ciência da alimentação, vêm sugerindo substituições de alguns ingredientes, como a proteína da carne, por outras opções que podem até ser mais saudáveis, sendo com certeza mais econômicas. Foi assim que a BBC Brasil resolveu ouvir nutricionistas para enfim descobrir que alimentos, também de origem vegetal, podem ser uma alternativa para uma mudança radical de alimentação. Já há um consenso: ninguém vai morrer de fome se no dia a dia abdicar de carnes de vaca, de aves ou de porco.



Grãos, leguminosas, frutas,verduras, prazer e sabor


Os experts neste assunto indicam que em média um ser humano precisa ingerir de 0,8 a 1 grama de proteína por quilo de peso por dia: para exemplificar, um homem de 70 quilos precisa consumir algo em torno de 56 a 70 gramas diariamente. Considerando que 100 gramas de carne bovina (um bife pequeno) têm, aproximadamente, 25 gramas de proteína, bastaria consumir 300 gramas para alcançar a meta diária de nutrição. Neste sentido, dizem especialistas que foram entrevistados que a alternativa mais viável ao consumo de carne seria optar por outras fontes de proteína animal, como peixes ou laticínios. "Muita gente se esquece de que a proteína não está exclusivamente na carne vermelha.Também os peixes são excelentes fontes de proteína e vitaminas, assim como os ovos e os laticínios. Os ovos, aliás, são ricos em vitamina B12, que praticamente não encontramos no reino vegetal", explicou  nutricionista Ana Paula Cervasio, ligada ao Espaço Nutriente, no Rio de Janeiro. Ela ainda comentou que devido a esta riqueza de opções no Ocidente muitas pessoas até exageram na dieta, costumam comer mais proteínas do que precisam, o excesso ou a overdose pode levar até a uma intoxicação. O pior é não consumir as proteinas necessárias. Ou passar fome.



Há variadas alternativas para substituir a proteina da carne




Veganos - A situação muda de figura quando a proteína de origem animal é cortada totalmente do cardápio e mesmo assim ainda é perfeitamente possível atender a mesma necessidade diária de ingestão de proteínas a partir de alguns alimentos de origem vegetal. E isso porque a presença dos aminoácidos (moléculas orgânicas formam as proteínas) considerados essenciais (aqueles que não conseguimos sintetizar, mas são importantes para o funcionamento do nosso corpo) varia conforme a fonte alimentar. É o que explica a nutricionista e personal diet Julia Granje, sócia do canal no YouTube Nutri Taste: "Tudo depende do alimento. Por exemplo, 100g de proteína texturizada de soja contém mais ou menos 40g de proteína. Porém são proteínas diferentes da carne, logo, por mais que tenha quantidade maior do que o bife, não os mesmos aminoácidos de toda forma essenciais". A quantidade que a pessoa deve ingerir, vegana ou não, continua a mesma. Só que a dieta vegana deve ser uma alimentação mais variada. Então não seria interessante comer só soja porque o alimento não tem a mesma qualidade de aminoácidos de um bife. Nesse caso, tanto Cervasio quanto Granje recomendam o consumo das chamadas leguminosas, como grão de bico, feijão, lentilha e ervilha.

 As frutas estão entre os melhores suplementos


As leguminosas são ricas em proteína e substituem perfeitamente as carnes, alimentos como grão de bico, feijão, lentinha e ervilha são ricos em aminoácidos e podem substituir o bife. Alguns nutricionistas sugerem para veganos ou vegetarianos ainda a combinação das leguminosas com os cereais, como o arroz, e os chamados pseudocereais (como a quinoa) para potencializar os ganhos. "A combinação dos grãos com os cereais gera uma qualidade fantástica de proteína", afirma Ana Paula Cervasio. O arroz (de preferência o integral) com feijão, a combinação mais tradicional na mesa do brasileiro, vem a ser uma boa alternativa para quem quer deixar de comer carne e, ainda assim, manter a ingestão diária de proteína. "Nesse caso, sugiro uma maior quantidade de arroz e feijão por dia, cerca de 300 gramas por refeição", recomenda Julia Granje: "Mas claro que você não vai comer só arroz e feijão. Para alcançar a nutrição diária recomendada, será preciso complementar essa dieta com outros alimentos, como cogumelos ou outros tipos de hortaliças, verduras, além das frutas".

A rúcula e todas as verduras assim como as frutas suplementam bem

A necessidade diária de proteína de uma pessoa depende de uma série de fatores: peso, nível de atividade física, estilo de vida, biotipo, entre outros índices. Por isso, especialistas ouvidos na reportagem especial recomendam que mudanças e opções tudo seja feito com acompanhamento especializado, dum médico ou dum nutricionista. Quando, por exemplo, veganos ou de repente uma eliminação radical das carnes têm o potencial de causar uma falta de proteínas, aí surge a necessidade de uma suplementação alimentar para suprir o organismo de outros compostos, como vitaminas B12 e ferro, por exemplo. Existem alguns alimentos do reino vegetal mais adequados para esse suplemento, isso sem falar que, em qualquer caso, o mais importante é ter uma alimentação balanceada, com diferentes tipos de alimentos para enriquecer a dieta sem carne e a pessoa conseguir uma alimentação ao mesmo tempo mais saudável e mais econômica, ou seja, numa palavra, sustentável. 


De acordo com a American Dietetic Association, a dieta vegetariana, ou seja, aquela que exclui qualquer tipo de carne, pode oferecer diversos benefícios para a saúde, além de contribuir para a prevenção de doenças, já que este tipo de alimentação é nutricionalmente adequado desde que com as informações certas e práticas corretas.



Alimentos que substituem a carne


  • Leguminosas, como grão-de-bico, todos os tipos de feijões, ervilha, lentilha, soja e favas: são ótimas fontes de proteína vegetal, vitaminas e minerais, como oferro 
  • Tofu: obtido a partir da soja fermentada, é rico em proteínas e minerais, como cálcio, fósforo e magnésio.
  • Sementes de chia, linhaça, girassol, gergelim: fornecem boas quantidades de proteína, ômega-3 e vitaminas do complexo B. O gergelim é também excelente fonte de cálcio.
  • Cereais integrais, como o arroz, aveia, amaranto, trigo, quinoa, centeio: assim como as leguminosas, são boas fontes de proteína vegetal, fornecem vitaminas do complexo B, ferro e fibras.
  • Verduras de folhas verde-escuro, como couve, brócolis, escarola, rúcula e agrião são ricas em ferro.
  • Oleaginosas: castanhas, amêndoas, nozes, avelãs e macadâmias.
 
    Confira opiniões, mensagens e mais informação na seção de comentários deste blog de ecologia.


Fontes: BBC
              www.folhaverdenews.com
.

9 comentários:

  1. Depois, aqui nesta seção, comentários e mensagens que complementam esta matéria: aguarde e venha conferir nossa edição a seguir.


    ResponderExcluir
  2. Você pode colocar direto aqui o seu comentário ou mensagem e opinião mas de preferir ou precisar envie um e-mail com esse conteúdo que a gente posta daqui para vocês, aqui p e-mail da redação do nosso blog de ecologia: navepad@netsite.com.br


    ResponderExcluir
  3. Você também pode contatar nosso editor de conteúdo deste blog inclusive também para enviar material como fotos, vídeos, informações, mande o seu e-mail para padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Chegaram em boa hora estas informações, eu estava doida para largar da carne e me dedicar a uma alimentação mais saudável": comentário de Luiza Helena Bastos, de Niterói (RJ), advogada.


    ResponderExcluir
  5. "Estou procurando nos meus arquivos um texto do médico Dr. Ajax Silveira sobre o sentido até de elevação espiritual que representa o alimento vegetariano, mandarei para colaborar com este blog": Armando Novais, de São Paulo, que mantém escritório de advocacia nas proximidades do Largo São Francisco e do restaurante Os Vegetarianos.


    ResponderExcluir
  6. "Conheci o Dr. Silveira, vou ainda de vez em quando ao restaurante que ele criou e você citou no seu comentário, Armando, quando eu era ainda um estudante de Direito na São Francisco eram raros os que fugiam das carnes, hoje, cresceu muito esta tendência, que está ligada à cultura da vida e da ecologia humana": comentário de Rafael Mendes, que fez advocacia mas acabou se dedicando à plantação de soja orgânica na região de Taubaté (SP).

    ResponderExcluir
  7. "Curti muito esse resumo, alimentos que substituem a carne, muita gente está tentando buscar uma alimentação mais saudável": comentário de Eliza Alves, de Brasília (DF), empresária de turismo.

    ResponderExcluir
  8. "Superboas as informações sobre as vantagens do alimento vegetariano, faltou enfocar somente o lado da não violência contra os animais, esse fator foi o que me fez virar vegetariano": Mário Rubens Vieri, de origem italiano, importador e exportador de frutas.

    ResponderExcluir
  9. "A ONU recomenda mudança global para dieta sem carne e sem laticínios. Uma mudança global para uma dieta vegana ou até vegetariana é vital para salvar o mundo da fome, da escassez de combustíveis e dos impactos das mudanças climáticas, afirmou um relatório da ONU. Na medida em que a população mundial avança para 9,1 bilhões de pessoas em 2050 e o apetite por carne e laticínios é insustentável": comentário do cientista Edgar Hertwich, ao divulgar o relatório das Nações Unidas sobre alimentação.

    ResponderExcluir

Translation

translation