domingo, 29 de outubro de 2017

JOSÉ GALÍZIA TUNDISI CRIOU CURSOS E FEZ PESQUISAS PIONEIRAS SENDO ASSIM ELE NA ATUALIDADE CONCEITUADO COMO UM DOS MELHORES CIENTISTAS DO BRASIL


Mestre Tundisi está na vanguarda da biologia brasileira e mais ainda na luta para construir um mundo melhor por meio da ciência e assim ele se destaca hoje como um dos maiores expoentes do movimento científico no Brasil mesmo com a pesquisa e a ciência não terem como deveria ter o apoio governamental

 
Tundisi está na vanguarda da segurança hídrica no Brasil


A gente conferiu no site da revista Veja, matéria da Abril Branded Content sobre este audaz biólogo, ecológico, professor, que é pioneiro da luta científica contemporânea no país, o biólogo José Galizia Tundisi  que vem há anos participando da fundação de alguns dos cursos mais conceituados em sua área de atuação, ele que é também um ativista da cidadania para mudar e avançar o Brasil, segundo o repórter Alexandre Battibugli, José Galizia Tundisi atualmente está na vanguarda da biologia e do avanço científico brasileiro. Confira a seguir mais informações nesta pauta.

Estamos agora em 2017 há 38 anos da regulamentação da profissão de biólogo no Brasil. E este fato é uma uma razão para a gente destacar também por aqui no blog do movimento ecológico, científico e de cidadania Folha Verde News, ele que é um dos maiores especialistas brasileiros em gerenciamento de recursos hídricos, José Galizia Tundisi (CRBio 033693/01-D), de muita energia aos 79 anos. Ele ajudou a solucionar crises hídricas em mais de 40 países como Japão e Espanha, acompanhou de perto a escassez de água no estado de São Paulo em 2014 e deveria ser mais ouvido pelas autoridades governamentais sobre a questão ambiental: "Coordenei um grupo de acadêmicos, que elencaram sugestões para os governantes garantirem mais segurança hídrica. Em parte,algumas foram acatadas e funcionaram". Mas José Galizia sabe que é preciso mais conexão entre os cientistas e as autoridades públicas, porém, o que se vê é distanciamento porque o Governo acaba de reduzir verbas das universidades federais e portanto também da pesquisa, fundamental para que o país e nossa chance de mudanças e avançam tornem viável um futuro sustentável, equilibrando economia com ecologia. 



Além de pesquisador, biólogo e ecólogo, professor top



José Galizia Tundisi é antes de tudo ou de mais nada, um pioneiro. Alguns dos cursos mais conceituados da área na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) foram fundados com o apoio ou sob a liderança ou inspiração de Tundisi. Entre eles estão o curso de ciências biológicas e a primeira pós-graduação em ecologia, que já formou mais de 1 000 doutores e profissionais, hoje importantes no mercado de trabalho técnico e na formulação de políticas públicas socioambientais. Este especialista se orgulha de nunca ter abandonado a pesquisa desde que iniciou a carreira com a Oceceanografia, isso, ainda nos anos 60.

 Galizia: "Cientistas são contemporâneos do futuro que todos precisamos criar"

 

O futuro do país e da nossa população está nas águas



A premiada química doutora Joana também se preocupa com formação de novos pesquisadores e com a criação dum futuro sustentável no país


(Confira mais informações na seção de comentários do nosso blog de ecologia, OK?)


Este detetive de fenômenos naturais, tem também a dimensão da função social e até política da sua atuação: "Sempre recomendo aos pesquisadores um detalhe, se, além da pesquisa, você puder ser professor, contribuir com a formação de novos cientistas e com o seu estado ou município, faça isso, por favor, por amor à ciência e ao nosso país". Ele colocou a própria recomendação em prática: além de dar aulas e de ser pesquisador do Instituto Internacional de Ecologia (IIE), Tundisi atuou na presidência do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e, atualmente, cumpre seu terceiro mandato na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia de São Carlos, importante polo de tecnologia no interior paulista. Nesta função de secretário, ele já criou sete parques urbanos para desenvolvimento de pesquisa na cidade. Ele também planeja repetir a sua boa experiência com os sensores na represa do Broa e expandi-la para toda a cidade: quer sensores de água e de ar, de segurança pública e de trânsito para apresentar dados em tempo real à população."Precisamos aplicar a ciência ao município. Isso representaria um avanço significativo na área de meio ambiente, na qualidade de vida, uma informação essencial não somente para os universitários e sim para todos os cidadãos e cidadãs". 


Esta é uma das bandeiras do cientista José Galizia Tundisi


Fontes: www.veja.abril.com.br
             www.folhaverdenews.com 

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "A Biologia é a ciência que estuda a vida, ou seja, os animais, vegetais e todos os seres vivos de nosso planeta. Esta ciência é de extrema importância para o entendimento do funcionamento do nosso ecossistema. Cada vez mais o homem utiliza os conhecimentos de biologia para melhorar as relações que os seres vivos possuem na natureza. Como diz a palavra biologia estuda os seres vivos,fala da estrutura dos seres vivos,a maneira de viver e conviver,realmente é muito importante para a todos, pois o homem podia viver em sincronia com a natureza, poderíamos encontrar muitas soluções, como remédios,combustíveis naturais que não agridem nem o ecossistema nem o ser humano, alimentos mais saudáveis, até o que fazer com o nosso esgoto para não poluir o nosso planeta, podemos desenvolver técnicas para aproveitar as substâncias orgânicas do esgoto, são soluções que podem vir através da atuação de um biólogo": comentário de Kah Fernandes, que há 10 anos atrás encontrou seu caminho depois duma palestra de Tundisi, segundo nos conta por e-mail.




    ResponderExcluir
  3. "A pesquisa sempre foi uma grande paixão antes mesmo de Tundisi começar a faculdade. Foi a investigação científica que o motivou a estudar história natural na Universidade de São Paulo (USP), um curso relativamente recente na época, introduzido por professores alemães nos anos 1930, com base na ecologia e botânica. A partir daí, emendou o mestrado e o doutorado, virando hoje este ícone da ciência e do ambiente": comentário da matéria da Veja.

    ResponderExcluir
  4. "Tundisi atua como pesquisador na cidade de São Carlos (SP) há 46 anos, desde que iniciou um projeto de limnologia (ou seja, o estudo das águas continentais) na UFSCar. Essa área da ciência tinha muita influência da botânica e da zoologia, mas pouco da oceanografia, área de especialidade deste biólogo de vanguarda": comentário feito sobre ele na EPTV na UFSCAR em matéria sobre a questão hídrica.

    ResponderExcluir
  5. "Lá na represa do Broa testávamos nossas hipóteses e introduzimos uma visão mais sistêmica de integração de organismos com o meio ambiente, especialmente em lagos, represas e águas interiores. O trabalho continua sendo feito, e a represa do Broa já é hoje o reservatório mais estudado do mundo”: comentário do próprio José Galizia Bundisi na imprensa de São Carlos (SP).

    ResponderExcluir
  6. "A primeira coisa que Tundisi fez ao chegar a São Carlos, ainda em 1971, foi instalar, ao lado da represa do Broa, uma estação climatológica de primeira classe, que existe ainda hoje. O clima tem uma relação importantíssima no funcionamento do sistema aquático. Por isso, essa estação foi uma grande contribuição. Mais recentemente, foi instalada uma nova estação no mesmo local”: comentário também na imprensa de São Carlos (SP).


    ResponderExcluir
  7. Você pode colocar aqui nesta seção o seu comentário ou a sua opinião, se preferir, mande um e-mail para a redação do nosso blog de ecologia que aí postamos para você sua mensagem: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  8. Contate nosso editor de conteúdo para nos enviar ao blog mais informações ou sugestão de pauta e de matérias, bem como vídeos ou fotos, mande para o e-mail padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  9. "Era e é necessário ampliar o universo das relações internacionais da UFSCar. Por isso, começamos a convidar pesquisadores de outros países para trocar experiências com os brasileiros. Houve uma grande colaboração científica com japoneses e espanhóis”: comentário de Tundisi, feito em reportagem na Clube, TV Band da região nordeste paulista.

    ResponderExcluir

Translation

translation