segunda-feira, 28 de agosto de 2017

TODOS ESPERAMOS QUE CHOVA NA PRIMAVERA EM BREVE MAS PODERÁ OCORRER EM ALGUNS PONTOS CHUVA ÁCIDA DEVIDO À POLUIÇÃO

Chuva Ácida é a próxima atração negativa do clima causada pela poluição do ar e por outros problemas ambientais como também gases tóxicos e combustíveis fósseis, o que provocará por alguns momentos em alguns lugares uma Primavera Negra

 
Estamos ansiosos pela chuva em meio so problemas da seca agora

 
Mas há esse problema que precisa ser mais debatido e enfrentado...




Estamos no sufoco nesta dias da baixa umidade do ar transformando o clima das cidades como o dos desertos, as queimadas nesta época tornam o clima mais árido e menos saudável, a inversão térmica nos grandes centros urbanos complica bastante também, em todo lugar, hoje há mais de um carro por habitante o que leva no espaço urbano a uma poluição atmosférica sem precedentes na história da ecologia: nesse contexto, no caso aqui do nosso país e da nossa região tão seca, a esperança é a chegada da Primavera. Porém, algumas da chuvas poderão vir com um problema extra, que tem sido muito pouco debatido e enfrentado. E não se trata das mais discutidas enchentes. Para muita gente, especialmente por aqui no Brasil, onde a mídia debate menos as questões ambientais do que na Europa, chuva ácida pode parecer novidade mas ela tem sido constatada desde ainda final do Século 19, há quase 200 anos já era pesquisada por Robert A. Smith na Inglaterra, em meio ao crescimento da chamada Revolução Industrial, mãe do progresso (tipo Abel) mas também da poluição (tipo Caim). Cada vez mais, atualmente, a partir de estudos de cientistas ambientais da Alemanha este fenômeno nada natural tem preocupado demais os médicos por causa das doenças que a chuva ácida provocam e os ecologistas, devido às sequelas no meio ambiente e à necessidade de se lutar contra este problema em busca de melhorar a qualidade de vida a população.
 
.
Clique e amplie esta arte para analisar melhor a tal Chuva Ácida


A chuva ácida causa um tipo de precipitação pluviométrica com presença de gases poluentes (derivados da queima de combustíveis fósseis) misturados com a água, formando compostos ácidos (ácido sulfúrico e nítrico, por exemplo). Nas regiões do pais mais industrializadas ou mais urbanizadas, como dentro e em torno das metrópoles, grandes e médias cidades, com a chegada pelo relógio da natureza da Primavera tão ansiosamente esperada por todos, a chuva poderá vir em muitos pontos formada por diversos ácidos como, por exemplo, o óxido de nitrogênio e os dióxidos de enxofre, que são resultantes da queima de combustíveis fósseis. Quando chegam à superfície no formato de chuva (ou neve no Hemisfério Norte) estes ácidos danificam o solo, as plantas, as construções históricas, os animais marinhos e terrestres e podem causar problemas respiratórios ou outras dificuldades também para a saúde humana. A chuva ácida conforme a sua intensidade pode até mesmo causar o descontrole de ecossistemas, até mesmo chegando a exterminar algumas espécies de animais e vegetais. De forma direta esta primavera negra causa a poluição de rios e fontes de água, esta poluição misturada com as chuvas pode também prejudicar diretamente a saúde das pessoas, provocando doenças em especial do sistema respiratório.
 
 

Uma das causas da chuva ácida...

 

Este fenômeno da chuva ácida tem crescido significativamente nos países em processo de industrialização, que é o nosso caso, do Brasil, assim como da Rússia China, México e Índia. As autoridades destes países se reúnem mais de uma vez por ano no grupo econômico Brics e nem ao menos colocam em pauta este problema de muita gravidade para a saúde e o meio ambiente. Ele deveria ser pautado também no G20 e nos encontros do Mercosul, mas em todas estas oportunidades, apesar de alertas de cientistas a serviço da ONU, os políticos e governos (em sua maioria) estão somente preocupados com negócios, sem se darem conta que hoje economia e ecologia precisam estar equilibradas para promover um desenvolvimento de verdade que então seja sustentável, capaz de proteger a vida e criar o nosso futuro.
 
 
Excesso de carros e poluição do ar uma outra causa
 
 
Chuva ácida e primavera negra: antinatureza
 
O setor industrial do nosso país e de quase todos os países tem crescido porém de forma descontrolada, afetando negativamente o meio ambiente. Nas décadas de 1970 e 1980, na cidade de Cubatão (litoral de São Paulo) a chuva ácida causou muitos danos socioambientais, houve surto de doenças entre os moradores desta região. As fontes de poluição química não foram totalmente filtradas ou eliminadas mas a chuva ácida saiu do noticiário. Os ácidos poluentes lançados no ar pelas empresas nesta e em outras regiões superindustrialoizadas, vêm causando muitos problemas de saúde na população das cidades e no meio rual em torno de distritos industriais ou de usinas de cana e álcool ou de termoelétricas e de petroquímicas. Foram relatados em Cubatão casos de crianças que nasciam sem cérebro ou com outros problemas físicos, hoje não se discute esta pauta mas continuam sem solução estas dificuldades, hoje acrescidas com a transmissão da Zica (e da Microcefalia) também por insetos. Enfim, o problema não acabou, pode se agravar mais sem a aplicação de soluções sustentáveis, virando drama ambiental e de saúde pública, a primavera negra se não combatida em suas causas estruturais poderá virar uma tragédia nos próximos anos em algumas regiões.  A chuva ácida tem sido também a causa de desmatamentos significativos na Mata Atlântica na região da Serra do Mar. Estudos feitos pela WWF (Fundo Mundial para a Natureza) indicam que nos países mais ricos o problema também ocorre. No continente europeu, por exemplo, estima-se que 40% dos ecossistemas estão sendo danificados pela chuva ácida e outros tipos de poluição. Aqui no Brasil e na América Latina não há nem mesmo pesquisas e estatísticas. Nos países mais ricos, a chuva tem sido ácida também por falta duma gestão sustentável de desenvolvimento. Num país que busca o desenvolvimentismo a qualquer preço ou custo, priorizando os interesses ruralistas, o agronegócio e não a saúde, o ambiente e o bem estar da maioria da população, aí então a tendência é que maior incidência de chuvas ácidas e de primaveras negras. Você sabe de que país estamos falando. Este blog do movimento ecológico, científico e de cidadania está sempre alertando também pela urgência da grande mídia pautar a questão socioambiental e as autoridades governamentais implantarem formas sustentáveis de gestão do Brasil.
 
 
Um debate maior deste problema é o primeiro passo para a solução
 
Fontes: www.todabiologia.com
              WWF - BBC
              www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. "A chuva ácida está hoje entre os principais impactos ambientais ligados à atmosfera, a atmosfera, assim como os diversos componentes do planeta, vem sofrendo alterações provenientes do aumento populacional e de seu consequente aumento de demanda por recursos naturais, o que implica, principalmente, a expansão da industrialização. Há evidências de modificações em níveis global e regional, sejam climáticas ou não. Nesse contexto está o problema ambiental e de saúde pública da chuva ácida": comentário que está na webpagina Geoblogeografia

    ResponderExcluir
  2. "A chuva ácida na sua formação corresponde a um fenômeno (e um problema) atual, originado a partir do grande "desenvolvimento" de centros urbanos, centros industrializados sem proteção ambiental. Com a liberação de poluentes à atmosfera pelas diversas fontes de poluentes gasosos (indústrias, veículos e usinas energéticas), há a combinação destes poluentes com o vapor de água existente na atmosfera. Esta combinação entre água e poluentes (como o dióxido de enxofre e o óxido de nitrogênio) vai sendo acumulada em nuvens, ocorrendo assim sua condensação, basicamente da mesma forma como são originadas as chuvas comuns. Através da eletricidade gerada do choque entre nuvens, os elementos poluentes entram em reação química, formando compostos ácidos, que mais tarde serão precipitados em meio a algumas chuvas em algumas regiões mais poluídas": comentário do engenheiro químico Rodolfo Mendes, da Unesp.

    ResponderExcluir
  3. Logo mais, aqui neste espaço do nosso blog de ecologia, mais informações e debate sobre as chuvas ácidas: você pode colocar direto aqui a sua opinião ou informação ou se preferir ou precisar envie por uma mensagem para o e-mail da redação do nosso blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Outra alternativa para participar deste edição é você enviar um e-mail diretamente para o editor de conteúdo deste blog padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "Caramba, meu, eu sonhando com as chuvas da primevra para chegar e aí acordo com esse problema, mais um que ainda não teve uma solução sustentável no país, país sem gestão ambiental é mesmo uma desgraça": comentário de Heloisa Almeida, médica, que atua no sistema de saúde pública na Grande SP.

    ResponderExcluir
  6. "Mesmo a curto prazo, com uma gestão ambiental básica pode se prevenir e/ou evitar a chuva ácida em muitos lugares. Há maneiras para se reduzir esse problema, estando dentre essas soluções a curto prazo:
    A Redução no consumo de energia.
    O Incentivo ao uso do transporte público.
    O uso de um sistema de tratamento de gases industriais
    O uso de combustíveis mais limpo: álcool, biogás entre outras, de ´preferência, ir acabando com a poluição do ar. Utilização de fontes energéticas mais limpas como é o caso da células fotovoltaicas, aerogeradores, biodigestores entre outras soluções sustentáveis que relamente temos que ir à luta para mudarem a situação": comentário de Geraldo Sousa, estudante de Biologia na USP, que nos enviou um material sobre essa pauta, a gente aqui agradece Geraldo, paz aí.

    ResponderExcluir
  7. "A partir de amanhã em Pequin mais um encontro do Brics, com presidentes do Brasil, Rússia, México, Índia e China, mas infelizmente não está em pauta a Chuva Ácida, mesmo sendo estes 5 países os que têm maior incidência deste problema no planeta, aliás, a questão ambiental sempre tem ficado em segundo plano": comentário de Rubens Gonçalves, economista de São Paulo (SP).

    ResponderExcluir
  8. "Terrível por aki na Grande Sampa e em todo o estado de SP sob o domínio do PSDB há + de 20 anos: rolou verba de bilhões de dólares mas a poluição continua solta, aidna hoje, smog (small da poluição mais fog, a neblina nativa do planalto paulista). Mudar para não morrer": comentário de Ibrahim Soares, ecologista, de Campinas (SP), quartanista na Unicamp de Medicina.

    ResponderExcluir

Translation

translation