segunda-feira, 3 de julho de 2017

SÓ TEMOS MAIS 3 ANOS PARA SALVAR A VIDA NO PLANETA SEGUNDO ESPECIALISTAS EM CLIMA DA ONU

Missão de todos agora é reduzir a liberação de gases de efeito estufa até 2020

 
     
Dados sobre a urgência de se conter as alterações climáticas acontecendo agora
 

    O ano de 2020 será crítico para o futuro do clima. Caso as emissões continuem a subir além dessa data, os objetivos do Acordo de Paris tornam-se praticamente inalcançáveis, concluiu um grupo de especialistas no assunto, liderados pela diplomata Christiana Figueres, ex-secretária-executiva da Convenção do Clima das Nações Unidas. Juntos, eles publicaram na revista científica Nature, um plano para manter as emissões de gases de efeito estufa sob controle nos próximos três anos. Batizado de Missão 2020, o documento traça metas de emissão de gases para seis setores da economia: energia, infraestrutura, transporte, uso da terra, indústria e finanças.

Movimento científico e ecológico se manifesta sobre a Missão 2020
 


O documento Missão 2020 foi divulgado uma semana antes de os líderes das maiores economias do mundo se reunirem em Hamburgo, na Alemanha, na reunião do G20. É o primeiro encontro multilateral realizado após o anúncio de Donald Trump de que os Estados Unidos sairão do acordo do clima: "A ideia é justamente trazer o assunto para a pauta política, destacar o que cada uma destas grandes economias está fazendo para enfrentar o desafio climático, compartilhar boas práticas e renovar as esperanças, porque, de fato, ainda temos chances” mas o tempo vai ficando escasso", comentou Figueres. Ela alertou que o aumento de temperatura que o planeta já experimentou neste século serviu para mostrar que os impactos sociais das mudanças climáticas, como as ondas de calor, as secas e o aumento do nível do mar, afetam especialmente os mais pobres. Os mantos de gelo na Groenlândia e na Antártida perdem massa a uma taxa crescente, aumentando o nível do mar; da mesma forma, o gelo marinho de verão do Ártico; além, dos recifes de corais, que morrem devido ao aquecimento das águas.
 

As energias limpas são o 1º item para se evitar o pior
 


Roteiro para se evitar o pior
 
 
Segundo Hans Joachim Schellnhuber, do Instituto Para Pesquisa de Impactos Climáticos de Potsdan (Alemanha) "é preciso usar a ciência para orientar decisões e estabelecer metas, replicar com agilidade as boas práticas de sustentabilidade e, sobretudo, incentivar o otimismo, ainda temos inúmeras histórias de sucesso que precisam ser compartilhadas. É o que até já fizemos na reunião do G20 na Alemanha".
 
 
Aqui metas estabelecidas pela Missão 2020 para cada setor da economia
 
 
1 – Energia: As energias renováveis ​devem compor pelo menos 30% do fornecimento de eletricidade no mundo em 2020, contra 23,7% em 2015. Nenhuma usina a carvão poderá ser aprovada daqui três anos.
2 – Infraestrutura: Cidades e Estados darão sequência aos seus planos de descarbonização, o que inclui a construção de edifícios e infraestruturas até 2050, com financiamento previsto de US$ 300 bilhões por ano.
3 – Transporte: Os veículos elétricos deverão compor pelo menos 15% das vendas de automóveis novos globalmente até 2020 e os híbridos devem avançar 1%. O uso do transporte em massa nas cidades deve dobrar, a eficiência de combustível em veículos pesados deve aumentar 20% ​​e a emissão de gases de efeito estufa na aviação por quilômetro percorrido deve diminuir 20%.
4 – Uso da terra: Novas políticas deverão proibir o desmatamento e os esforços devem se concentrar em reflorestamentos. As práticas agrícolas sustentáveis ​​terão de se espalhar pelo planeta e aumentar o sequestro de gás carbônico.
5 – Indústria: A indústria pesada desenvolverá planos para aumentar a eficiência e reduzir suas emissões, com o objetivo de diminuir pela metade a liberação de gases de efeito estufa até 2050. Atualmente as indústrias de ferro, aço, cimento e petróleo emitem mais de um quinto do gás carbônico mundial.
6 – Finança: O setor financeiro precisará ter pensado na forma de mobilizar pelo menos US $ 1 trilhão por ano para a ação climática. Governos, bancos privados e credores, como o Banco Mundial, vão emitir títulos verdes para financiar os esforços de mitigação do clima. Isso criaria um mercado anual que, até 2020, processaria mais de 10 vezes os US$ 81 bilhões de títulos emitidos em 2016.
 


Charge foca urgência dos problemas do clima e do ambiente

 
(Na seção de comentários aqui do nosso blog mais informações, confira que é urgente)
 
 
 
Missão 2020 também no Brasil (aqui, no Mato Grosso)

 
Fontes: www.nature.com
            www.ecodebate.com
            www.folhaverdenews.com
 

10 comentários:

  1. “A boa notícia é que ainda estamos em tempo de atingir as metas do Acordo de Paris, isso, se as emissões caírem até 2020”, afirma Hans Joachim Schellnhuber, diretor do Instituto para Pesquisa de Impactos Climáticos de Potsdam, na Alemanha.

    ResponderExcluir
  2. Nos últimos três anos, as emissões mundiais de gás carbônico por queima de combustíveis fósseis permaneceram estáveis, enquanto a economia global cresceu pelo menos 3,1% ao ano. A taxa atual de emissão, de 41 bilhões de toneladas de gás carbônico por ano, ainda está acima do que podemos emitir. Significa que, no ritmo de agora, em quatro anos, ultrapassaremos o limite de emissões que daria à humanidade uma chance de estabilizar a temperatura em 1,5° Celsius. “É agora ou agora. Não podemos mais esperar”, diz Schellnhuber. “Se atrasarmos, as condições de vida no planeta serão severamente restringidas.”

    ResponderExcluir
  3. Depois por aqui nesta seção de comentários, mais informações, aguarde nossa edição, confira e participe com sua mensagem ou comentário.

    ResponderExcluir
  4. Você pode por aqui direto o seu comentário ou se preferir enviar por e-mail para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br Uma outra opção é você contar nosso editor de conteúdo para trocar informações ou mandar material como vídeo ou fotos ou notícias: padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Concordo que a grande mídia está omissa numa questão tão urgente como essa": comentário de Rafael dos Santos Sousa, de Assis (SP), formado em Direito pela Unesp.

    ResponderExcluir
  6. "Seca, enchentes, nevascas… O que está havendo com o clima? Não é de hoje que é impossível prever e controlar o tempo. Não é de hoje também que tragédias naturais matam muita gente. Será que todos não deviam estar mais preocupados com isso?": comentário de Hermínia Mendonça, de São Paulo, que nos enviou material sobre o tema publicado na revista Superinteressante.

    ResponderExcluir
  7. "Chuva no Nordeste, seca no Rio Grande do Sul e nevascas no Egito. Invernos quentes e verões frios. O clima no mundo parece ter enlouquecido. No ano de 1999, o número de catástrofes climáticas bateu um recorde histórico: foram 755. O recorde anterior, 702, havia sido estabelecido em 1998. E pesquisas recentes atestam que os eventos climáticos extremos, que fogem à normalidade, ficaram cada vez mais freqüentes nas últimas três décadas. Comparados ao comportamento “normal” do clima, aquele baseado no relato de nossos avós e bisavós, esses acontecimentos parecem inéditos. Mas não são. A situação do clima, é bem mais complicada, cada vez mais": comentário da mesma Hermínia Mendonça, que atua ca capital paulista como agente de ecoturismo.

    ResponderExcluir
  8. "A Terra já está entrando em estado terminal, a não ser que medidas como estas indicadas pela Missão 2020 pelo especialistas sejam implantadas": comentário de Fernanda Ferreira, de São Paulo, consultora de economia, formada pela USP.

    ResponderExcluir
  9. "Estas 6 medidas propostas pelos especialistas da Missão 2020 resumem bem o que poderá vir a ser um desenvolvimento sustentável, prefiro crer no futuro do que num colapso do planeta": comentário de João José Ramos, Campos do Jordão (SP), empresário de turismo.

    ResponderExcluir
  10. "A grande mídia sempre se silencia sobre estes problemas maiores, ainda bem que existem blogs como este, divulgando a Missão 2020 para transformar o horror em futuro sustentável, a começar por nova estrutura na energia e em toda a realidade da vida hoje": comentário de Ismael dos Santos, de Campinas (SP) que pretende fazer se especializar em Oceanografia na Unicamp.

    ResponderExcluir

Translation

translation