segunda-feira, 11 de setembro de 2017

A VISÃO DUM EMPRESÁRIO BRASILEIRO QUE VIVENCIOU AO VIVO MOMENTOS EM QUE O FURACÃO IRMA COMEÇAVA A ATINGIR A FLÓRIDA

Caos ambiental causado pelo ciclone foi maior nas ilhas do Caribe e de Cuba, vitimando 27 pessoas,atingiu com força a bem estruturada Flórida nos Estados Unidos ontem (4 mortes) mas perdendo intensidade, virou tempestade tropical ao se aproximar do sul da Geórgia, confirmou o NHC, centro especializado nestas ocorrências climáticas e ambientais, uma das poucas de que o Brasil anda livre por enquanto



Graças a Deus e à natureza o furacão Irma se tornou só uma tempestade tropical



Por aqui no nosso blog de ecologia, hoje o texto do empreendedor Carlos André Montenegro, que é do Rio de Janeiro, e se dedica ao e-commerce, sendo mais conhecido em meio aos 100 milhões de brasileiros e de brasileiras com maior poder de consumo, os outros 100 milhões de conterrâneos se lembram mais que ele foi um dos herdeiros do popular Ibope no Brasil. O texto deste TI e empreendedor vale pela sua informação de cidadania e de jornalismo. Nos foi enviado por Albertina Lourenci, também brasileira, que vive hoje na Califórnia (USA). Vale conferir como cerca de 6 milhões de pessoas que vivem na Flórida passaram por este, digamos, sufoco ambiental. Miami, Tampa, Nápoles na parte mais ao sul da Flórida se tornaram cidades fantasmas.. Escolas, lojas, escritórios públicos e privados, bancos, casas particulares, portos e aeroportos foram fechados.O litoral de Miami e da ilha de Miami Beach foram fortemente inundados. O aeroporto de Miami será reaberto apenas nesta terça-feira. O furacão passou, é passado. Servirá como uma lição para o nosso futuro? As questões do clima e do ambiente só ganham dimensão na hora das tragédias. Às vezes nem as tragédias mobilizam (como a seca agora no centro do nosso país ou o desastre da Samarco em Minas Gerais e Espírito Santo. Mas uma tragédia deveria ser motivo para uma gestão sustentável não só de emergência, mas estrutural e capaz de equilibrar ecologia com economia, problemas da realidade de agora com a criação do futuro da nossa vida. (Editor do blog Folha Verde News, ecologista Padinha).

O caos é maior em países com menor estrutura nas construções e na vida da população
.


"Obrigado, Irma! Faz dois anos que decidi me mudar do Rio de Janeiro para Miami com minha mulher e meus dois filhos, em busca de algo melhor para nossas vidas. Por ironia, depois de dois anos vivendo na America, recebi o meu Green Card exatamente no dia em que também recebi a notícia de que o furacão Irma, o pai de todos os furacões, também está a caminho. O governador da Florida, Rick Scott, assim que soube da gravidade do problema, foi para a TV e ordenou que todos no sul da Florida evacuassem suas casas imediatamente, pois as consequências podem ser catastróficas. Da noite para o dia, como em um piscar de olhos, milhões, literalmente milhões de pessoas, abandonaram suas casas e já estavam nas estradas, subindo ao Norte. Eu era mais um na multidão, no meio de um enorme congestionamento, e isso me fez lembrar das minhas voltas dos feriados de Búzios, na Região dos Lagos. A única diferença é que, pasmém, aqui na Florida, mesmo em uma situação absolutamente adversa, as pessoas não trafegam pelo acostamento para tirar vantagem e chegar mais rápido ao destino. Todos respeitam as leis de trânsito, mesmo em situações caóticas, emergenciais. Motociclistas loucos também não existem por aqui. É proibido trafegar entre as faixas. Acho que eles nem sabem o que significa isso, podem acreditar. Quando encontrei um lugar seguro, a primeira coisa que eu fiz foi ligar a TV. Lá estava o Governador novamente falando ao vivo, e eu comecei a ter uma aula de patriotismo, solidariedade, respeito pelo próximo e, acima de tudo, respeito pela vida. A mensagem que mais me tocou foi: “se você não tem como sair de casa, seja por qual motivo for, ligue para o número que você vê no rodapé da imagem, que iremos agora na sua casa te salvar. Ainda temos tempo!”. Isso me arrepiou! Pensei: esse cara é o meu herói! Lembrei automaticamente das enchentes de Teresópolis, tenho uma conexão com a cidade pois, desde que me entendo por gente, tenho casa lá. Anos após aquela triste tragédia de 2011, descobriu-se que a quadrilha de Cabral desviou parte do dinheiro que deveria ser utilizado nos resgates das vítimas e reconstrução da cidade. Até o prefeito foi preso. Confesso que tive vontade de vomitar ao comparar! Voltando ao furação, as companhias aéreas americanas, das quais todos sempre reclamam, colocaram vôos extras, durante toda a madrugada, com preço fixo de $98 dólares, para ajudar a escoar o pessoal pelos céus. A Expedia, site de reservas de hotéis, ofereceu tarifas com descontos especiais em lugares seguros. O mesmo fez o Airbnb, site de reservas de casas e apartamentos. Os hotéis, por sua vez, passaram a aceitar mais hóspedes por quarto e também animais de estimação. As operadoras de telefonia, que normalmente restringem suas redes de wi-fi aos seus clientes, liberaram internet grátis para todos. Onde existir cobertura, existirá wi-fi grátis. Comunicação, ou a falta de, pode salvar uma vida ou causar uma morte nesse tipo de situação. Até o hotel em que estou, acaba de informar que todo o conteúdo de filmes e desenhos, que normalmente é cobrado, será grátis nas próximas 72 horas. O Google se uniu ao governo, em um esforço sem precedentes, para conseguir localizar e colocar em tempo real nos seus mapas (Google Maps e Waze) as ruas fechadas, bloqueadas e danificadas, após a passagem do Irma. São muitos os exemplos, que realmente emocionam. Na maioria das vezes coisas simples, mas que trazem o mínimo de conforto nesse momento e esperança de um futuro melhor. Como diz o famoso ditado: depois da tempestade, sempre vem a calmaria".
 
 
Carlos André Montenegro escreveu este texto quando o Irma se aproximava da Flórida

Fontes: NHC - www,folhaverdenews.com

7 comentários:

  1. HOUSTON - Um novo furacão se formou no Oceano Atlântico e foi classificado na categoria 2, de uma escala até 5, com ventos de 160 km/h. De acordo com especialistas americanos do Centro Nacional de Furacões, o fenômeno, batizado de "Irma", pode prejudicar ainda mais o Texas e o Golfo do México, que foram devastados pela depressão tropical Harvey, que atingiu o solo americano há seis dias como furacão e se tornou depois tempestade tropical.

    ResponderExcluir
  2. Agências internacionias de notícias informam também que explosões foram relatadas em uma indústria química da empresa francesa Arkema em Crosby, no Texas Harvey: Fumaça em usina inundada no Texas é 'incrivelmente perigosa', diz órgão federal

    ResponderExcluir
  3. Famílias deixam suas csas em Lakeside Estate em Houston, TexasHarvey avança por Louisiana e já deixa 37 mortos. "Espera-se que o desenvolvimento, se houver, desse sistema (de ar) seja lento para ocorrer com baixos movimentos lentamente para o norte", disse o CNF. "Se o sistema se desenvolver, poderia trazer chuvas adicionais a partes das costas de Texas e Louisiana".

    ResponderExcluir
  4. A depressão tropical Harvey perdeu força nesta quinta-feira enquanto avançava para o interior do estado de Louisiana, deixando para trás volumes recordes de chuvas que forçaram milhares de pessoas a sair de suas casas no Texas. O número de mortes, que já chega a 39, continua aumentando à medida que corpos são encontrados com o recuo das águas.

    ResponderExcluir
  5. A tempestade que paralisou Houston deve ser um dos desastres naturais mais trágicos da história dos Estados Unidos e apresentará ao governo do presidente americano, Donald Trump, enormes desafios humanitários, ambientais e de reconstrução. Cerca de 32 mil pessoas foram obrigadas a deixarem suas casas desde que Harvey atingiu o território americano na sexta-feira, na área de Rockport, no Texas. Este foi o fenômeno natural mais forte a atingir o estado em meio século.

    ResponderExcluir
  6. "No México o desastre foi causado por terremoto", informa correspondente da agência Reuters na América do Norte: "O forte terremoto que atingiu o sul do México deixou ao menos 96 mortos, danificou dezenas de milhares de casas e afetou cerca de 2,5 milhões de pessoas, disseram autoridades do governo, à medida que mais detalhes sobre o desastre vieram à tona".

    ResponderExcluir
  7. Mais informações da mesma agência internacional de notícias Reuters. O Irma atingiu a Flórida depois de fazer estragos no Caribe na condição rara de furacão de categoria 5 e matou 38 pessoas, incluindo 10 em Cuba, que no final de semana foi vitimada por ventos ferozes e ondas de 11 metros de altura. Uma semana antes, o furacão Harvey inundou uma vasta porção de Houston, no Texas. A temporada oficial de furacões no Atlântico ainda dura quase três meses".



    ResponderExcluir

Translation

translation