segunda-feira, 30 de outubro de 2017

SERÁ VERDADE MESMO QUE PARLAMENTARES VÃO DISCUTIR HOJE A REVITALIZAÇÃO DOS NOSSOS RIOS? OU SE TRATA SÓ DE MARKETING ELEITORAL?

Despoluir e revitalizar bacias hidrográficas do Brasil está na agenda do Senado para nesta terça mas isso já deveria ter sido feito ao longo de todos estes anos em que a destruição da ecologia vem aumentando sem nenhuma gestão governamental, algo que pode causar um caos no ambiente, no clima e até mesmo na economia brasileira



Nos rios onde ainda há peixes desafio da falta de oxigênio ou poluição


 Até em rios da Amazônia houve casos se seca e mortandade de peixes



Está marcada para esta terça feira de manhã no Senado Federal debate da Comissão do Meio Ambiente sobre a revitalização das bacias hidrográficas no país: elas estão muito degradadas mesmo, a pauta é urgente mas o que nosso movimento ecológico, científico e de cidadania teme é que seja somente uma atitude eleitoral dos senhores parlamentares que estão - numa palavra - mais queimados do que a Chapada dos Veadeiros depois das últimas sessões no Congresso Nacional... De toda forma, nosso blog recebeu um e-mail do site AmbienteBrasil e então vamos divulgar esta informação. Mas com um pé atrás,,,



Na bacia do rio São Francisco seca reduziu vazão das águas

A Comissão de Meio Ambiente (CMA) realizará nesta terça-feira (31 de outubro), às 10h30, audiência para discutir a revitalização de bacias hidrográficas. A discussão faz parte da avaliação anual de uma política governamental ligada à área de competência desta comissão parlamentar. "O tema escolhido para esta sessão especial é de extrema urgência, mas depois de tanto desgoverno ambiental e falta real duma gestão sustentável no Brasil, a gente duvida do alcance deste debate, pode ser somente pró forma ou na prática, só para limpar a barra dos senadores, com a imagem em baixa total junto à toda a população e também junto ao nosso movimento", comentou por aqui o editor do Folha Verde News, o ecologista e repórter Antônio de Pádua Silva Padinha: "Para eles melhorarem o ibope, a imagem pública, precisam mais do que anunciar um debate sobre este problema da mais alta gravidade, necessitam tomar medidas com projetos de gestão ambiental sustentável, para reequilibrar a economia com a ecologia, um desafio grande, que não vai se resolver com uma sessão duma manhã de terça feira", argumentou ainda nosso editor Padinha: "De toda forma, é sempre útil debater essa realidade". 


 TVs nacionais ou regionais têm feito reportagens sobre o drama dos rios


Na notícia, a CMA reconhece que o tema é urgente e que é preciso tomar conhecimento da atuação do Ministério da Integração Nacional na revitalização de bacias hidrográficas que estão em avançado estado de degradação, como é o caso da bacia hidrográfica do Rio São Francisco, isso, além de verificar quais ações permanentes e integradas de preservação, conservação e recuperação ambiental tem sido ou não planejadas e executadas. Mas entre este anúncio e a efetividade desta audiência parece haver um abismo profundo, como aqueles do Parque Nacional Guimarãs Rosa. Foram convidados para o debate, representantes do Instituto Aplysia, da Universidade Federal de Minas Gerais, da Universidade de Brasília e da Agência de Proteção Ambiental de Ohio, nos Estados Unidos, que tem um estudo nessa temática. Também foram chamados o presidente da Agência Ambiental do Reino Unido e o gerente do Grupo de Sedimentação e Hidráulica Fluvial do Serviço de Recuperação do Departamento do Interior dos USA. Mais um detalhe que a gente questiona:por que não foram convidados ecologistas e cientistas de entidades tipo WWF ou Greenpeace que têm muitas informações e críticas nesse tema? Deveriam ter sido convidados também por exemplo para esta avaliação colaboradores dos sites ambientalistas, muitos deles técnicos especializados e pesquisadores, como no portal socioambiental EcoDebate e outros que dia a dia posta matérias com este enfoque.


Bacias e rios ecologicamente equilibrados são exceção hoje no país


Para responder a este questionamento, a CMA por sua vez informa que audiência pública será interativa, transmitida ao vivo e aberta à participação dos interessados por meio do portal e-Cidadania e do telefone Alô Senado. Nosso blog divulga esta informação e estará atenta ao que acontecer, em defesa dos ideais do movimento ecológico, científico e de cidadania, diariamente pautamos problemas deste universo em nossos posts por aqui.



(Confira na seção de comentários aqui nesta webpágina opiniões e mensagens)




 Grande parte dos rios em todas bacias estão em situação crítica

 Sem ação urgente para revitalizar poderá haver caos na próxima seca

Fontes: www.ambientebrasil.com.br 
             www.folhaverdenews.com 

8 comentários:

  1. "As nossas bacias hidrográficas estão perdendo a capacidade de produzir água com regularidade. Ou provocam cheias e inundações, conforme notícias frequentes, ou ameaçam com escassez nos períodos de estiagens. Quaisquer dos comportamentos provocam sofrimentos e reações de desconforto ou até de revolta. E se há mudanças no regime de chuvas, com muito mais razão precisamos rever os nossos conceitos de uso das bacias hidrográficas, que, até pela Lei das Águas, é a unidade básica de produção e uso de água": comentário sobre a urgente revitalização de bacias hidrográficas, em artigo do especialista Osvaldo Ferreira Valente, a partir da situação do Rio Madeira,




    ResponderExcluir
  2. "Não é demais repetir, sempre, que na maior parte do território brasileiro, com exceção, talvez de algumas áreas do Semiárido nordestino, as bacias hidrográficas recebem, anualmente, grandes volumes de águas de precipitações pluviométricas. A bacia do Rio Doce, por exemplo, com área de 83.400 Km2 recebe volume anual em torno de 100 trilhões de litros d’água. Conforme já foi dito em outros artigos da série UTI ambiental, temos de saber, de cara, que aproximadamente 70 % deste volume volta à atmosfera por evapotranspiração, fenômeno importante na existência e processamento do ciclo hidrológico. Mesmo assim, ainda restam 30 trilhões de litros d’água para serem manejados ao longo da bacia. E é sobre esse manejo também que é importante uma gestão de nossas águas": comentário também do engenheiro Oswaldo Ferreira Valente, em artigo recentemente postado no site Eco Debate.

    ResponderExcluir
  3. Revitalizar, segundo dicionários, é o conjunto de medidas que visam criar nova vitalidade, ou dar novo grau de eficiência a alguma coisa. Daí, talvez, venha a sensação muito comum de achar que revitalizar bacias hidrográficas resume-se na despoluição de suas águas, dando mais condições à vida nos cursos d’água que as drenam . Devemos, entretanto, preferir o significado de dar novo grau de eficiência à bacia hidrográfica que se encontra degradada e processando mal os volumes de água recebidos pelas chuvas. Há um erro, portanto, na constante insistência de se referir à revitalização de rios, quando a preocupação deve ser sempre com as bacias, pois os rios são produtos destas": comentário do mesmo Oswaldo Ferreira Valente na sua série de textos UTI ambiental.

    ResponderExcluir
  4. "Ouvi, dia desses, uma entrevista com um presidente de Comitê falando sobre o convênio de sua agência com uma autarquia que vai ajudar na produção de planos de saneamento básico para vários municípios de sua área de atuação. Tudo bem, nada contra os planos que são importantes. Mas há um erro de expectativa de resultados quando ele diz: “E com isso nós vamos melhorar o índice de qualidade das águas da bacia e garantir o futuro desta bacia para todos”. Nenhuma referência à quantidade de água. Vale mencionar, ainda, que a lei federal que instituiu os planos municipais de saneamento básico incluiu o abastecimento de água, mas diz que, nesse aspecto, ele (o plano) deve tratar “desde a captação até as ligações prediais”. Apesar de captação poder ter um significado mais abrangente, no entendimento usual ela refere-se apenas ao ponto de coleta de água. E revitalizar bacias é uma tarefa para a hidrologia e para o manejo de bacias. E manejo de bacias hidrográficas é a ciência e arte de usar racionalmente os recursos naturais da bacia, visando produção de água em quantidade e qualidade. É preciso ficar claro, portanto, pela abrangência do conceito exposto, que a revitalização não é um trabalho a ser dominado apenas por hidrólogos e sanitaristas, com origem na engenharia civil e, mais recentemente, na engenharia ambiental. Vejo, com preocupação, algumas licitações exigirem um determinado profissional, quando a revitalização é um trabalho tipicamente multidisciplinar. Vale ressaltar, também, que estudos hidrológicos que não venham acompanhados, logo, de propostas de manejo das respectivas bacias são estéreis e acabam perdidos em gavetas burocráticas. As condições das bacias estão mudando rapidamente, pela dinâmica acelerada da degradação, e ficamos vendo diagnósticos serem feitos e refeitos e recursos financeiros usados e desperdiçados": comentário também de Oswaldo Valente.

    ResponderExcluir

  5. Osvaldo Ferreira Valente, que fez os comentários acima, é engenheiro florestal, especialista em hidrologia e manejo de pequenas bacias hidrográficas, professor titular, aposentado, da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e autor de dois livros sobre o assunto: “Conservação de nascentes – Produção de água em pequenas bacias hidrográficas”e “Das chuvas às torneiras – A água nossa de cada dia”; colaborador e articulista do EcoDebate .( valente.osvaldo@gmail.com)

    ResponderExcluir
  6. Você pode colocar sua informação ou opinião e também se preferir enviar para o e-mail da redação deste blog, que aí postamos para você, no caso, envie para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  7. Contate o editor de conteúdo deste blog para enviar informação ou material tipo vídeos ou fotos ou ainda para inserir comentários aqui nesta seção, envie a mensagem para padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  8. "Já que está aberta uma possibilidade de debate sobre bacias hidrográficas e rios do país, gostaria de divulgar aqui o blog SOS RIOS DO BRASIL": comentário de Clarice Villac, editora da página. Há muitas informações neste tema neste blog especializado.







    ResponderExcluir

Translation

translation