sábado, 28 de outubro de 2017

MOVIMENTO PARA AMPLIAR ACESSO DE REFUGIADOS E MIGRANTES AO MERCADO DE TABALHO E AO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL TEVE EVENTO EM BRASÍLIA



Já há propostas de ampliação e uma nova lei para este setor no país precisará ser debatida logo para entrar em vigor ainda em novembro deste ano a bem dum avanço humanitário para refugiados e migrantes com um apoio importante da ONU

 

  

 Rede de pessoas voluntárias e de entidades solidárias aos refugiados e migrantes no ento destes dias em Brasília com apoio da ONU
Organizações e voluntários de cidadania que atuam na proteção, integração e defesa dos direitos de pessoas refugiadas e migrantes apresentaram durante evento em Brasília (DF) na semana passada sugestões para ampliar o acesso dessa população ao ensino superior e ao mercado de trabalho aqui em nosso país: a informação chegou por e-mail ao nosso blog do movimento ecológico, científico e de cidadania Folha Verde News que divulga com alegria esta luta que é principalmente humanitária. Foi evento de valor também porque avança o processo de criação e de regulamentação de uma nova Lei de Migração no Brasil.


Também na Alemanha há iniciativas humanitárias também positivas hoje
 
No evento em Brasília rolou uma mesa de debates sobre a situação migratória de venezuelanos, com um fluxo grande nesse momento: representantes da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Polícia Federal e do Ministério Público do Trabalho, além de voluntários que atuam na linha de frente nestes dias em Roraima na fronteira do Brasil com a Venezuela. O encontro teve o apoio também da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e da Organização Internacional para as Migrações (OIM). Foram debatidos também problemas de refugiados e migrantes de outras origens (por exemplo, de países em situação de conflito e guerra, como Síria ou Afeganistão). Organizações que atuam na proteção, integração e defesa dos direitos de pessoas refugiadas e migrantes apresentaram sugestões no sentido principalmente de ampliar acesso ao mercado de trabalho e também ao ensino público, também junto às universidades brasileiras. 

 
 Isabel Marquez (ACNUR) no evento destes dias em Brasília

Foi no evento formalizada a intenção de acompanhar de forma ativa o processo de regulamentação da nova Lei de Migração no Brasil com o objetivo de garantir que os direitos já conquistados não sejam minimizados, compromisso firmado durante este 13º Encontro Nacional das Redes Solidárias para Migrantes e Refugiados. O aumento do fluxo migratório no norte do país também teve destaque durante os debates. Com o tema “Por uma migração que acolha, promova, proteja e integre os migrantes, os refugiados e suas famílias”, o encontro reuniu aproximadamente 100 participantes, representando 41 instituições de todas as regiões do Brasil, entre universidades, organizações internacionais, órgãos de governo, também pessoas interessadas no tema e na causa da mobilidade humana. Durante os três dias de evento, os participantes tiveram a oportunidade de compartilhar informações, desafios e estudar soluções para promover a integração de refugiados e migrantes em nosso país. 



Aqui e em todo o planeta a luta para melhorar a condição dos refugiados


Atualmente em processo de regulamentação, a nova Lei de Migração entrará em vigor em 21 de novembro de 2017 foi tema de debate, sendo que o representante do Ministério Público Federal informou ali que o órgão deverá ter acesso em breve ao texto-base que está sendo preparado pelo Governo Federal, é necessário que seja organizada uma consulta pública para analisar os pontos principais desta legislação com a participação de entidades da sociedade civil já representadas no Comitê Nacional para Refugiados (CONARE) e no Conselho Nacional de Imigração (CNIg).


Um fluxo grande de imigrantes da Venezuela no norte do país hoje

Confira mais alguns informações e também opiniões e mensagens sobre essa questão dos rafugiados e migrantes na seção de comentários do nosso blog aqui nesta webpagina)



 Hoje este é um point de refugiados e migrantes na América do Sul



Fontes: UNIC - ONU
             www.folhaverdenews.com

8 comentários:

  1. Segundo nos informa ainda o e-mail da UNIC, os participantes do encontro em Brasília nesta semana compartilharam reflexões sobre a regulamentação sa nova Lei da Mibgração no Brasil. Ao mesmo tempo que existe a esperança de uma aplicabilidade, há também o receio de que o texto final limite as conquistas já existentes no setor, daí a importância duma audiência pública, sugerida pelo Ministério Público para debater a legislação antes que ela entre em vigor.

    ResponderExcluir
  2. Outro tema debatido com apreensão foi a apatridia. Ainda que a nova lei tenha disciplinado pela primeira vez no Brasil o seu reconhecimento, foi consenso entre os participantes do encontro que se trata de uma questão complexa. Há um preconceito hoje contra imigrantes oriundos da Venezuela, por exemplo.

    ResponderExcluir
  3. O debate sobre a situação migratória de venezuelanos reuniu representantes da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Polícia Federal e do Ministério Público do Trabalho, além de voluntários que atuam na linha de frente em Roraima, norte do Brasil. A representante do ACNUR no Brasil, Isabel Marquez, apresentou dados recentes, principais desafios e respostas. Ela expôs os resultados da pesquisa realizada recentemente pelo OBMigra, sobre o perfil sociodemográfico dos venezuelanos que chegam no Brasil. Entre as informações reveladas, destaca-se o fato de que os imigrantes apresentam bom nível de escolaridade (32% com superior completo ou pós-graduação), que 82% do total são solicitantes de refúgio, e o preocupante fato de que a maioria diz ter enfrentado situações de xenofobia por aqui.

    ResponderExcluir
  4. A diretora do Instituto Migrações e Direitos Humanos, articulador da Rede, irmã Rosita Milesi, destacou a maturidade e profundidade com que todos os temas foram debatidos, e a integração que se estabeleceu entre os participantes, com firmes posições na defesa dos direitos dos migrantes e refugiados e sobre a necessidade de avançar em políticas públicas para que se possa efetivamente acolher, proteger, promover e integrar esta população que vem ao Brasil em busca de vida com dignidade, de segurança e de paz.

    ResponderExcluir
  5. Só mais um dado, o Encontro Nacional da RedeMir foi realizado conjuntamente pelo Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH), em parceria com ACNUR, e pelo Setor Pastoral da Mobilidade Humana da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com apoio de CONARE, CNIg, Fundação Avina, Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Organização Internacional para Migrações (OIM).


    ResponderExcluir
  6. Você pode postar aqui a sua opinião ou informação mas se preferir ou precisar envie a sua mensagem por e-mail para a redação do nosso blog de ecologia e de cidadania: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  7. Você também pode contatar o editor de conteúdo deste nosso blog para nos enviar material de informação, vídeos, fotos, comentários, sugestão de pauta ou matérias relacionadas, favor enviar então para o e-mail padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  8. "Seja com refugiados da Venezuela ou de quaisquer outros países é importante que o Brasil, um país de imigrantes na sua história e na realidade do seu povo, tenha como receber dignamente estas pessoas que podem contribuir também para o nosso avanço": comentário de José Eduardo Barros, de São Paulo, que fez pesquisa na Unicamp e na USP sobre esta questão humanitária.

    ResponderExcluir

Translation

translation