quinta-feira, 9 de novembro de 2017

BIRDWATCHING PARECE PALAVRÃO CHINÊS PARA XINGAR AMERICANO MAS NA VERDADE É A ARTE E O PRAZER DE ALGUÉM VER E OUVIR PÁSSAROS

Big Bird Big Bird Big Day Brasil nestes dias demonstrou que observar aves não é só para especialistas nem somente para loucos alucinados pela ecologia das matas


 
Uma espécie entre o Biguá e o Mergulhão que nada, voa e canta


Além de binóculos e câmeras fotográficas, paciência e atenção também são exigidos para quem decide se tornar um observador de aves, a dica é de Vininha Carvalho, que atua com Ecoturismo e através de quem obtivemos esta matéria de hoje aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News, um post mais ameno depois de tantas críticas às autoridades governamentais do Brasil por cortes de verbas no orçamento de 2018 para o meio ambiente, o que vai atrapalhar a luta contra a seca, contra a poluição, contra as enchentes, contra as doenças causadas por queimadas, contra o desmatamento, contra uma espécie de genocídio dos povos indígenas, também um ecocídeo da nossa espécie, destruindo cada vez mais a natureza e gerando um caos socioambiental cada vez maior. Aqui, hoje, uma postagem a favor da vida da natureza, através da valorização das aves que podemos observar e preservar, a favor do ecoturismo, a favor do prazer de viver. A gente está falando aqui, agora, do birdwatching, prática bastante difundida na Inglaterra e em toda Europa, também nos Estados Unidos e no Canadá, que só ultimamente vem ganhando mais adeptos no Brasil. 

Maritacas cantam em grupo coral do mato por aqui no nordeste paulista


Segundo país do planeta com maior diversidade de aves, ficando atrás somente da Colômbia, no Brasil mesmo assim esta atividade lúdica (também usada como pesquisa por cientistas da Biologia e de todas as ciências da natureza) ela é pouco conhecida por aqui, a sua popularização tem trazido benefícios aos cientistas e quaisquer praticantes por puro prazer e amor à natureza: do Big Day Brasil, evento onde as pessoas reservam a data para observar aves e postar suas listas na plataforma digital eBird. Neste ano, o encontro foi realizado no dia 28 de outubro no Brasil, Argentina, Paraguai, Chile e Uruguai e a ideia é observar o maior número de espécies de aves em 24 horas por aqui na América do Sul. A observação de aves, ao contrário do que muitos pensam, pode ser realizada por qualquer pessoa, pois não exige grande esforço físico do participante e ainda traz benefícios para o corpo e para a mente, pelo contato direto com a natureza. Além do mais, um instrumento para se lutar contra a violência aos animais ou pela ecologia da vida.




Coruja do mato só pia de noite e enxerga no escuro

O birdwatching traz adrenalina e cria até mesmo competição saudável entre os participantes, além de contribuir para a conservação não só das espécies avistadas, mas também de todo o ecossistema natural onde elas vivem. De acordo com Pedro Develey, diretor da SAVE Brasil (Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil) e membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza, a observação de aves é uma importante ferramenta de monitoramento científico, pois permite identificar quais espécies existem em determinado local e como elas se relacionam com o ecossistema onde vivem. 


O birdwatching é uma vivência do amor à vida


“A realização dessa atividade por cidadãos comuns garante uma contribuição imensa para coleta de dados, que podem ser incluídos em bases específicas de pesquisas ou em bases on-line, o que resulta em um material significativo, principalmente para monitoramentos populacionais de longo prazo", afirma Pedro Develey. 
 


Há várias espécies de Periquitos que sobrevivem na última Mata Atlântica


É possível praticar observação de aves de qualquer lugar, seja da janela de casa, nas ruas, em um parque urbano ou numa Unidade de Conservação. A Reserva Natural Salto Morato, localizada no litoral do Paraná e mantida pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, é um exemplo de local ideal para avistar aves. Ali, desde que iniciaram as atividades de monitoramento participativo, em 2014, foram registradas 215 espécies (cerca de 66% das espécies de aves registradas no local), sendo 24 destas classificadas como ameaçadas de extinção. Raras também em sua beleza fora do comum.



Pássaro raro observado cantando na reserva Salto Morato


“Esses registros aumentam o nível de informação sobre a ocorrência das diferentes espécies de aves na Reserva. Ao todo já identificamos 326 espécies em Salto Morato, o que demonstra a importância e relevância dessa unidade de conservação para a proteção da biodiversidade”, explica Bruno Alves, administrador da Reserva Natural Salto Morato. Adicionalmente, quando as pessoas comuns que não são pesquisadores são envolvidas na atividade, a observação de aves torna-se um instrumento de conscientização ambiental. Luciano Breves, ex-publicitário e birdwatcher há mais de 25 anos, garante que toda a pessoa que se engaja na observação de aves acaba se tornando um conservacionista e acaba se preocupando não só com a espécie, mas com o habitat que ela vive. “Sou observador há anos e há oito me dedico como guia de observação e conhecedor da natureza. Meu maior prazer é preservar tudo isso e repassar meu conhecimento”, confessa Luciano Breves que argumenta ainda, "Não há criação nem na publicidade nem no cinema nem na imaginação das crianças que seja tão linda na Terra como os pássaros". 
 

(Confira mais informações e também mensagens na seção de comentários aqui no nosso blog de ecologia, também em defesa da beleza e da vida dos pássaros, os cantos deles hoje são um alarme sobre a destruição da natureza) 
 

Um bando de Biguás do Pantanal passou voando e cantando aqui perto

Fontes: Fundação Boticário
             www.revistecotur.blogspot.com.br
             www.folhaverdenews.com 

10 comentários:

  1. Temos aqui na redação uma dúzia de mensagens e de comentários, aguarde nossa edição logo mais e participe você também.


    ResponderExcluir
  2. Vidinha Carvalho, especialista em Ecoturismo, está na edição da revista Eco Tur que rela como foi neste ano o Big Bird Day Brasil, indicando alguns lugares em nosso país que têm sido os preferidos para se fotografar, ver e ouvir pássaros. Confira a seguir o resumo destas informações.


    ResponderExcluir
  3. Um destes lugares é o Parque Ibirapuera em São Paulo,um bosque urbano em plena grande cidade, é um dos primeiros grandes parques urbanos do Brasil e famoso por hospedar inúmeros espaços culturais entre suas áreas verdes. Uma das atividades do parque é uma caminhada monitorada para a observação de aves por um valor de R$ 10 e duração de 2 horas e 30 minutos, passando por uma apresentação das aves no parque, seguida de caminhada para a identificação e concluindo com um piquenique com livros, para aprofundamento do
    conteúdo que envolve tanto ciência como poesia, tanto lazer como ecologia.



    ResponderExcluir
  4. Um outro espaço de destaque é a Reserva Natural de Salto Morato. Ela é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) federal criada e mantida pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. O local abriga uma área de 2.253 hectares de Mata Atlântica e encontra-se em região com expressiva concentração de espécies de aves endêmicas, sendo várias delas ameaçadas de extinção. A Reserva também é um local propício à observação de aves: em 2010, o local foi indicado pela Rede Avistar como sítio adequado para a prática dessa atividade. Salto Morato conta com 325 espécies de aves catalogadas, o que corresponde a 43% da lista de aves do Paraná.



    ResponderExcluir
  5. A matéria de Vininha Carvalho cita também o Parque Estadual do Desengano, que está localizado no Rio de Janeiro e possui 25.000 hectares. O local, que foi criado em 1970 e é o primeiro parque estadual do Rio de Janeiro, já registrou cerca de 400 espécies de aves. Além de ser um local propício para a prática da observação de aves, o parque também tem diversos atrativos, como cachoeiras, áreas para trilhas e escaladas. A visitação é gratuita e o prazer da natureza é garantido.


    ResponderExcluir
  6. Outro espaço indicado pela revista Eco Tur é o Jardim Botânico de Brasília, o JBB, é uma área protegida de 5.000 hectares, vinculada à Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal. O parque inclui atividades como a constituição e manutenção de Coleções de Plantas, Desenvolvimento de Pesquisa, Educação Ambiental e Lazer orientados para a conservação da Biodiversidade. Por ser uma área rica em flora, já foram registradas a presença de 270 espécies de aves no local, viabilizando a atividade de observação de aves. O JBB é composto em sua maior parte por vegetação do Cerrado, que pode ser contemplada nas Trilhas que são livres e abertas à visitação.



    ResponderExcluir
  7. A Chapada do Araripe é uma reserva ecológica localizada ao sul do estado do Ceará, na região do Cariri, na divisa com o Pernambuco. A reserva reúne fontes naturais, grutas e sítios paleontológicos. Com um bioma predominante de Caatinga, e áreas de Cerrado e da Mata Atlântica, a reserva possui como símbolo uma espécie endêmica de ave, o pequeno Soldadinho-do-Araripe, com sua crista vermelha que parece um quepe e que se encontra atualmente em risco de extinção.





    ResponderExcluir
  8. Você pode colocar aqui a sua indicação ou mensagem, se precisar, envie o seu comentário por e-mail para a redação do nosso blog de ecologia, mandando então para navepad@netsite.com.br


    ResponderExcluir
  9. Você pode contatar nosso editor de conteúdo para enviar material como fotos, vídeos ou informações e até seu comentário também, no caso, envie seu e-mail para padinhafranca603@gmail.com


    ResponderExcluir
  10. "Gostaria de indicar a região de Delfinópolis, no sudoeste de Minas Gerais, ao lado da represa do Rio Grande, com cachoeiras, matas nativas e ainda com relativa tranquilidade no ambiente, o que ajuda observar e ouvir pássaros tanto do Cerrado como da Mata Atlântica, aqui está bem na divisa entre Minas e São Paulo, entre o Cerrado e a Mata Atlântica": comentário de Tadeu Matos, que se dedica à produção artesanal de bananas e atua como guia na região e na Serra da Canastra.

    ResponderExcluir

Translation

translation