sexta-feira, 3 de novembro de 2017

O NAVIO QUE VOA RUMO AO NOSSO FUTURO JÁ PODERIA FAZER AGORA A NAVEGAÇÃO VIRAR SUSTENTÁVEL




Pesquisador nos apresenta o primeiro navio de carga autônomo e com zero emissão de carbono: José Eustáquio Diniz Alves no site socioambiental EcoDebate nos adianta estas informações

 


Navio fantasma? Não, navio nave...


Primeiro navio de carga autônomo e com zero emissão de carbono
Yara Birkeland: um navio fantasma mas de alta tecnologia


Segundo doutor José Eustáquio Diniz Alves (Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE - IBGE) nos informa, o jornal Wall Street Journal noticiou que o primeiro navio de carga automatizado sem tripulação do mundo será lançado logo mais em 2018. O Yara Birkeland, construído na Noruega, usará GPS, radar, câmeras e sensores para navegar em torno de outras embarcações e transitará por conta própria, sem tripulação e com zero emissão de CO2.  As baterias serão recarregadas quando estiver estacionado para carga e descarga. A previsão é que este navio contemporâneo custe cerca de US$ 25 milhões (o que é aproximadamente três vezes mais caro do que um navio-contêiner padrão do mesmo tamanho). Mas os investidores dizem que sem a necessidade de combustível ou tripulação, os custos operacionais anuais serão reduzidos em até 90%!...Navegação mais econômica e veja a seguir que poderá ser também mais ecológica, ou seja, sustentável.



Navio do presente (de guerra)...

Navio do passado (heroico)



O navio fantasma da era digital se tornará autônomo por etapas. Em 2018 operará inicialmente como uma embarcação tripulada, passando para operação remota em 2019 e se espera que seja capaz de realizar operações totalmente autônomas só a partir de 2020. O Yara Birkeland está sendo desenvolvido conjuntamente pela empresa agrícola Yara International e pela empresa de tecnologia da Noruega Kongsberg Gruppen. Ele já está sendo apelidado de Tesla dos mares e está programado para começar a entregar fertilizantes de uma instalação de produção para o porto de Larvik a cerca de 37 milhas de distância, no final de 2018. A promessa ou perspectiva  dos fabricantes é que este navio também reduza as emissões. A empresa tem por slogan, Queremos ter emissão zero.


Navios de carga hoje poluem muito

 Nos estaleiros se procuram os navios naves


O lançamento do Yara Birkeland vem reforçar a tendência de veículos autônomos, que é uma das promessas da Revolução 4.0. Ainda não está claro quais seriam os benefícios de todos os avanços tecnológicos incorporados no transporte autônomo. Mas parece que é uma tendência que veio para ficar e terá muitos impactos sobre o emprego na área de transporte, continua a explicar e a argumentar o doutor José Eustáquio: o setor de transporte, em geral e o marítimo, em particular, são caros e poluidores. Se as inovações vierem para melhorar o setor de transporte de cargas e para descarbonizar sua pegada ecológica, poderão realmente trazer impactos positivos para a economia, a sociedade, a saúde das pessoas e o meio ambiente. Mas isto é só um pequeno pedaço de todas as transformações que precisam ser feitas para reduzir os efeitos degradantes da sobrecarga das atividades antrópicas sobre o planeta atualmente. 

Navios a partir de agora serão naves sustentáveis


(Confira mais alguns detalhes da informação, também sobre o doutor José Eustáquio Diniz Alves, bem como opiniões na seção de comentários aqui mesmo nesta webpágina)


Navios fantasmas da nossa memória

 
Fontes: Wall Street Journal 
             www.ecodebate.com.br
             www.folhaverdenews.com 

8 comentários:

  1. Um navio fantasma hoje em dia será o movido a energia nuclear ou com alta emissão de carbono...

    ResponderExcluir
  2. Você pode ter mais informação e detalhes sobre o conteúdo que nos apresenta o doutor José Eustáquio Diniz Alves no seguinte link:
    Thuy Ong. The world’s first crewless cargo ship will launch next year, Theverge, 24/07/2017

    https://www.theverge.com/2017/7/24/16018652/first-autonomous-ship-launch-2018


    ResponderExcluir
  3. Pesquisador e colunista do site socioambiental EcoDebate, José Eustáquio Diniz Alves é Doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE/IBGE).

    ResponderExcluir
  4. Você pode contatar Dr. José Eustáquio Diniz Alves através do e-mail jed_alves@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Coloque aqui a sua opinião, comentário ou informação mas se preferir ou precisar, envie sua mensagem para a redação deste blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. Contate também o editor de conteúdo deste blog para nos enviar material como vídeos, fotos, informações, sugestões de pauta ou de matérias, envie neste caso pro e-mail padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. "Está realmente passando da hora de inovações e de avanços em todos os setores da engenharia, também naval, para a construção duma realidade que seja mais econômica e mais ecológica": comentário de Rafael Santos, de Juiz de Fora (MG), engenheiro pela UFMG.

    ResponderExcluir
  8. "Um documentário muito bom e a informação de que navios contemporâneos muito rápidos usam biodiesel que é 75% poluente do que os derivados de petróleo é a esperança duma navegação sustentável, boa para a economia e para a ecologia, pelo menos nos próximos anos e décadas. O Brasil tem que agilizar este setor, talvez em parceria com a Noruega, para criarmos nosso futuro": comentário do ecologista e repórter Antônio de Pádua Silva Padinha, que edita nosso blog ligado ao movimento ecológico, científico e de cidadania.

    ResponderExcluir

Translation

translation