domingo, 6 de agosto de 2017

REPRESA DO SOBRADINHO NO RIO SÃO FRANCISCO ESTÁ SECANDO (PODE CHEGAR ATÉ A 0% DA SUA CAPACIDADE HÍDRICA AINDA NESTE ANO)

O Ministério do Meio Ambiente havia prometido revitalização do lado e até implantar placas solares flutuantes na represa do Nordeste desde 2015 (para ajudar na geração de energia durante as secas) mas tudo ficou na promessa, na realidade, Sobradinho já está abaixo de 10% de sua capacidade hídrica agora em 2017 sendo que a sequência de anos com chuvas abaixo da média e a falta de gestão sustentável ambiental e governamental no Brasil explicam esta situação dramática que pode ainda ficar trágica com um caos em toda aquela região  

 


O reservatório de Sobradinho ameaçado de secar totalmente
Projeto experimental de placas flutuantes de ES deu certo em Balbina (Amazônia)...

...mas prometidas pelo MMA desde 2015 não foram implantadas até hoje em Sobradinho

  Falta de gestão governamental ambiental sustentável no país

 

Placas solares flutuantes para energia solar auxiliar das usinas para evitar apagão: ficou só discurso e o povo paga mais pelas termoelétricas que são superpoluentes 

Sobradinho, principal reservatório nordestino construído entre o norte da Bahia e o oeste de Pernambuco para armazenar água do rio São Francisco, está cada ano pior. Segundo dados do Operador Nacional do Sistema (ONS) está operando com menos de 10% de sua capacidade total agora. Em agosto do ano passado a situação já era péssima, mas estava 8% a mais do que neste ano (18,5%). Em 2010, a situação era bem melhor, a represa então operava com 61,97% de sua capacidade hídrica, em 2015, ela já havia caído para 16,63% sem que nenhuma providência estrutural tenha sido tomada, agora em 2017, atinge a sua marca mais baixa, 9,80% na história da ecologia desse país. 




Em algumas regiões nordestinas não tem chovido nada

















Existem nesses dados dois divisores de águas, a situação estava confortável até 2011, outra intermediária, mas completamente eficaz para atravessar o restante do período seco até o período úmido entre 2013 e 2014 e as situações cada vez mais críticas dos últimos anos. O que salvou o sistema em termos de hidrelétrica foi a utilização de usinas térmicas, bem mais caras e muito poluentes, a diminuição das vazões de entrada e saída das águas do reservatório também atenuou ou disfarçou o problema. Neste ano porém a diminuição foi mais drástica, chegando ao nível mínimo capaz de manter o abastecimento de água da população ribeirinha à jusante do reservatório. Esta crise hídrica torna mais grave a crise de água no Nordeste brasileiro e o ápice da seca de 2017 é um alerta máximo no Brasil. E que providência emergencial tem sido tomada a bem da revitalização das águas do Rio São Francisco, agora e em todos estes anos? 


Já a partir da Serra da Canastra em Minas situação dramática


Os mapas técnicos mostrados em detalhes no site Climatempo mostram que tivemos de 2012 para cá uma sequência de anos com chuva abaixo da normalidade ao longo da calha do rio São Francisco, sendo agravada pela forte escassez de chuva (muito abaixo da normalidade) em 2014 e 2015. Só relembrando que 2014 foi o ano da crise hídrica em grande parte do Brasil, inclusive no Sudeste, ocasionada por um forte e prolongado bloqueio no verão, que impediu o deslocamento das frentes frias pelo país. Em outras palavras, a situação já não vinha muito boa depois da escassez de 2012, com pouca recuperação ao longo de 2013.  O que ajudou um pouco o início do ano de 2014 foi a atuação de uma forte ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) entre os dias 15 e 23 de dezembro de 2013, proporcionando muita chuva neste mês e com grande reflexo na recuperação de Sobradinho ao longo de janeiro de 2014. De lá para cá quase não choveu. Houve apenas um mês com chuva acima da média no São Francisco. No final de 2014 tivemos a formação daquele que se tornaria o El Niño mais forte do século e o segundo mais intenso de todos os tempos. Por conta disso, choveu de forma concentrada apenas sobre o Sul do país. O Centronorte brasileiro ficou com chuva muito abaixo da média e, por isso, observamos a forte queda do armazenamento de Sobradinho nos anos de 2015 e 2016. E mesmo com o enfraquecimento do El Niño, a chuva não voltou com força capaz de reverter essa situação, comprovam também estudos do sistema de satélites NOOA.  




Falta de gestão ambiental e também fenômenos naturais agravam



No início dos anos 2000 nós já havíamos passado por uma situação ruim, com apagão e racionamento de eletricidade no país. Naquela época não havia parque térmico capaz de ajudar o sistema e a crise foi imediata. Duas questões nos vêm neste momento: existe semelhança entre as duas crises hídricas? O que pode ter salvado o sub-sistema depois da crise do apagão?  Em ambos os casos, o que houve antes da crise foi a presença de uma La Niña moderada e relativamente prolongada. Depois passamos alguns meses em neutralidade e houve a posterior formação de um El Niño, conforme destacaram agora os meteorologistas do Climatempo. 



Urgente ampliar sistema de energias limpas como Eólica e Solar para evitar caos


A atuação de alguns sistemas meteorológicos de inverno foi observada, mas só houve impactos positivos nas Bacias do Sul principalmente e um pouco também no Sudeste (ou seja, a chuva não chegou à região de Três Marias, próximo à cabeceira do São Francisco).
Em resumo, o gatilho para a formação da crise hídrica foi o mesmo, mas a retomada pós crise foi bastante diferente. Com isso, o sistema se recuperou depois de 2003 e até 2011 não teve grandes baixas. A crise de agora ainda está se agravando demias, havendo até a possibilidade de Sobradinho atingir 0% no fim de outubro, segundo o próprio Operador Nacional do Sistema (ONS)



Na região e por aqui em todo país a esperança só as chuvas e a natureza

 
Fontes: Climatempo - ONS - NOOA
  
              www.folhaverdenews.com 

11 comentários:

  1. Realmente, fica evidente a falta de gestão ambiental governamental no Brasil e é lamentável a promessa do MMA em 2015 não ter tornado realidade até hoje.

    ResponderExcluir
  2. "Represa de Sobradinho na BA chega ao nível mais baixo da história e em contraste, o período chuvoso devolve o verde à vegetação na região agreste de Pernambuco": é matéria da revista Globo Rural que também alerta sobre a situação hídrica na região do reservatório Sobradinho no Rio São Francisco.





    ResponderExcluir
  3. "Uma área em Sobradinho que serve de pasto já foi rio um dia. Hoje, em vez de água, no lugar há terra seca e galhos de árvores mortas. O Rio São Francisco recuou quase um quilômetro nos últimos anos e abriu a trilha por onde o pescador João Eudes dos Santos caminha todos os dias até o lago de Sobradinho para ver se ainda encontra peixe": comentário dramático também em matéria Globo Rural.


    ResponderExcluir
  4. "Na barragem de Sobradinho é possível perceber o quanto o rio está seco. O reservatório opera com 600 metros cúbicos de água por segundo, a menor vazão desde a construção da barragem há 38 anos": comentário Globo Rural.






    ResponderExcluir
  5. "Este mês, o volume do lago Sobradinho está mais baixo em relação ao nível registrado em julho do ano passado. Na ocasião, o lago estava com pouco mais de 20%. Este ano, está com menos de 11% da capacidade": comentário de geólogo Tomaz Santos, sobre o que constatou lá em julho. Eles nos enviou fotos e matérias, o que agradecemos em nome do nosso blog de ecologia.



    ResponderExcluir
  6. "Para evitar que a situação piore, a Agência Nacional de Águas – ANA, já determinou que a captação na bacia do Rio São Francisco seja suspensa todas as quartas-feiras. Até o fim de novembro, nesse dia a água só pode ser retirada para consumo humano ou animal": esta nota resume uma das poucas providências governamentais diante desta situação que se aproxima do caos.



    ResponderExcluir
  7. "Na comunidade de Algodão Novo naquela região, os agricultores dependem da irrigação para a produção de frutas. Antes, o sistema ficava ligado oito horas por dia. Agora, o tempo caiu para bem menos que a metade": comentário de Antônio Ferreira, que tem dois hectares de manga e goiaba nas proximidades de Sobradinho.


    ResponderExcluir
  8. Você pode colocar aqui a sua informação e opinião ou então, se preferir, envie a sua mensagem por e-mail para a redação deste blog


    ResponderExcluir
  9. Você pode também contatar nosso editor de conteúdo deste blog de ecologia e cidadania também para enviar material como fotos ou vídeos ou informação, mande pro e-mail padinhafranca603@gmail.com


    ResponderExcluir
  10. "Já faz uns 2 anos que o Ministério do Meio Ambiente vem prometendo implantar, para auxiliar a geração de eletricidade sem se socorrer às caras e poluentes termoelétricas, implantar sistema de energia solar com placas flutuantes em Sobradinho, mas isso até agora ficou no discurso das autoridades políticas governamentais": comentário de Fernanda Mendes, Salvador (Bahia) que informa ter descoberto agora este blog ao pesquisar no site Google matérias sobre a seca no Sobradinho.

    ResponderExcluir
  11. "O que se pode esperar de um Ministério de Meio Ambiente comandado pór umfilho do José Sarney que está no PV mas tem atuação marrom na Câmara Federal, como agora, votando sim à corrupção, contra os princípios da ética e da cidadania? Temos mesmo todos do movimento ecológico questionar um MMA sob a direção de cientistas ou então de ecologistas de verdade": comentário de Rafael Moreira, que estudou Engenharia na Unesp e está cumprindo estágio em empresa de energia solar no Canadá.

    ResponderExcluir

Translation

translation