sábado, 19 de agosto de 2017

NO MUNDÃO SECO DO INTERIOR DO PAÍS UMA LUTA PELAS ÁGUAS MOVIMENTA A NOVA GERAÇÃO DE ECOLOGISTAS DO BRASIL

A edição 2017 da Virada do Cerrado terá como tema a Água que anda em falta em Brasília ou também no sertão do nordeste e em todo o lugar que esteja secando por falta de gestão ambiental sustentável capaz de garantir o nosso futuro brasileiro e o da vida da nossa natureza


 

Recebemos aqui na redação do blog do movimento ecológico, científico e de cidadania várias mensagens de interesse e de apoio a esta matéria de divulgação da Virada do Cerrado, um evento fundamental para mudar e avançar a realidade do meio ambiente do Brasil. Confira nosso post.

 

Chuva Temporã é a força desse evento na seca hoje do Cerrado


O estagiário da Agência Brasil, Wendel Sousa fez matéria e nos informou que a programação da terceira edição da Virada do Cerrado foi apresentada lá no espaço de exposições Ulysses Guimarães, no centro de Brasília. Da mesma agência de notícias, depois Denise Griesinger também nos detalhou que o evento, que vai de 1 a 3 de setembro, realizará ações socioambientais, educativas, esportivas e culturais, tendo por objetivo integrar as regiões administrativas de toda a região de Brasília, Distrito Federal (DF) em prol da sustentabilidade. A nova edição deste ano já conta com 90 parceiros, entre entidades, organizações e órgãos públicos, tendo sido muito feliz e oportuno o seu tema, a Água: "No ano passado, cerca de 50 mil pessoas vivenciaram mais ou menos umas 500 atividades que foram acontecendo na Virada. Para essa edição de 2017, estamos focados no conteúdo que será transmitido para a população",  comentou André Lima, que secretaria o meio ambiente na capital federal e está sempre indo à luta pela Virada do Cerrado, que daqui 15 dias estará mexendo com a rotina de toda aquela macrorregião com atividades como um mutirão para limpeza de rios, seminários, rodas de conversas, plantio de árvores, corridas, shows, passeio  e caminhadas de estudantes nos parques de Brasília e cidades satélites. Para se ter uma ideia do evento, já há mais de mil atletas e esportistas em geral que se inscreveram na corrida deste ano. 


Clique e amplie esta imagem, cada nuvem sinaliza um pouco da programação

Equipe de apoio e de criação com André Lima da Virada do Cerrado 2017


A programação é bastante ampla e abrangerá Brasília, as cidades satélites e toda a macrorregião do Distrito Federal, invadindo Goiás. A Virada do Cerrado serve também como uma chamada cultural e ecológica para o Fórum Mundial da Água, que acontecerá ali mesmo em 2018. Tanto este evento destes próximos dias que vai até 3 de setembro, como também o fórum internacional do ano que vem, discutem a realidade de hoje e de amanhã, a necessidade de criação dum futuro sustentável no interior do Brasil. Tudo isso contribui demais para a discussão, reflexão e também mudanças ou avanço de atitude em relação à água, o recurso mais essencial para a natureza e a vida. Você pode digitar no Google Virada do Cerrado e aí entrar no site do evento e conferir na íntegra toda a programação. Conecte-se comeste evento de valor total para o movimento ecológico, científico e de cidadania:

Uma das equipes universitárias que se destacaram na Virada ano passado

Curta já aqui um resumo do que é e do que será a Virada do Cerrado   

 

Se trata de um programa multicultural, voluntário e colaborativo, uma grande mobilização para a educação ambiental promovendo ações continuadas, capacitações, sensibilizações e vivências que coincidem também com a Semana do Cerrado, realizando atividades socioambientais, educativas, esportivas e culturais, integrando todo o Distrito Federal em um movimento pela sustentabilidade, como uma vitrine de experiências positivas e melhores práticas a bem de toda a região, enfim, do desenvolvimento sustentável no interior do país. Na prática,vai se estar falando sobre e motivando a  educação ambiental para mostrar como o nosso Cerrado pode ser preservado, com a sua vegetação e as nossas águas, nosso ar e todo nosso ambiente saudáveis e em equilíbrio. Para isso, queremos todos juntos: crianças, jovens, servidores públicos, empresários, trabalhadores autônomos, ambientalistas, produtores rurais e culturais, estudantes e intelectuais, gente daqui e de fora, todos na Virada do Cerrado. 

 

Manifestações, performances, a Virada é uma ponte do Cerrado

 

Ponte do lago sul entre os problemas e a solução sustentável

O racionamento de água é um dos fantasmas de Brasília hoje


O evento vai virar e a Virada inclui rodas de conversa, música, oficinas, palestras, mutirões nos parques, feiras agroecológicas, caminhadas, corridas, bicicletadas, contação de histórias, circuito de ciências, gincanas, cinema ambiental, teatro, passeios ecológicos, performances livres. O tema de 2017 é Água, sendo que a parceria entre a população e a administração pública local no DF vem a ser  essencial para superar o grande desafio que todos temos hoje pela frente: "Entretanto, não vamos focar na crise, mas sim em soluções e boas práticas que podem ser realizadas para assegurar a disponibilidade hídrica", comentou ainda André Lima, organizador do evento:"As cidades satélites em torno de Brasília têm um papel importante na proteção e na sensibilização da população pela Água, pois têm também o poder de estimular soluções políticas e econômicas praticas que garantam o desenvolvimento urbano e o crescimento das áreas verdes, com uma gestão participativa e inovações tecnológicas", explica o release oficial do evento, que já anda divulgando por aí um slogan bastante estimulante para todos:
 
Pense a sua cidade! Pense o Cerrado! Vamos cuidar das Águas do Cerrado!
A Virada do Cerrado acontecerá entre os dias 01 a 03 de setembro de 2017.
Venha você também para a Virada!
Tem havido manifestações e performances pelo Cerrado

Pela vida do Cerrado

Brasília à noite do espaço

Virada e voz do cerrado

Em Brasília onipresente Juscelino, o fundador

Juscelino Kubistchek, fundação de Brasília anos 50

Brasília a busca brasileira de criar o futuro

Ceilândia, cidade satélite, favela Sol Nascente

Virada do Cerrado, 2017, luta pelas águas

Fontes: Agência Brasil
             www.folhaverdenews.com 

10 comentários:

  1. Aqui nesta seção, comentários e mais informações ou detalhes sobre a Virada do Cerrado, bem como, algumas das mensagens que a gente recebeu.


    ResponderExcluir
  2. Você pode colocar aqui a sua informação ou se preferir mande uma mensagem por e-mail para a redação do nosso blog navepad@netsite.com.br


    ResponderExcluir
  3. Você pode também contatar o nosso editor de conteúdo do blog de ecologia para assim mandar material como vídeo ou foto ou informação ou mensagem que nós a postaremos, envie então para o e-mail padinhafranca603@gmail.com


    ResponderExcluir
  4. "Superinteressante este evento, com certeza vou tentar chegar lá na virada de setembro, todos temos que ir em busca da primavera": comentário de Rafael dos Santos Rocha, de São Paulo, técnico em som e imagem.

    ResponderExcluir
  5. "Quero aqui parabenizar André Lima, organizador, e todo o movimento nessa luta pela água e pelo cerrado": comentário de Eliana Vaz, de Belo Horizonte, que pesquisa sobre recursos hídricos na UFMG.


    ResponderExcluir
  6. "Achei interessante nessa matéria vocês colocarem foto de Juscelino Kubitschek, contrasta com hoje em dia, parece que ele foi um político de verdade, um estadista que amava o Brasil": comentário de Jair Louvre, de Campinas (SP), produtor cultural alternativo.


    ResponderExcluir
  7. "Conheci a favela Sol Nascente, na periferia da periferia de Brasília (Ceilândia), é a cara do Brasil, que tem que começar a mudar por ali": comentário de Ângelo Gabriel, do Rio de Janeiro, morando atualmente em Juiz de Fora (MG), ele viaja como vendedor de produtos de Informática.


    ResponderExcluir
  8. "Brasília à noite deve estar cheia de fantasmas, vampiros inclusive, clima de horrorshow, ainda bem que é a capital federal vista do espaço, mais do que as cidades, o mais importante são as águas do Cerrado, o evento acerta nisso": comentário de Gilberto Mendes, músico, de Campinas (SP).

    ResponderExcluir
  9. "Tenho ligação com um grupo de teatro aqui em São José dos Campos (SP) e estamos planejando ir até Brasília para participar deste evento, tanto para divulgar nosso trabalho cultural como também para apoiar esta luta ecológica da hora": comentário de Mariana Morais, que é do Rio de Janeiro, estudou na Unicamp, trabalha em São José e se integrou ao Grupo Natureba's.

    ResponderExcluir
  10. Logo mais, em nova edição, mais mensagens que recebemos aqui no blog da ecologia. Aguarde nossa edição e participe vc tb.

    ResponderExcluir

Translation

translation