quarta-feira, 29 de novembro de 2017

ALERTA DO VERÃO: MOVIMENTO CONTRA A PRIVATIZAÇÃO E TAMBÉM A FAVOR DA DEMOCRATIZAÇÃO DAS PRAIAS EM ANGRA DOS REIS QUE ESTÃO ENTRE AS MELHORES DO RIO E DO PAÍS

Com 25 praias privadas cidadania de Angra dos Reis está alertando como os ricos limitam o acesso dos pobres ao mar mas a situação poderá mudar a partir de agora com este movimento



Uma das praias (Figueiras) mais lindas de Angra dos Reis


O movimento chegou até aqui ao blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News, através do jornalista Rogério Daflon (Agência Pública) e a matéria é também hoje destaque no site nacional de assuntos socioambientais EcoDebate: desde adolescente Irene Chaba Ribeiro se flagrou feliz com a quantidade de belas praias de sua cidade natal, Angra dos Reis, no litoral do Rio de Janeiro. Desde pequena, sua rotina de pôr o pé na areia a levava a pegar dois ônibus, a passar do centro do município e só assim chegar às praias de Figueira, Bica e Tanguazinho. Mais tarde ela questionou: “O que me causava estranheza é que praias bem mais perto de minha casa, no bairro Mombaça, mais extensas e com águas cristalinas, eram fechadas, privatizadas". Agora, Irene Ribeiro se tornou uma geógrafa e é ativista do movimento sem sua cidade contra a privatização de praias. Ela já chegou a participar das chamadas farofadas em praias restritas (encontros de jovens locais para usufruir daqueles espaços de lazer privatizados). E resolveu investigar por que certos condomínios se isolam de uma forma tão radical, a ponto de apartar das praias próximas a população de Angra dos Reis, que fica limitada em seu lazer mais natural e importante. No ano passado, fez uma pesquisa sobre as praias privatizadas em Angra, e participou de um iniciativa de entidades da sociedade civil, para pôr abaixo este muro construído por um ente privado, obstruindo o acesso à praia da Bica: "Nós fomos lá e destruímos o muro, ali eu percebi que escreveria minha dissertação não só como pesquisadora, mas também como ativista”, comenta agora Irene Ribeiro, virando uma líder do movimento, que vai além do protesto e busca solução. Praias como a da Figueira e Bica, outrora privatizadas, foram reabertas ao público depois de aumentar o número de pessoas protestando contra a privatização de algumas das melhores praias de Angra e do Brasil. 



 Geógrafa mapeou  praias que já estão privatizadas em Angra



Irene Ribeiro é filha de um casal, ambos engenheiros florestais, tendo assim, muita vivência dos direitos ambientais, ela afirma que a luta pelo direito de todos à praia é contra quem instala mansões de luxo, resorts, clubes, entre outras estruturas que, ao mesmo tempo, inibem a circulação e promovem segregação da areia. Sua dissertação de pós-graduação em geografia na Universidade Federal Fluminense, em vez de abordar a questão da praia a partir de populações tradicionais, como as indígenas, quilombolas e caiçaras, todas com presença marcante também no litoral de Angra, dá ênfase justamente à sua experiência pessoal e de seus pais, membros da Sociedade Angrense de Proteção Ecológica (Sapê), indo à luta pela praia democrática de uso comum, que inclui aquela mistura de classes sociais sob o mesmo sol e a mesma praia. A pesquisadora mostra também a importância da praia democratizada, colocando o direito de apropriação social e de uso coletivo acima do direito de propriedade, o direito de todos à praia e ao usufruto da natureza. 



Algumas praias são de difícil acesso como nesta ilha...

...este detalhe aumenta o valor da luta pelo direito de todos à praia em Angra


Por sua vez, a historiadora Juliana Malarba, da entidade Fase, faz também um outro alerta nesta discussão, ela argumenta que a praia permite o uso comum, uma sociabilidade e também a “reprodução social de lazer e de trabalho”, aí incluindo pescadores, marisqueiros e outros tipos de trabalho à beira-mar.e ao longoi do verão que está chegando: “É claro que não se pode degradar a praia, mas não podemos cair no conto dos condomínios de luxo. que no mais das vezes propagandeiam que estão privatizando o uso para preservar a praia, é um falso argumento, em nome de outros interesses privados”. Juliana Malarba assim como Irene Ribeiro enfatizam que a praia ou a natureza são um bem público que sim, deve ser cuidado, preservado, usado com consciência socioambiental, mas não pode ser privatizado para uso restrito somente a alguns privilegiados. Para se ter uma ideia do que anda acontecendo, só em Angra dos Reis, 25 das melhores praias ali já foram privatizadas, privando a maioria da população local deste direito de lazer natural em Angra dos Reis, privatização ilegal e anticonstitucional, não respeito a liberdade de ir e vir. Esta luta é um dos temas do movimento de cidadania neste verão nas cidades do litoral. Todos têm direito ao uso das prias maravilhosas de Angra, assim como a obrigação de não poluir e usar de forma ecologicamente correta esse patrimônio da natureza e da cidade. 



(Confira na seção de comentários aqui nesta webpágina outras informações sobre o direito de todos à praia e também o mapa das praias em Angra que este movimento fez, assim como, opiniões e mensagens no tema)



Todos têm direito ao uso das praias maravilhosas de Angra dos Reis


Fontes: www.ecodebate.com.br
              Agência Pública
              www.folhaverdenews.com

9 comentários:

  1. "A geógrafa Irene Ribeiro mapeou 55 praias de Angra dos Reis e as distinguiu em termos de acesso da seguinte forma: acesso privatizado, ou seja, proibido ao público e franqueado a proprietários e hóspedes; acesso livre; acesso controlado, com a entrada na praia franqueada sob condições, como seguranças em portarias e cancelas exigindo identificação do usuário ou estabelecendo horários à circulação e permanência; acesso de interesse estatal, como áreas militares; e, por fim, falta de acesso pela impossibilidade de se chegar por terra. Segundo seu levantamento, 8 são praias controladas, e nada menos que 25 são privatizadas": comentário do repórter Rogério Daflon, da Agência Pública de notícias.

    ResponderExcluir
  2. Logo mais, mais informações aqui nesta seção sobre a luta pelo direito de todos à praia e à natureza no verão que vem chegando: participe, confira depois a nova edição destes comentários.

    ResponderExcluir
  3. Você pode colocar aqui a sua opinião ou informação neste assunto hoje, se preferir ou precisar, envie a sua mensagem para o e-mail da redação do nosso blog de ecologia e de cidadania navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. Material como vídeos, fotos, informações ou sugestão de pauta ou mesmo apenas o seu comentário você pode também enviar direto para o nosso editor de conteúdo deste blog, mandando pro e-mail padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. "A liberdade de usar a praia e a natureza que é um bem público e um direito de todos me motivou a buscar um movimento desse tipo por aqui no litoral capixaba onde há praias privatizadas também": comentário de Ana Luíza Mendes, professora de Portugu~ês, de Vila Velha (ES).

    ResponderExcluir
  6. "A matéria porque está chegando o verão mas a privatização e os privilégios acontecem em todos os setores no Brasil, não só na praia, em toda a sociedade de consumo que é socialmente injusta": comentário de Tadeu Marques, de Ribeirão Preto (SP), especialista em TI.

    ResponderExcluir
  7. "Seja na saúde, no lazer, na educação, em todas as áreas do país problemas tipo este das praias, é a rotina dum governo voltado à privatização e bancado por grandes interesses de algumas elites": comentário de Cláudia Morais Dibi, de Cuiabá, Mato Grosso, advogada trabalhista.

    ResponderExcluir
  8. "Estão privatizando tudo, as águas até dos aquíferos serão privatizadas, as praias,e nesse rítmo tudo, o papel do estado é inverso a esta tendência segundo a Constituição e o bom senso": comentário de Isidoro Campos, de São Paulo, advogado.

    ResponderExcluir
  9. "Ter que entrar em fila e pagar por bem público é demais mas tem sido rotina no Brasil": comentário de Fernanda Gonçalves, estudante da Unesp, Bauru (SP).

    ResponderExcluir

Translation

translation