segunda-feira, 14 de agosto de 2017

PRIMEIRO TIME DE FUTEBOL DO MUNDO QUE ASSUME ALIMENTAÇÃO VEGETARIANA (FOREST ENGLISH SOCCER TEAM) É DESTAQUE AGORA NO PLANETA

Forest Green Rovers é o  primeiro clube de futebol profissional ecologista e vegano:  a saúde dos jogadores e a imagem positiva que conquista cada vez mais faz com que esta onda possa pegar em outros lugares e equipes (até por aqui no país da bola)

 

Forest Green Rovers avançando dentro e fora de campo

Fachada do estádio do clube Forest Green Rovers

Até por aqui no país da bola e do churrasco, pegou bem o Forest Green Rovers ser o primeiro clube de futebol profissional ecologista e vegano: depois de 128 anos de história e de um presidente nômade que se transformou em empresário, esta virada aconteceu: “A mensagem positiva tem mais peso a cada vitória, a opção vegan avança se temos sucesso no campo, não é só a comida, temos um gramado biológico, mas isto não serve de nada se não formos excelentes jogando bola, podia ser inclusive negativo e virar chacota”, comentou Dale Vince, presidente do Rovers, que sonha levar o modesto clube ao Championship (Segunda Divisão da Inglaterra). O cartola ecologista pretende, ainda, trasladar o time “em três ou quatro anos” ao primeiro estádio completamente construído em madeira, já projetado pelo escritório de Zaha Hadid, e que abrigará um ecoparque com uma incubadora de ‘start-ups’ verdes. É toda uma nova filosofia em busca duma realidade mais sustentável e mais feliz. 

A equipe do Forest Green Rovers está conseguindo jogar bem


Em Nailsworth, uma pequena cidade de 6 mil habitantes localizada nas colinas de Costwolds (oeste da Inglaterra), Dale Vince e os ‘Rovers’ tentam transmitir uma mensagem através do futebol: um mundo diferente é possível, vamos juntos. Como em qualquer canto da Inglaterra, no New Lawn, o pequeno estádio do Forest Green, que recentemente ascendeu à quarta divisão, pode-se encontrar  até batatas fritas, tortas e cerveja artesanal, mas não hotdogs, porque a carne é proibida ou foi abolida do cardápio dos jogadores e dos torcedores também. As tortas são veganas, a água para regar o campo é reciclada, a pintura tem uma origem natural e a energia procede dos painéis de Energia Solar colocados no teto das arquibancadas. Há também estações para recarregar as baterias dos carros elétricos e as camisetas do time exibem o logo da ONG Sea Shepherd, que trabalha pela proteção dos oceanos e defesa de toda a vida marinha.



Visão do restaurante vegano dentro do estádio do Rovers 


Apesar de sempre ter se chamado Forest Green (Floresta Verde), o clube só adotou esta política em 2010, com a chegada de Dale Vince, quando a entidade fundada em 1889 perto da fonte do rio Tâmisa estava afundada em um abismo financeiro: "A gente usa o clube para nos dirigirmos a um público com o qual se fala pouco sobre os problemas ambientais: os fãs de futebol. Não damos sermão mas procuramos dar o exemplo”, explica Vince, que fundou a Ecotricity, “um híbrido entre uma ONG e uma empresa” especializado em energias renováveis. Jovens da região inspirados nesta mensagem, tem buscando ações em defesa das nascentes do Rio Tâmisa. "Não me vejo como um empresário; sou um ambientalista no futebol", assegura este antigo viajante de 53 anos, que construiu seu primeiro aerogerador em 1990, quando vivia em cima duma caminhonete como um hippie mesmo, numa colina atrás do estádio junto à natureza da região.


Curry com ervilhas é um dos pratos preferidos pelos atletas

"A gente não se contenta em ser ‘bio’, temos que ser veganos. Não utilizamos produtos derivados de animais", diz por sua vez o jardineiro Adam Witchell, mostrando as algas que utiliza para fertilizar a grama, “cheias de nutrientes” e que procedem das Ilhas Hébridas (Escócia). “Removo as ervas daninhas com a mão. É mais saudável para mim, para os jogadores e para as abelhas, além de mostrar na prática nossa opção a todos". O que vale para o gramado, perfeito após a passagem de um robô cortador, vale para a comida servida aos jogadores (e aos espectadores): "Eu era entusiasta com o desafio de tornar a comida vegana acessível a todos”, afirma a chefe de cozinha Em Franklin. “Venham e provem: é bom, é saudável para seu corpo e para o meio ambiente". O profissional Franklin está animado: "Me disseram que as vendas aumentaram, uma nova confiança vai se construindo. Não é difícil fornecer aos atletas os nutrientes que necessitam, e especialmente as proteínas”, acrescenta a chef, após preparar o prato da partida: um curry com ervilhas.


Bom que no campo tudo começa a funcionar bem


E o time tem chance de subir de divisão em 2017


"Os jogadores estão muito em forma, como vimos na prorrogação", afirmou à BBC Mark Cooper, técnico do Rovers, após um jogo difícil contra o Milton Keynes (da Terceira Divisão Inglesa) na Copa da Liga (1 a 0) na semana passada: “Sergio Agüero (atacante argentino do Manchester City) tem declarado que durante a temporada é só vegano e esse detalhe fez aumentar a sua performance. Se isto funciona com um dos melhores jogadores do mundo, também vai servir para nós", argumenta Mark Cooper: "Me tornei vegetariano há seis meses, nem pensava nisso antes e realmente gostava do meu sanduíche de bacon no domingo de manhã”, brinca o técnico do Rovers. “Mas aqui, isso aqui começa a te impregnar, a te conquistar. Aliás, tenho uma mensagem para a Prefeitura: Façam as lixeiras maiores e as pessoas vão gostar e reciclar mais por aqui perto do campo e em toda a cidade".


Sergio Aguero (Manchester City e Seleção Argentina) virou vegetariano


E os torcedores, o que dizem de tudo isso? No bar e restaurante, Paul Willian experimentou o hambúrguer vegetal. “É meio sem gosto mas tem molho picante, não me oponho, mas gostaria de poder escolher, de toda forma, o lance está dando certo”. Do seu lado, Martin, outro torcedor que é mecânico, afirmou ao repórter da AFP: “Gostei do que pedi como lanche, não é o que eu mais gosto todo dia, mas tem uma cara boa, é gostoso, vou repetir porque me informaram que faz bem". Alguns clientes sentem fata do popular ‘fish and chips’ e concordam em uma coisa: "Chá e futebol fica estranho, acabamos por beber cerveja mesmo que seja artesanal", explicou Julian Kun, um dos torcedores que acompanham direto o time e estão se acostumando com as mudanças fora de campo: "Tudo está mudando no mundo, de repente, temos que buscar coisas novas". 

Em vez de hamburguer e churrasco...

...a novidade faz só aumentar a torcida do Forest Green Rovers

O ecologista e presidente do Rovers, Dale Vince

(Mais informações, opiniões e mensagens na seção de comentarios do nosso blog)

Fontes: AFP - BBC
             www.chuteirafc.cartacapital.com.br
             www.folhaverdenews.com 

8 comentários:

  1. A opção por uma dieta vegano do craque argentino que faz sucesso na Inglaterra veio em boa hora para fortalecer a escolha cultural do Forest Green Rovers: Sergio Aguero é hoje um parceiro no sentido de divulgação desta equipe e da chamada cultura da vida, que inclui a dieta sem carne.

    ResponderExcluir
  2. Logo mais, mais informações, opiniões, mensagens, participe você também, coloque direto aqui nesta seção ou nos envie um e-mail para a redação do nosso blog de ecologia navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Você também pode enviar material como fotos, vídeos, informação ou tão simplesmente contatar o nosso editor de conteúdo do blog, tanto para essa pauta como outras, e-mail padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Importante pro nosso movimento cultural, científico, ecológico a história desse time que a partir de hoje passa a ser a minha equipe no futebol inglês": comentário de Dario Fernandes, formado em Biologia na USP e vegetariano, que joga bola e faz caminhada no Ibirapuera em São Paulo.

    ResponderExcluir
  5. O site da Fox fez matéria sobre a opção de Sérgio Leonel Aguero Dell Castillo, nome civil do jogador de 29 anos. "Ele passou pelo Atlético de Madrid antes de atuar agora pelo Manchester City, sempre com brilho, como atacante e goleador, também da Seleção Argentina. No início da atual temporada, Sérgio Aguero sofreu com algumas lesões e acabou ficando de fora de jogos do Manchester City. Porém, desde que retornou pela última vez, em janeiro de 2015, ele voltou a ser um dos principais jogadores da equipe e a marcar muitos gols. O segredo para o fim das lesões? O vegetarianismo".

    ResponderExcluir
  6. Segundo informações do jornal Mundo Deportivo, o atacante tirou carnes, massas e açúcar de sua dieta, a fim de encontrar um estilo de vida mais saudável e voltar a ter sua melhor forma física:
    "E, como os números comprovam, a dieta parece estar fazendo maravilhas: já são 31 gols na temporada.Tive que mudar muitas coisas, começando pela alimentação, disse Kun, apelido de Aguero, em entrevista para o jornal: “Necessitava de um estilo de vida mais saudável e fui ver um médico na Itália. Depois da consulta, ele me disse que teria que mudar meus hábitos alimentares e não comer mais massa, nem açúcar e nem carnes, prato que eu apreciava muito porque a carne argentina é muito boa”. Ele afirma que, desde que mudou o cardápio, não teve mais lesões musculares que vinham atrapalhando sua performance e a sua carreira.

    ResponderExcluir
  7. "Vi num site de futebol, creio que de Portugal, Bancada, que esse time consegue mobilizar e por no seu estádio praticamente toda a população da pequena cidade de Nailsworth, no sudoeste da Inglaterra, sendo que agora já projeta crescer, construindo um novo estilo de estádio e subindo para a segunda divisão de lá": comentário de Humberto Pereira, do Rio de Janeiro, engenheiro.

    ResponderExcluir
  8. Este engenheiro, Humberto Pereira, do Rio, nos enviou também fotos e um texto sobre o projeto do novo estádio e crescimento do FGR: "Os objetivos do Forest Green Rovers ainda estão longe de ser alcançados, uma vez que o clube, considerado pelo presidente como “o mais pequeno de sempre” a chegar à League Two, já estabeleceu novas metas: chegar ao Champioship – segundo escalão – em cinco anos e construir um novo estádio. É verdade que o The New Lawn é recente, mas a direção pretende inovar ainda mais, tendo projetos para lançar o Eco Park: o primeiro estádio do mundo feito numa estrutura sustentável de construção exclusivamente de madeira, para marcar a sua ousadia e a originalidade da sua proposta".

    ResponderExcluir

Translation

translation