quarta-feira, 9 de agosto de 2017

INFORMAÇÃO PARA OS QUE QUEREM SE MANDAR PARA A AMAZÔNIA COMEÇANDO VIDA NOVA E ALI DESENVOLVER UM PROJETO SUSTENTÁVEL E SOCIOAMBIENTAL

O Fundo Amazônia deverá investir a partir de hoje 150 milhões em novos projetos de conservação informou a diretora de gestão pública e socioambiental do BNDES

 

 

 
A repórter Andreia Verdélio, da Agência Brasil, informou ao nosso blog de ecologia a abertura hoje (9 de agosto) do Fundo da Amazônia de uma nova chamada pública para projetos de conservação e uso sustentável da floresta com foco em atividades produtivas que harmonizem a economia com a ecologia. Serão selecionados até 10 projetos na Amazônia legal, que receberão de 10 a 30 milhões de reais para a sua execução. O total dos projetos financiados chegará a 150 milhões de reais, confirmou a diretora do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que supervisiona lá o setor de projetos socioambientais, Marilene Ramos; O fundo é gerido por este banco em cooperação com o Ministério do Meio Ambiente, sendo mantido deste 2009 com doações que se destinam a prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, bem como também, de conservação, restauração e uso sustentável da floresta. Em 8 anos de atuação o Fundo Amazônia (em especial com doações da Noruega e da Alemanha) já investiu até hoje cerca de 1,4 bilhão de reais em 89 projetos em diferentes regiões e setores amazônicos e de apoio estratégico aos povos e à natureza da floresta.

 


Vista aérea de floresta e rios
A floresta, os rios, os povos e a cultura da Amazônia em foco
 


  Os projetos da nova chamada pública sendo feita agora deverão trabalhar para o fortalecimento da atividade econômica de comunidades que possam atuar como guardiões da floresta, como povos e comunidades tradicionais, populações ribeirinhas, famílias assentadas pela reforma agrária, projetos de agricultura familiar, povos indígenas e quilombolas que já vivem na Amazônia Legal. Para o BNDES, essas comunidades têm um papel fundamental na defesa da Amazônia, pois trabalham de forma natural com os recursos da sociobiodiversidade florestal, gerando renda e desenvolvimento econômico e social. Ou seja, valorizam a floresta em pé, pois tiram dela o seu sustento.



 
Projetos junto a comunidades que sobrevivendo ajudam a conservar a floresta


...agroecologia ou fruticultura em parceria com comunidades tradicionais




Os projetos poderão ser apresentados por associações, cooperativas, fundações de direito privado e/ou empresas privadas, na modalidade aglutinadora. Ou seja, a entidade proponente deverá aglutinar pelo menos três subprojetos de outras organizações, de forma integrada e coordenada. Eles terão que abranger pelo menos uma das seguintes atividades econômicas: manejo florestal madeireiro e não madeireiro, incluindo manejo de fauna silvestre; aquicultura e arranjos de pesca; sistemas alternativos de produção de base agroecológica e agroflorestal; e turismo de base comunitária. O período de inscrição termina em 7 de dezembro de 2017 e a divulgação final dos aprovados está prevista para 13 de abril de 2018. As informações estão no site do Fundo Amazônia.





As novas tecnologias podem interagir com a culturas nativas


Equipe faz documentário de uma das unidades de conservação

















 
Desde 2009, o Fundo Amazônia já recebeu um aporte de mais de R$ 2,8 bilhões, provenientes de três fontes: do governo da Noruega, cerca de 97,4% do total (aproximadamente R$ 2,775 bilhões); da Alemanha, com 2,1% (cerca de R$ 60,697 milhões); e da Petrobras, com 0,5% (R$ 14,7 milhões), sendo os recursos administrados pelo Ministério do Meio Ambiente do Brasil. 

 




 

O ecoturismo e a pesquisa científica têm potencial junto à flora e à fauna



(Outras duas chamadas serão feitas este ano veja mais informações e outros detalhes na seção de comentários do nosso blog de ecologia, confira também opiniões e mensagens)



 
Uma das reuniões dum projeto pro Fundo Amazônia 2017


Produtos medicinais, de estética e de saúde podem ser criados na floresta



 

Fontes:  Fundo Amazônia

               Agência Brasil

               www.folhaverdenews.com 

7 comentários:

  1. As iniciativas não devem ser apenas "para inglês ver" e sim reforçar as ações de preservação da floresta, a sobrevivência e o avanço dos povos tradicionais da Amazônia, reserva de vida e futuro para o Brasil.

    ResponderExcluir
  2. A nova seleção de projetos foi anunciada hoje (9 de agosto) durante a apresentação do Relatório de Atividades 2016 e dos resultados do Fundo Amazônia, para dar transparência e publicidade sobre os recursos do fundo, também como resposta aos doadores. Desde 2009, o Fundo Amazônia já recebeu um aporte de mais de R$ 2,8 bilhões, provenientes de três fontes: do governo da Noruega, cerca de 97,4% do total (aproximadamente R$ 2,775 bilhões); da Alemanha, com 2,1% (cerca de R$ 60,697 milhões); e da Petrobras, com 0,5% (R$ 14,7 milhões).

    ResponderExcluir
  3. A primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg, disse que o aumento do desmatamento na Amazônia, vai levar à redução das contribuições ao fundo este ano. Em 2016, foram mais de R$ 330 milhões, mas os valores para 2017 ainda estão indefinidos.
    Durante o evento, a embaixadora da Noruega no Brasil, Aud Marit Wiig, confirmou que os pagamentos ao fundo refletem os resultados na redução do desmatamento, mas disse que o governo norueguês precisa estar plenamente satisfeito com os resultados do fundo, ajudando também avançar a questão climática no país e no planeta.

    ResponderExcluir
  4. "As conquistas do Brasil nas últimas décadas ajudam as questões de combate a mudanças climáticas. Até 2015, os resultados eram massivos e enchiam os olhos. As recentes tendências do aumento do desmatamento não são encorajadoras e merecem reflexão, boas estratégias e esforços para reverter a situação": comentário da embaixadora da Noruega no Brasil, Aud Marit Wiig.

    ResponderExcluir
  5. Logo mais, mais informações sobre o Fundo da Amazônia, seu valor e alcance, você pode colocar aqui nesta seção o seu comentário, sua opinião ou enviar um e-mail para a redação deste blog, mande para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. Outra opção é contatar nosso editor de conteúdo deste blog de ecologia, inclusive para enviar material (fotos, vídeos, textos) ou mensagens, mande para padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. "Vejo como problema neste Fundo Amazônia só o lado brasileiro, os doadores Noruega e Alemanha parecem mesmo interessados em salvar a Amazônia, vai da pessoa desenvolver um projeto que consiga superar os limites ou problemas do Brasil": comentário de Flávio Campos, engenheiro florestal, formado pela USP e atuando hoje no Mato Grosso.

    ResponderExcluir

Translation

translation