domingo, 19 de novembro de 2017

DIANTE DO AUMENTO DO CAOS DO CLIMA, DO AMBIENTE E DA VIOLÊNCIA DO SER HUMANO CIENTISTAS JÁ CORREM ATRÁS DE UMA OUTRA TERRA E POR ENQUANTO A OPÇÃO É ROSS 128B



Ross 128 b é um recém descoberto planeta relativamente perto da Terra e até agora o que tem melhores condições para abrigar vida da forma como nós conhecemos aqui




 Temos que ver isso tudo com espírito crítico e aberto

A gente recebeu a informação de Paul Rincn, que fez reportagem na BBC News sobre este planeta localizado a 11 anos luz de distância da Terra: segundo os mais recentes dados da Astronomia, da Astronáutica e da Astrofísica, analisados por técnicos da Nasa, tudo indica que o  Ross 128 b pode ser a melhor possibilidade conhecida até hoje de haver vida fora do nosso Sistema Solar  Em resumo, a notícia é que os cientistas encontraram um planeta frio e do tamanho da Terra, relativamente perto do nosso Sistema Solar, sendo que as suas características fazem dele um dos principais alvos no Cosmos em busca de vida no espaço extraterrestre. Aqui, uma projeção em arte do Ross 128b que foi há pouco descoberto no
Observatório La Silla, no Chile. 

Ross 128b descoberto no Observatório La Silla no Chile



Ross 128b é o segundo planeta externo ao Sistema Solar  menos longe da Terra. Existe ate um outro exoplaneta e que está até mais perto, conhecido como Proxima b, porém os indícios são de que este outro possa ser menos habitável. Vem sendo observado desde 2016 e a sua órbita é em torno da Próxima Centauri, uma estrela bastante ativa, anã vermelha, o que significa que provoca no Próxima b erupções violentas e radiações nocivas que dificultam ou impossibilitam as espécies de vida como nós a conhecemos.Um dos descobridores do Ross 128b é Nicola Astudillo-Defru, do Observatório de Genebra, que deu entrevista na Suíça à BBC News: "Eu acredito que Ross 128 é bem mais propício para o desenvolvimento de vida".


Nasa cataloga 1284 novos planetas fora do nosso Sistema Solar




"Ainda precisamos saber como é a atmosfera do Ross 128b. Dependendo da composição e da refletividade de suas nuvens, esse planeta realmente poderá vir a ser habitável, com água líquida, como a Terra, se bem que ainda existe a possibilidade dele ser estéril, como Vênus", comentou por sua vez Xavir Bonfis, do Instituto de Planetologia e Astrofísica de Grenoble, na França: "O Ross 128, embora esteja vamos dizer um pouco longe da Terra, é uma ótima alternativa para a procura por vida extraterrestre, é o nosso atual alvo". Este atual alvo descoberto com o uso do Buscador de Planeta de Alta Precisão Radial (Harps), instrumento que fica no Observatório La Silla, no Chile. O trabalho ainda será publicado no jornal Astronomia e Astrofísica, mas a informação já oficial é que o achado é resultado de mais de uma década de  um monitoramento intensivo, usando o instrumento Harps. Com 1,35 vezes a massa do nosso planeta, Ross 128b é um pouco mais pesado que a Terra e orbita 20 vezes mais perto da sua estrela que a distância entre a Terra e o Sol. Mas como a estrela do planeta recém-descoberto é bem menor que o nosso Sol, ele deve receber só um pouco mais de radiação do que a Terra, o que não impede a existência de vida.O que os cientistas esperam é que este planeta tenha temperatura de superfície parecida com a da Terra. Na busca por mundos habitados fora do nosso Sistema Solar, os astrônomos procuram por planetas com pouca massa, rochosos e com temperaturas similares às da Terra. Mas esses indicadores são difíceis de detectar. A maioria dos 3,5 mil exoplanetas que são externos ao nosso Sistema Solar,  estão na categoria dos chamados "Júpiteres Quentes"- gigantes de gás orbitando muito perto de suas estrelas e que não possuem condições adequadas para a existência de vida.Não é o que se detecta no Ross 128b. 


A existência de água é essencial para a vida


Do contingente menor de planetas com tamanho parecido ao da Terra, a maioria orbita estrelas anãs vermelhas (o tipo mais comum de estrela da Via Láctea) porque esta categoria de estrela tem luz mais fraca, é mais fácil para os astrônomos detectarem planetas de pouca massa quando eles passam em frente da sua estrela e são observados da Terra, bloqueando parte da luz. Anãs vermelhas são geralmente mais ativas que as estrelas tipo-G, como é o casoi do nosso Sol, mas pode haver variação. A apenas 4,2 anos luz de distância, Proxima b poderia ser o planeta mas próximo do Sistema Solar entre os que devem ter temperatura amena, porém as pesquisas e os cálculos mostram que ele recebe 30 vezes mais radiação ultravioleta que a Terra. Já o Ross 128 b, por outro lado, é o planeta mais próximo e com menos radiação, tendo clima temperado, a temperatura é um fator que permite a existência de água e que ela permaneça líquida. Água é essencial para a vida na estrutura que nós conhecemos hoje o Universo. Ross 128b, a nova Terra? Aiunda falta muito para esta definição, mas este planeta é a maior chance de vida extraterrestre não tão distante de nós terráqueos, que deveríamos estar cuidando a água e e toda a ecologia por aqui em nosso planeta. 


Precisamos cuidar melhor da água e da vida na Terra


(Confira mais alguns dados no blog da gente na seção de comentários aqui nesta nossa webpágina, participe com sua mensagem ou opinião)



 A mais alta precisa do Harps é que tornou possivel...

...a descoberta do Ross 128b neste Observatório do Chile


Fontes: www.bbc.com
             www.folhaverdenews.com

9 comentários:

  1. A ciência avançou bastante, a tecnologia hoje já permite definir algo sobre nós e nosso futuro porém o atual ser humano precisa evoluir bem mais, este fato prejudica qualquer avanço. Confira a seguir mais informações sobre a aventura da descoberta do Ross 128b.

    ResponderExcluir
  2. Cientistas e a própria Nasa (que já cataloga 1284 novos planetas descobertos fora do nosso Sistema Solar) alerta sempre (e agora também é o caso) que é necessária prudência na conclusões, ainda não definitivas sobre o Ross 128b.


    ResponderExcluir
  3. Astrônomos frequentemente falam sobre "zona habitável" ao redor de uma estrela - o raio de distância em que as temperaturas permitem que a água (essencial para a vida que conhecemos) permaneça líquida na superfície do planeta. A localização da zona habitável depende da própria estrela: anãs vermelhas são estrelas com luz mais fraca, portanto mais frias que o sol, então sua zona habitável é mais próxima que a do Sistema Solar.

    ResponderExcluir
  4. "Ainda há incerteza sobre se o Ross 128 está nos limites desta zona habitável, mas cientistas dizem que, com temperaturas entre -60°C e 20°C, ele pode ser considerado temperado": comentário da BBC News.


    ResponderExcluir
  5. "Muita coisa depende da presença de atmosfera. Gases do efeito estufa podem aquecer a superfície e garantir pressão suficiente para manter a água em estado líquido": comentário de Astudillo-Defru, do Observatório de Genebra, também ligado à descoberta do Roos 128b.

    ResponderExcluir
  6. "Astrônomos querem estudar a composição atmosférica e química de planetas próximos e potencialmente adequados para a existência de vida, como o Ross 128 b. A detecção de gases como oxigênio pode potencialmente apontar para a presença de processes biológicos. Esta busca aumenta cada vez mais, tanto devido à expansão da ciência como em função do processo de destruição da Terra": comentário do ecologista Manuel Peres, de Curitiba (Paraná): "Temos que fazer nossa lição de casa, que primeiro é cuidar bem da Terra".

    ResponderExcluir
  7. "Os melhores indicadores biológicos ainda estão em debate. Por enquanto, temos o oxigênio (O2) e o ozônio como indicadores biológicos. Outros, como o dióxido de carbono ou o metano podem ser gerados tanto por eventos geológicos quanto por vida. Alguns gases já foram detectados em atmosferas de exoplanetas, mas essa investigação deve ganhar fôlego quando o Extremely Large Telescope (Telescópio Extremamente Grande, em tradução livre), do Observatório do Sul da Europa, e o Telescópio James Webb Space, da Nasa, entrarem em operação. Este telescópio entrará em operação na próxima década, poderá então testar a existência de atmosfera no Ross 128 b": conclusão da matéria de Paulo Rincon, na BBC News.

    ResponderExcluir
  8. Cientistas explicam que o Extremely Large Telescope, que estará operacional na metade da próxima década, deverá garantir resolução angular para observar o Ross 128 b diretamente. Conseguiremos ver se existe atmosfera e, assim, eventualmente, procurar por O2, água e CH4 (metano), fundamentais para a vida. Cada um desses gases seria um passo importante rumo à evidência de vida fora do nosso Sistema Solar. Mas, individualmente, nenhum deles é definitivamente uma prova de vida. Há formas de produzir O2 e CH4 não biologicamente. Mas, por enquanto, não conhecemos nenhum falso positivo se os três (oxigênio, água e metano) forem detectados juntos.
    Embora esteja hoje a 11 anos luz da Terra, o planeta Ross 128 está se locomovendo em direção à Terra e deve ultrapassar Proxima Centauri como o planeta mais próximo da Terra daqui a 79 mil anos (um piscar de olhos nos parâmetros cósmicos)...

    ResponderExcluir
  9. "Essa matéria está pensando em milhares de anos à frente, mas desde já precisamos cuidar da ecologia para restaurar com tudo a vida na nossa querida e sofrida Terra": comentário de Pedro Gonçalves, de São Paulo, pesquisador de BioTecnologia e que diz ter encontrado esta nossa matéria do blog quando pesquisava o Ross 128b no Google.

    ResponderExcluir

Translation

translation